Pre-soaking with gibberellin in sweet corn seed lots with different levels of vigor

Jéssica de Lucena Marinho, Altamara Viviane de Souza Sartori, Evandro João Rodrigues, José Henrique Bizzarri Bazzo, André Sampaio Ferreira, Claudemir Zucareli

Abstract


A reduzida longevidade e o baixo desempenho de sementes de milho doce justificam a adoção de práticas que potencializem sua qualidade, como a pré-embebição. Neste sentido, objetivou-se avaliar os efeitos da pré-embebição com giberelina no potencial fisiológico de dois lotes de sementes de milho doce, com níveis de vigor contrastantes, em condições ideais e de estresse hídrico. Inicialmente, os lotes de sementes utilizados foram caracterizados quanto a germinação e potencial fisiológico - através dos testes: primeira contagem, germinação envelhecimento acelerado, teste de frio, comprimento de plântulas normais, massa seca de plântulas normais, emergência em campo, índice de velocidade de emergência e teste de tetrazólio. Posteriormente, as sementes foram submetidas a diferentes tratamentos de pré-embebição, em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial 2 × 4, com quatro repetições, sendo dois lotes e quatro tratamentos de pré-embebição: com água e com solução de ácido giberélico à 0,4 g L-1 e à 0,8 g L-1, além do controle (sem pré-embebição). Em seguida, as sementes foram submetidas aos testes de primeira contagem e germinação em condições de deficiência hídrica simulada, além dos testes de grau de umidade, primeira contagem, germinação, emergência em campo e índice de velocidade de emergência. Os dados obtidos foram submetidos a análise de variância e comparação de médias, pelo teste de Tukey e pelo teste t de Student, para comparação entre os tratamentos e os lotes, respectivamente. A pré-embebição favoreceu a velocidade e porcentagem de germinação das sementes de milho doce, principalmente em condições de déficit hídrico. A pré-embebição somente com água, no lote de maior vigor, e com ácido giberélico à 0,4 g L-1, no lote de menor vigor, favorece o desempenho fisiológico das sementes avaliadas.

Keywords


Germination; Special corn; Vigor; Water deficiency; Zea mays.

Full Text:

PDF

References


Anese, S., Silva, E. A. A., Davide, A. C., Faria, J. M. R., Soares, G. C. M., Matos, A. C. B., & Toorop, P. E. (2011). Seed priming improves endosperm weakening, germination, and subsequent seedling development of Solanum lycocarpum St. Hil. Seed Science and Technology, 39(1), 125-139. doi: 10. 15 258/sst.2011.39.1.11

Aragão, C. A., Dantas, B. F., Alves, E., Cataneo, A. C., Cavariani, C., & Nakagawa, J. (2003). Atividade amilolítica e qualidade fisiológica de sementes armazenadas de milho super doce tratadas com ácido giberélico. Revista Brasileira de Sementes, 25(1), 43-48. doi: 10.1590/S0101-31222003000100008

Bewley, J. D., Bradford, K. J., Hilhorst, H. W. M., & Nonogaki, H. (2013). Seeds: physiology of development, germination and dormancy (3nd ed.). Nova York, NY: Springer.

Bezerra, A. M. E., Medeiros, S., Fº., Bruno, R. L. A., & Momenté, V. G. (2006). Efeito da pré-embebição e aplicação de ácido giberélico na germinação de sementes de macela. Revista Brasileira de Sementes, 28(3), 185-190. doi: 10.1590/S0101-31222006000300026

Carvalho, N. M., & Nakagawa, J. (2012). Sementes: ciência, tecnologia e produção. Jaboticabal: Funep.

Chen, K., Arora, R., & Arora, U. (2010). Osmopriming of spinach (Spinacia oleracea L. cv. Bloomsdale) seeds and germination performance under temperature and water stress. Seed Science and Technology, 38(1), 36-48. doi: 10.15258/sst.2010.38.1.04

Cícero, S. M., & Vieira, R. D. (1994). Teste de frio. In R. D. Vieira & N. M. Carvalho (Eds.), Testes de vigor em sementes (pp. 151-164). Jaboticabal: FUNEP/UNESP.

Dias, M. C. L. L., & Barros, A. S. R. (1995). Avaliação da qualidade de sementes de milho. (Circular Técnica, 88). Londrina, PR: IAPAR.

Farhoudi, R., Saeedipour, S., & Mohammadreza, D. (2011). The effect of NaCl seed priming on salt tolerance, antioxidant enzyme activity, proline and carbohydrate accumulation of Muskmelon (Cucumis melo L.) under saline condition. African Journal of Agricultural Research, 6(6), 1363-1370. Retrieved from https://academicjournals. org/journal/AJAR/article-full-text-pdf/64451C337638

Hu, J., Xie, X. J., Wang, Z. F., & Song, W. J. (2006). Sand priming improves alfalfa germination under high-salt concentration stress. Seed Science and Technology, 34(1), 199-204. doi: 10.15258/sst.2006.34.1.22

Kaya, M. D., Okçu, G., Atak, M., Çikili, Y., & Kolsarici, Ö. (2006). Seed treatments to overcome salt and drought stress during germination in sunflower (Helianthus annuus L.). European Journal of Agronomy, 24(4), 291-295. doi: 10.1016/j.eja.2005.08.001

Lima, S. F., Jesus, A. A., Vendruscolo, E. P., Oliveira, T. R., Andrade, M. G. O., & Simon, C. A. (2020). Development and production of sweet corn applied with biostimulant as seed treatment. Horticultura Brasileira, 38(1), 94-100. doi: 10.1590/S0102-053620200115

Lopes, H. M., & Souza, C. M. (2008). Efeitos da giberelina e da secagem no condicionamento osmótico sobre a viabilidade e o vigor de sementes de mamão (Carica papaya L.). Revista Brasileira de Sementes, 30(1), 181-189. doi: 10.1590/S0101-31222008000100023

Luz, J. M. Q., Camilo, J. S., Barbieri, V. H. B., Rangel, R. M., & Oliveira, R. C. (2014). Produtividade de genótipos de milho doce e milho verde em função de intervalos de colheita. Horticultura Brasileira, 32(2), 163-167. doi: 10.1590/S0102-05362014000200007

Maguire, J. D. (1962). Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 2(2), 176-177. doi: 10.2135/cropsci1962.0011183X000200020033x

Marcos, J., Fº., & Kikuti, A. L. P. (2008). Condicionamento fisiológico de sementes de couve-flor e desempenho das plantas em campo. Horticultura Brasileira, 26(2), 165-169. doi: 10.1590/S0102-053 62008000200007

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2009). Regras para análise de sementes. Brasília: MAPA/ACS. Recuperado de http://www.agricultura.gov.br/assuntos/laboratorios/arquivos-publicacoesl aboratorio/regras-para-analise-de-sementes.pdf/view

Mondo, V. H. V., Cicero, S. M., Dourado, D., Neto, Pupim, T. L., & Dias, M. A. N. (2012). Vigor de sementes e desempenho de plantas de milho. Revista Brasileira de Sementes, 34(1), 143-155. doi: 10. 1590/S0101-31222012000100018

Moreira, G. G., Viana, M. M., Lira, V. A., Guiscem, J. M., Santos, F. N., & Rodrigues, E. F. (2014). Condicionamento fisiológico de sementes de melão com diferentes soluções de ácido giberélico e ácido salicílico. Horticultura Brasileira, 31(2), 652-659. Recuperado de http://www.abhorticultura.com.br/ EventosX/Trabalhos/EV_7/A6233_T9885_Comp.pdf

Oliveira, A. S., Silva-Mann, R., Santos, M. F., Gois, I. B., & Barretto, M. C. V. (2007). Condicionamento osmótico em sementes de milho doce submetidas ao armazenamento. Revista Ciência Agronômica, 38(4), 444-448. Recuperado de http://ccarevista.ufc.br/seer/index.php/ ccarevista/article/view/108/103

Oliveira, E. A. de P., Zucareli, C., Prete, C. E. C. & Zamuner, D. (2014). Potencial osmótico do substrato na germinação de sementes e desenvolvimento inicial de plântulas de milho doce. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 9(4), 477-482. doi: 10.5039/agraria.v9i4a2625

Peixoto, C. P., Sales, F. J. S., Vieira, E. L., Passos, A. R., & Santos, J. M. S. (2011). Ação da giberelina em sementes pré-embebidas de mamoneira. Comunicata Scientiae, 2(2), 70-75. Recuperado de https:// dialnet. unirioja.es/servlet/articulo?codigo=3884093

Pereira, M. D., Dias, D. C. F. S., Dias, L. A. S., & Araújo, E. F. (2009). Primed carrot seeds performance under water and temperature stress. Scientia Agricola, 66(2), 174-179. doi: 10.1590/S0103-901620090 00200005

Pimenta, R. M. B., Carvalho, T. G., Carvalho, R. S., Dantas, B. F., & Aragão, C. A. (2010). Efeito da giberelina na qualidade fisiológica de sementes de berinjela. Horticultura Brasileira, 28(2), S4284-S4288. Recuperado de http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/18838/1/Barbara3_CBO_ 2010.pdf

Rabbani, A. R. C., Silva-Mann, R., Ferreira, R. A., & Vasconcelos, M. C. (2013). Pré-embebição em sementes de moringa. Scientia Plena, 9(5), 1-8. Recuperado de https://www.scientiaplena.org.br/sp/ article/view/878/795

Santos, A. R. F., Silva-Mann, R., Ferreira, R. A., & Brito, A. S. (2011). Water pre-hydration as priming for Moringa oleifera Lam. seeds under salt stress. Tropical and Subtropical Agroecosystems, 14(1), 201-207. Recuperado de http://www.revista.ccba.uady.mx/ojs/index.php/TSA/article/view/620/512

Souza, R. S., Vidigal, P. S., Fº, Scapim, C. A., Marques, O. J., Queiroz, D. C., Okumura, R. S.,... Cortinove, R. S. (2013). Produtividade e qualidade do milho doce em diferentes populações de plantas. Semina: Ciências Agrárias, 34(3), 995-1010. doi: 10.5433/1679-0359.2013v34n3p995

Storck, L., Lovato, C., & Comassetto, V. (1984). Avaliação do rendimento e outras características agronômicas de cultivares de milho doce. Revista do Centro de Ciências Rurais, 14(3-4), 153-160. Recuperado de http://coral.ufsm.br/revistaccr/index.php/RCCCR/article/view/534/533

Taiz, L., & Zeiger, E. (2013). Fisiologia vegetal (5nd ed.). Porto Alegre: Artmed.

Taylor, A. G., Allen, P. S., Bennett, M. A., Bradford, K. J., Burris, J. S., & Misra, M. K. (1998). Seeds enhancements. Seed Science Research, 8(2), 245-256. doi: 10.1017/S0960258500004141

Varier, A., Vari, A. K., & Dadlani, M. (2010). The subcellular basis of seed priming. Current Science, 99(4), 450-456. Recuperado de http://www.mendeley.com/research/subcellular-basis-seed-priming/




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2021v42n2p539

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional