Literatura e sociedade: rompendo paradigmas - a resistência da mulher negra em uma sociedade branca, urbana e machista

Elaine dos Santos

Resumo


Em um estado em que a Literatura dita culta conformou-se com relativo atraso em relação ao restante do país, o modelo estancieiro, as guerras de fronteira determinaram a construção de um modelo mítico: o gaúcho, personagem filtrado pela ótica masculina, urbana e culta. Às mulheres pouco espaço foi concedido; no entanto, Luis Augusto Fischer, em Quatro negros, abre espaço para uma mulher negra, pobre, mãe solteira e, com ela e através dela, reflete sobre a formação e a consolidação da sociedade sulina, destacando o papel, sob certo aspecto, marginal em que o negro tem vivido.

Palavras-chave


Literatura gaúcha; Representação social; Monarca das coxilhas; Mulher negra

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2009v17p105

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco