Feuerbach: da crítica da religião à defesa da dignidade humana

Arlei Espindola

Resumo


O artigo tenta problematizar a tendência (existente ainda hoje) de julgar-se Feuerbach um autor menor, que serviria de ponto de passagem entre Hegel e Marx. Salienta que o filósofo alemão precisa ser lido antes com a pretensão compreensiva, e não de forma negativa e crítica. Só assim é possível identificar o caráter humanista de sua reflexão e reconhecer que seu propósito consiste em salvaguardar a religião em sua essencialidade humana.

Palavras-chave


Filosofia da religião; Materialismo sensitivo; Natureza humana; Ética; Liberdade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0383.2011v32n1p3

Semina, Ciênc. Soc. Hum.

email: seminahumanas@uel.br
E-ISSN: 1679-0383

DOI: 10.5433/1679-0383


Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

 

SalvarSalvarSalvarSalvar