Nietzsche contra Wagner: veleidade de artista, décadence e ascetismo

Rodrigo C. Rabelo

Resumo


O artigo visa analisar a presença de Richard Wagner no contexto da crítica do velho Nietzsche ao ascetismo, nomeadamente na Terceira Dissertação de “Para a genealogia da moral” (1887). Para tanto, recorro também à idéia de gaia ciência e a elementos contidos em “O caso Wagner” (1888). O objetivo final é contribuir para um melhor entendimento não apenas da crítica ao ascetismo - que se dá desde o bojo da tarefa maior de uma revaloração de todos os valores, pautada quase sempre pela idéia de vontade de poder—, mas também, e mais especialmente, do conceito de arte e seus usos, na derradeira filosofia nietzscheana.


Palavras-chave


Arte; Ascetismo; Modernidade; Nietzsche; Wagner

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2010v31n1p41

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar