Diversidade e comunidade microbiana em solos de terra preta nova em Tailândia-Pará, Brasil

Sávia Poliana da Silva, Diocléa Almeida Seabra Sillva, Maria de Lourdes Pinheiro Ruivo, Ismael de Jesus Matos Viégas, Rosigrêde Lima da Silva, Pedro Vitoriano de Araújo Júnior, Heráclito Eugênio Oliveira da Conceição

Abstract


As Terras Pretas Antropogênicas, um dos solos mais férteis do mundo, ocorrem frequentemente na região Amazônica, sendo o efeito remanescente da ocupação intensiva da terra por grupos indígenas Pré-colombianos. A partir do estudo das terras pretas, é possível desenvolver técnicas para reproduzir uma fertilidade semelhante a essa. Este trabalho teve por objetivo tentar reproduzir a terra preta de índio através do uso de resíduos de origem vegetal e animal depositados sobre Latossolo Amarelo e fazer um levantamento sobre a biodiversidade da comunidade microbiana dessa “terra preta nova” (TPN), no município de Tailândia – PA, no período seco e chuvoso. O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso com quatro repetições, em uma área de 3 x 3 m, com 2 m de intervalo entre si. Os tratamentos foram: 1 (C), 2 (RPS), 3 (RLT), 4 (RA), 5 (C+RPS), 6 (C+RLT), 7 (C+RA), 8 (RPS+RLT), 9 (RPS+RA), 10 (RLT+RA), 11 (C+RPS+RLT), 12 (C+RLT+RA), 13 (RPS+RLT+RA), 14 (C+RPS+RLT+RA), 15 (C+RPS+RLT+RA+S), 16 (Testemunha) e 17 (C+RPS+RA), onde: carvão (C), resíduo de pó de serra (RPS), resíduos de lâmina triturada (RLT), resíduos de ossos (RA), sangue e gordura (S). A população bacteriana foi superior à população fúngica nos dois períodos de estudo, sendo que o período chuvoso aumentou a população fúngica. Os fungos predominantes foram os do gênero Aspergillus, Penicillium, Sclerotium, Trichoderma. As bactérias do gênero Bacillus e gram (-) foram encontradas em todos os tratamentos. O número de colônias de fungos foi superior ao número de colônias de bactérias.


Keywords


Amazônia; Atributo microbiológico; Sazonalidade; Bactérias; Fungos.



DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1679-0359.2013v34n6Supl1p3245

Semina: Ciênc. Agrár.
Londrina - PR
E-ISSN 1679-0359
DOI: 10.5433 / 1679-0359
E-mail:  semina.agrarias@uel.br
Este obra está licenciado com uma Licença  Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional