Uma metáfora do masculino: paternidade e luto em 'Crocodilo', de Javier A. Contreras

Claudimar Pereira Silva, Jorge Vicente Valentim

Resumo


RESUMO: O presente artigo objetiva a análise das representações da paternidade e do luto no romance Crocodilo, do escritor baiano-chileno Javier Arancibia Contreras. Publicado em 2019, Crocodilo narra os processos de luto de Ruy, um jornalista renomado, depois da morte de seu filho único Pedro, decorrente de um suicídio. Devastado pela dor, e abandonando a esposa Marta, mãe de Pedro, Ruy inicia uma investigação simultaneamente pragmática e existencial, na tentativa de compreender as motivações do filho. Nesta busca, realizada nos sete dias posteriores à morte de Pedro, Ruy descobre-se a si mesmo e reflete constantemente sobre a paternidade, questionando profundamente este papel. Sendo assim, a partir dos pressupostos teóricos de Sigmund Freud (2011), André Victor Machado (2019), Sócrates Nolasco (1993) e Maria Júlia Kovács (1992), entre outros, pretende-se analisar os sentidos de paternidade experimentados por Ruy, que manifestam-se na diegese a partir da elaboração gradual do luto, por parte do narrador.


Palavras-chave


Paternidade; luto; masculinidades; literatura brasileira contemporânea.

Texto completo:

PDF

Referências


REFERÊNCIAS

ANDRADE, Carlos Drummond de. A flor e a náusea. In: ______. Poesia completa. 1. ed. Rio de Janeiro: Nova Aguilar, 2002. p. 118-119.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão de identidade. Tradução de Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CANASSA, Lucélia. Os estudos das masculinidades e os estudos literários no Brasil: um breve panorama e possíveis caminhos. In: Representações da masculinidade nas literaturas lusófonas (dossiê). Revista Revell. Campo Grande, v. 2, n. 19, p. 2-36, ago. 2018.

CONNELL, Raewyn. MESSERSCHMIDT, James W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Estudos Feministas, Florianópolis, Vol. 21, n. 1, p. 241-282, jan-abr. 2013.

CONTRERAS, Javier A. Crocodilo. 1. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2019.

DEL PRIORE, Mary. Pais de ontem: transformações da paternidade no século XIX. In: AMANTINO, M; DEL PRIORE, M. (orgs). História dos homens no Brasil. 1. ed. São Paulo: Editora Unesp, 2013. p. 153-184.

FREUD, Sigmund. Além do princípio de prazer. In: ______. História de uma neurose infantil, Além do princípio do prazer e outros textos (1917-1920). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

______. Luto e melancolia. Tradução de Marilene Carone. São Paulo: Cosac & Naify, 2011.

GARCIA, Sandra. Homens na intimidade: masculinidades contemporâneas. Ribeirão Preto: Holos Editora, 2006.

GENETTE, Gérard. Discurso da narrativa. Tradução de Fernando Cabral Martins. Lisboa: Vega, 1979.

JÚNIOR, Paulo Dias Ferreira. Aspectos ecológicos da determinação sexual em tartarugas. Acta Amazonica. Manaus, Vol. 39, n. 1, p. 139-154, 2009.

KOVÁCS, Maria Júlia. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo, 1992.

MACHADO, André Victor. O luto paterno em questão: um estudo psicanalítico do sofrimento de pais um (a) de seus filhos (as). Dissertação (Mestrado em Psicologia) Universidade Federal do Paraná, 2019. 123 f. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/handle/1884/62328.

______. Considerações sobre o enlutamento na contemporaneidade através do estudo psicanalítico do luto paterno. In: Congresso Brasileiro de Psicologia da FAE/ I Congresso Brasileiro de Psicologia Jurídica e Forense, Curitiba, 2018. p. 26-29.

NICK CAVE AND THE BAD SEEDS. Skeleton tree. In: NICK CAVE AND THE BAD SEEDS, Skeleton tree. CD. Brighton, UK: Bad Seed Ltd, 2016.

NOGUEIRA, Paulo. Romance Crocodilo aborda o mistério do fim da existência. Jornal Estado de Minas. 22/05/2020. Disponível em: https://www.em.com.br/app/noticia/pensar/2020/05/22/interna_pensar,1149559/romance-crocodilo-aborda-o-misterio-do-fim-da-existencia.shtml. Acesso em 01/03/2021.

NOLASCO, Sócrates. O mito da masculinidade. Rio de Janeiro: Rocco, 1993.

SIMON, Luiz Carlos Santos. Fundamentos para pesquisas sobre masculinidades e literatura no Brasil. Revista Estação Literária. Londrina, Vol. 16, p. 8-28, 2015.

SOLOMON, Andrew. O demônio do meio-dia: uma anatomia da depressão. Tradução de Myriam Campello. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2021v40p89

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco