Entre perdas e repetições: o realismo traumático em Barba ensopada de sangue, de Daniel Galera

Nelson Eliezer Ferreira Júnior

Resumo


O artigo propõe uma leitura do romance Barba ensopada de sangue (2012), de Daniel Galera, que parte de sua relação com a tradição realista, que repercute na literatura brasileira contemporânea, para a investigação das marcas do realismo traumático na obra, especialmente as repetições que são estabelecidas entre o protagonista e seu avô. Para tal, foram retomadas reflexões, especialmente de Schøllhammer (2013) sobre as marcas do realismo na prosa brasileira, de Ginzburg (2002) sobre a repercussão da estética do trauma no Brasil e de Foster (2017 e 2020) sobre o realismo traumático como categoria importante para a compreensão das artes na atualidade. Percebe-se na obra a centralidade do tema da perda, posto como trauma simultaneamente repetido e deslocado, e sua relação com um padrão de masculinidade que insiste em ressurgir. Destaca-se também a importância da cadela Beta na narrativa como figura simbólica que tensiona o paralelismo de modo a evitar que o padrão de repetição se torne simples cópia.

Palavras-chave


Romance brasileiro; Daniel Galera; Barba ensopada de sangue; Realismo traumático

Texto completo:

PDF

Referências


FACCHIN, Michelle Aranda. Barba ensopada de sangue: realismo e subjetividade. Revista de Letras, Curitiba, v. 17, n. 21, p. 95-107, jul./dez. 2015. DOI: 10.3895/rl.v17n21.3033.

FERREIRA JÚNIOR, Nelson Eliezer. Virilidade e identidade narrativa em Mãos de cavalo, de Daniel Galera. Acta Scientiarum. Language and Culture, Maringá, v. 42, n. 2, p. e50843, 8 jul. 2020. DOI: 10.4025/actascilangcult.v42i2.50843.

FOSTER, Hal. O retorno do real: a vanguarda no final do século XX. São Paulo: Edu, 2017.

FOSTER, Hal. What comes after farce?: art and criticismo at time of debacle. New York: Verso, 2020.

GALERA, Daniel. Barba ensopada de sangue. São Paulo: Companhia das Letras, 2012.

GALERA, Daniel. Mãos de cavalo. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

GINZBURG, Jaime. “Ditadura e estética do trauma: exílio e fantasmagoria”. F. J. G. Correia, org. O rosto escuro de narciso. João Pessoa: Ideia, 2004. 53-62.

LUKÁCS, Georg. A teoria do romance: um ensaio histórico-filosófico sobre as formas da grande épica. São Paulo: Duas Cidades; 34, 2000.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Ficção brasileira contemporânea. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2009.

SCHØLLHAMMER, Karl Erik. Para uma crítica do realismo traumático. SOLETRAS, Rio de Janeiro, n.23, p. 19-28, 2012. DOI: 10.12957/soletras.2012.3801

TAKEDA, Anna Carolina Botelho. A obsessão pela virilidade em Mãos de cavalo: poder e ruína. Revista Estação Literária, Londrina, v. 16, p. 153-164, jun. 2016. http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/estacaoliteraria/article/view/28503/20650.

XAVIER, Luiz Gustavo Osório. Homens à deriva: a representação da masculinidade em dois romances de Daniel Galera. Dissertação (Mestrado em Letras e Linguística), Universidade Federal de Goiás, 2020. http://repositorio.bc.ufg.br/tede/handle/tede/10497.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2020v39p36

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco