Glicerina bruta na alimentação de suínos na fase de crescimento e terminação

Paulo Levi Oliveira Carvalho, Ivan Moreira, Cláudio Scapinello, Liliane Maria Piano, Adriana Gomez Gallego, Gabriel Moresco

Abstract


Foram conduzidos dois experimentos com o objetivo de determinar o valor nutricional e avaliar o desempenho, característica de carcaça e viabilidade econômica de suínos em fase de crescimento e terminação alimentados com rações contendo dois tipos de glicerinas brutas: GBV – oriunda de óleo vegetal (soja) e GBM – mista, oriunda de gordura animal e óleo de soja. No Experimento I, foi conduzido um ensaio de digestibilidade com 32 (24 rações testes e 8 ração referência) suínos (45,08 ± 4,11 kg) mestiços. A unidade experimental consistiu-se de um suíno, totalizando quatro unidades experimentais por ração. Os níveis de substituição da ração referência pela glicerina foram 6, 12 e 18%. Os valores de ED e EM (kcal/kg), na matéria natural, obtidos foram: GBV= 5.040 e 4.481 e GBM= 5.234 e 4.707, respectivamente. No Experimento II, foram utilizados 63 suínos, distribuídos em delineamento inteiramente casualizados, em esquema fatorial 2 x 4, sendo dois tipos de glicerina bruta (GBV e GBM) e quatro níveis de inclusão (3, 6, 9 e 12%). Adicionalmente, foi formulada uma ração testemunha, não contendo glicerina (0%). Não houve interação (P?0,05) entre os níveis de inclusão e o tipo da glicerina bruta. A análise de regressão indica que não houve efeito (P?0,05) do nível de inclusão das glicerinas brutas sobre o desempenho e característica de carcaça (espessura de toucinho e profundidade de lombo). Os resultados de sugerem que é viável a utilização em até 12%, de ambas as glicerinas brutas (de origem vegetal e mista), na alimentação de suínos na fase de crescimento e terminação, sem prejuízos no desempenho e característica de carcaça, além de propiciar a redução de cerca de 11% no custo da alimentação.


Keywords


Biodiesel; Coproduto; Digestibilidade; Glicerol.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n3p1399

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433/1679-0359
E-mail: semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional