A formação do professor de língua estrangeira no século XXI: Entre as antigas pressões e os novos desafios

Luiz Carlos Balga Rodrigues

Resumo


Este trabalho pretende refletir sobre a atual formação do professor de língua estrangeira e sua capacidade para enfrentar as pressões e os desafios que a prática docente lhe impõe nos dias de hoje. Desde que a globalização se fez presente no cotidiano, no final do século XX, vemos aumentar as mobilidades, as trocas e as interações entre povos e culturas. O aprendizado de uma língua estrangeira tornou-se uma demanda cada vez maior e o “mercado das línguas”, segundo as concepções de Bourdieu (1982) e Calvet (2002), expõe suas características e suas regras. Proliferam os cursos de idiomas, os testes de certificação de proficiência, a oferta desenfreada de material didático; discutem-se novas abordagens no ensino de línguas; surgem novos objetivos específicos. Como preparar o estudante de Letras para enfrentar as pressões do mercado e os novos desafios da prática docente? Cabe às faculdades de Letras repensarem a formação profissional e intelectual do futuro professor de língua estrangeira, não esquecendo as exigências do mercado, mas se preocupando sobretudo com o desenvolvimento de sua autonomia e a reflexão crítica de suas práticas.

Palavras-chave


formação de professores de língua estrangeira; ensino-aprendizagem de língua estrangeira; prática docente reflexiva

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2237-4876.2016v19n2p13



Signum: Estudos da Linguagem
Telefone: (43) 3371-4428
E-mail: signum@uel.br
ISSN: 2237-4876