A concepção de democracia predominante no Serviço Social brasileiro a partir da década de 1980

Lourival Souza Felix, Claudia Neves da Silva

Resumo


O artigo tem como objetivo analisar a concepção de democracia no Serviço Social brasileiro a partir da década de 1980. Para isso, foi realizada uma pesquisa bibliográfica com dois dos principais periódicos do Serviço Social de circulação nacional nas décadas de 1980 e 1990, para entender a concepção de democracia que se destacou entre as vanguardas da profissão ao longo das décadas pesquisadas. Verificou-se que a concepção de democracia foi dando lugar à defesa da democratização com a medida que consolidou o processo de transição democrática. Também foi possível verificar que a ideia de democracia forjada no interior da profissão estava vinculada aos diversos movimentos sociais destas décadas, que arrefeceu com a eleição de governos democráticos e populares e levou as críticas por parte da própria vanguarda da profissão. Nesse sentido, tanto a formulação da democracia posta como único caminho para construir o socialismo no Brasil, como a defesa da democratização, demonstrou sua inviabilidade em romper com o status quo.

Palavras-chave


Serviço Social; Democracia; Estado; Movimentos sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


CAMPOS, M. S. Democratização e desigualdade social no Brasil: notas sobre algumas implicações profissionais. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v. 19, n. 57, p. 9-27, jul. 1998.

CARDOSO, F. G. Os movimentos sociais populares no processo de transformação social. Serviço Social e Sociedade, São Paulo, v. 11, n. 33, p. 5-30, ago. 1990.

CARVALHO, A. M. P. O projeto de formação profissional do assistente social na conjuntura brasileira. Cadernos ABESS, São Paulo, n. 1, p. 17-42, 1985.

COUTINHO, C. N. Pluralismo: dimensões teóricas e políticas. Cadernos ABESS, São Paulo, n. 4, p. 5-17, set. 1987.

GOHN, M. G. M. Movimentos populares urbanos e democracia. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 17, p. 15-29, abr. 1985.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 24. ed. São Paulo: Cortez, 2013.

NASCIMENTO, E. Participação: entre o autoritário e o democrático. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 20, p. 6-15, abr. 1986.

PAULO NETTO, J. A construção do projeto ético-político do Serviço Social. In: MOTA, A. E. et al. (org.). Serviço Social e saúde: formação e trabalho profissional. São Paulo: Cortez, 2008. p. 1-22.

PAULO NETTO, J. A redefinição da democracia. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 20, p. 17-27, abr. 1986.

PAULO NETTO, J. Ditadura e Serviço Social: uma análise do Serviço Social pós-64. 16. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

SPOSATI, A. Serviço Social em tempos de democracia. Revista Serviço Social e Sociedade, São Paulo, n. 39, p. 5-31, ago. 1992.

WANDERLEY, L. E. Conjuntura, a universidade e o profissional. Cadernos ABESS, São Paulo, n. 1, p. 5-41, set. 1985.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-4842.2019v22n1p177

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Serviço Social em Revista

E-ISSN: 1679-4842

E-mail: ssrevista@uel.br