A multiplicidade das novas abordagens sobre uma educação escolar emancipatória no âmbito da Sociologia da Educação

Rodrigo Lessa

Resumo


Este estudo tem por objetivo análise de algumas vertentes da produção sociológica sobre educação que se esboçou em países como Inglaterra, França e Estados Unidos. Partindo de diferentes perspectivas, autores como Michael Young, Basil Bernstein, Pierre Bourdieu, Michael Apple e Henry Giroux impulsionaram as reflexões deste campo ao enfrentarem questões as relações entre linguagem, ensino e conhecimento no processo educacional e a importância de uma concepção crítica e emancipatória da formação escolar, estabelecendo um novo parâmetro para as reflexões já esboçadas no âmbito da teoria sociológica clássica sobre a educação. Apesar da dificuldade na formulação de novas categorias gerada pelo recorte macrossociológico, esta produção teve a qualidade de fomentar criticamente discussões sobre a aplicabilidade das diversas matrizes da teoria social que inspiraram as reflexões sobre os processos educacionais a partir da segunda metade do século XX.

Palavras-chave


Sociologia da educação; Teoria social contemporânea; Pós-guerra.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2017v38n2p233

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar