Ixodídeos em animais silvestres na Região do Planalto Serrano, Estado de Santa Catarina, Brasil

Marcia Sangaletti Lavina, Antonio Pereira de Souza, Amélia Aparecida Sartor, Anderson Barbosa de Moura

Abstract


O conhecimento da fauna de ixodídeos, bem como a potencialidade como transmissores de patógenos aos seus hospedeiros e em alguns casos aos humanos, é de grande importância para o estabelecimento de programas de saúde pública e vigilância epidemiológica. Com o objetivo de identificar ixodídeos de mamíferos silvestres no Planalto Serrano de Santa Catarina foram examinados carrapatos, coletados ou recebidos no Laboratório de Parasitologia e Doenças Parasitárias do Centro de Ciências Agroveterinárias – CAV/UDESC no período 2001 a 2011. Os ixodídeos eram provenientes de animais silvestres que passaram pelo processo de triagem do Hospital de Clínicas Veterinárias (HCV) do CAV e de animais encontrados mortos em rodovias do Estado. De acordo com as chaves dicotômicas específicas identificou-se Amblyomma aureolatum coletados em Pseudalopex gymnocercus, Lycalopex gymnocercus, Leopardus pardalis, Cerdocyon thous, Leopardus tigrinus, Puma concolor e Bufo sp.; A. dubitatum em Hydrochoerus hydrochoeris; A. rotundatum em Puma concolor e Bohtrops sp.; A. ovale em Bufo sp.; e Rhipicephalus microplus em Mazama gouazoubira. Foi identificado um exemplar de A. longirostre que se encontrava em uma residência da área urbana do município de Lages. As espécies A. rotundatum em Bohtrops sp. e em Puma concolor; e A. longirostre, encontrada no ambiente, foram relatadas pela primeira vez no estado de Santa Catarina, Brasil. 


Keywords


Amblyomma spp.; Animais silvestres; Ixodídeos; Santa Catarina.

Full Text:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2015v36n5p3173

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433 / 1679-0359
E-mail:  semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional