Plantão psicológico a partir de uma escuta psicanalítica

Ana Claudia Broza Daher, Maria Lúcia Mantovanelli Ortolan, Maíra Bonafé Sei, Kawane Chudis Victrio

Resumo


O plantão psicológico se configura como uma intervenção psicológica implementada no Brasil a partir de um referencial humanista, abordagem teórica ainda predominante na literatura sobre o tema. Organiza-se como um tipo de intervenção clínica que oferta um atendimento pontual, realizado o mais próximo possível da necessidade do indivíduo, por meio do qual pode-se fazer, além de um acolhimento, também um esclarecimento acerca da demanda desta pessoa. Tendo em vista a importância e pertinência desta prática, buscou-se ofertá-la em 2015 em um serviço-escola de Psicologia de uma universidade pública. Diante deste cenário, almejou-se discutir a prática do plantão psicológico, realizada por meio de um projeto de extensão, enfatizando a escuta psicanalítica empreendida neste contexto. Considera-se que, no plantão psicológico, o plantonista acaba por se deparar com a escuta do inesperado, do inconsciente que insiste para que seja ouvido. Espera-se, assim, que, ao mesmo tempo em que é escutado, o próprio sujeito que fala se ouça e que esta escuta possa, de alguma forma, contribuir para que ele se reposicione ou ressignifique o motivo que o fez procurar o atendimento.

Palavras-chave


Plantão psicológico; Psicanálise; Serviço-escola de Psicologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2017v38n2p147

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar