Representações da Luta e da Resistência Negra no Quilombo Manoel Congo na Literatura de Cordel

Patrícia Cristina de Aragão Araújo

Resumo


A partir do texto poético de cordel, este artigo discute sobre a trajetória de luta e resistência de Manoel Congo, no Quilombo homônimo. Objetivamos refletir sobre quais as representações que tal acontecimento, importante na história dos quilombos no Brasil, adquire no texto de cordel e de que maneira essas representações podem ajudar na compreensão das questões relativas à forma como negros/as empreenderam suas lutas individuais e coletivas pela liberdade e em prol de seus direitos sociais.

Palavras-chave


Literatura de cordel; Quilombo; Representação; Resistência

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Márcia. Histórias de cordéis e folhetos. Campinas: Mercado de Letras, 1999.

BRAGA, Medeiros. O Quilombo Manoel Congo: a saga de um guerreiro. Cordel. 2010.

CERTEAU, Michel de. Artes de fazer. Vol. 1 de A invenção do cotidiano. 2 vols. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 1994.

CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. 2.ed. Lisboa: Difel, 2002.

LOPES, Ribamar. Antologia da literatura de cordel. 3. ed. Fortaleza: Banco do Nordeste Brasileiro, 1994.

REIS, João José. “Quilombos e revoltas escravas no Brasil.” Revista USP (São Paulo) 28 (dez. 1995-fev. 1996): 14-39.

RICOUER, Paul. Do texto à ação: ensaios de hermenêutica II. Porto: Rés, 1994.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2011v21p87

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco