“Lembrança de Morrer" e o Guesa: diálogos

Danglei de Castro Pereira

Resumo


O presente trabalho discute a presença de uma postura titânica no interior da poesia romântica brasileira. Apoiados no conceito de ironia romântica, presente no centro as idéias do Grupo romântico de Iena, faremos uma releitura do poema “Lembrança de orrer”, de Álvares de Azevedo, e de um fragmento de O Guesa, de Sousândrade, apontando para a presença de um princípio racional inerente a essas obras.

Palavras-chave


Romantismo brasileiro; Poesia romântica; Titanismo

Texto completo:

PDF

Referências


AZEVEDO, A. 1999. Prefácio à segunda parte de Lira dos vinte anos. In: ______. Lira dos vinte anos. São Paulo: Ática.

BOSI, A. 1993. Imagens do romantismo no Brasil. In: GUINSBURG, J. (Org.). O Romantismo. 3. ed. São Paulo: Perspectiva.

CAMILO, V. 1997. Risos entre pares: poesia e humor românticos. São Paulo: Edusp/Fapesp

MAGALHÃES, G. de. 2002. Suspiros poéticos e saudades. Introdução e notas de Sergio Buarque de Holanda. Brasília: Editora da UNB.

NOVALIS, F. von H. 1988. Pólen: fragmentos, diálogos, monólogo. Tradução, apresentação e notas: Rubens Rodrigues Torres Filho. São Paulo: Iluminuras.

SCHLEGEL, F. 1994. Conversa sobre a poesia: e outros fragmentos. Trad. C. Berretini. São Paulo: Iluminuras.

SOUSÂNDRADE, J. de. 1979. O Guesa. Edição fac-similar organizada por Jomar Moraes. São Luís: SIOGE.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1678-2054.2007v10p21

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Publicação do Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Estadual de Londrina.  


ISSN: 1678-2054

QUALIS - CAPES 2013-2016: Letras/Linguística: B1 ; Educação: B2

Os artigos têm Identificador de Objeto Digital (DOI). 
 
Índice de Citações dos artigosGoogle Acadêmico

a) índice h1 - (>2016) - 11
b) índice i10 - (>2016) - 14

MIAR - ICDS (2021) - 6.3

Fale conosco