Os enunciados científicos no ensino médio e as práticas para a formação do sujeito-químico

Angélica Cristina Rivelini-Silva, Moisés Alves de Oliveira

Resumo


O trabalho procura problematizar os processos de naturalização de determinados enunciados químicos e deslocar o olhar, dos saberes químicos, para um conjunto de práticas que regulam a forma como os alunos do Ensino Médio produzem conhecimento químico, para então, entender como os saberes químicos são produzidos por determinados discursos. Como estratégias, a metodologia foi parte constitutiva da representação investigativa e foi composta no próprio caminhar da pesquisa, as técnicas etnográficas foram utilizadas para a coleta e registro de dados. As análises desses dados foram construídas com base na análise do discurso foucaultiano, que permitiu conhecer os processos pelos quais os alunos apropriam os enunciados químicos e os colocam em funcionamento. Os discursos vão incorporados os termos próprios da química, que passam a funcionar em uma nova rede discursiva

Palavras-chave


Enunciado. Prática discursiva; Naturalização; Ensino de Ciências

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2016v37n2p211

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar