Ativos Intangíveis: Reconhecimento em Empresas de Utilidade Pública Listadas na BM&FBovespa

Nilton Kloeppel, Marcus Vinicius Moreira Zittei, Roberto Carlos Klann

Resumo


 

O reconhecimento dos ativos intangíveis pelas organizações, como fonte de vantagem competitiva, cresce a cada dia, assim como a percepção destes ativos para a criação e aumento do valor da empresa (SVEIBY, 1998; STEWART, 1998; HENDRIKSEN; VAN BREDA, 1999; LEV, 2001). O objetivo desta pesquisa é verificar a relação entre as informações relativas ao ativo intangível evidenciadas por empresas listadas na BM&FBovespa, pertencentes ao setor de Utilidade Pública nos anos de 2010 e 2011, com as variáveis organizacionais tamanho, rentabilidade e intangível. Este setor foi escolhido em função do reconhecimento dos contratos de concessão como intangível, regulamentado no ICPC 01. O estudo caracteriza-se como descritivo, conduzido por meio de análise documental e abordagem quantitativa. A população é composta por 73 entidades e a amostra compreendeu 146 observações. Para coleta dos dados foi elaborado um check list de acordo com os itens 118 a 123 do Pronunciamento Técnico CPC 04 (R1). Já as variáveis tamanho, rentabilidade e intangível foram obtidas na base de dados Economática®. Ao analisar os sete itens de evidenciação do CPC 04 (R1), constatou-se um nível médio inferior a 68%, sendo que algumas empresas não evidenciaram nenhum item. Tal fato demonstra que mesmo com o ICPC 01 regulamentando a contabilização dos contratos de concessões, o setor analisado não tem esta preocupação. Justamente as informações sobre os contratos de concessão foi o item menos evidenciado, por apenas 9,59% das empresas. Por fim, observou-se que as empresas com maiores ativos totais e intangíveis apresentam os melhores níveis de evidenciação do CPC 04 (R1), ao passo que o segmento e a rentabilidade não possuem correlação significativa com os níveis de evidenciação.


Palavras-chave


Ativos Intangíveis. Contratos de Concessão. Utilidade Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ARNOSTI, José Carlos Melchior. Capital Intelectual: modelos de mensuração. Estudo de Caso da Implantação do Balanço Intelectual da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos – CPTM. 2003. 247 f. Dissertação (Mestrado em Controladoria e Contabilidade Estratégica) – Centro Universitário Álvares Penteado – UniFECAP, São Paulo, 2003.

AVELINO, Bruna Camargos; PINHEIRO, Laura Edith Toboada; LAMOUNIER, Wagner Moura. Evidenciação de ativos intangíveis: estudos empírico em companhias abertas. Revista de Contabilidade e Organizações, Ribeirão Preto, v. 6, n. 14, p. 23-45, jan./abr. 2012.

BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros. Disponível em: . Acesso em: 05 maio 2012.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Disponível em:. Acesso em: 06 maio 2012.

______. Presidência da República. Lei nº 8.987 de 13 de fevereiro de 1995. Dispõe sobre o regime de concessão e permissão da prestação de serviços públicos previsto no artigo 175 da Constituição Federal, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 14 fev. de 1995. Disponível em: . Acesso em: 06 maio 2012.

BRITO, Giovani Antonio Silva; CORRAR, Luiz J.; BATISTELLA, Flávio Donizete. Fatores determinantes da estrutura de capital das maiores empresas que atuam no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, v. 18, n. 43, p. 9-19, jan./abr. 2007.

COLAUTO, Romualdo Douglas; NASCIMENTO, Paulo Savaget; AVELINO, Bruna Camargos; BISPO, Oscar Neto Almeida. Evidenciação de Ativos Intangíveis Não Adquiridos nos Relatórios da Administração das Companhias Listadas nos Níveis de Governança Corporativa da Bovespa. Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 20, n. 1, p. 142-169, jan./mar. 2009.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Interpretação Técnica 01 – Contratos de Concessão. Disponível em: . Acesso em: 07 maio 2012.

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS. Pronunciamento 04 – Ativos Intangíveis. Disponível em:. Acesso em: 07 maio 2012.

CRISÓSTOMO, Vicente Lima. Ativos Intangíveis: estudo comparativo dos critérios de reconhecimento, mensuração e evidenciação adotados no Brasil e em outros países. Contabilidade, Gestão e Governança, Brasília, v. 12, n. 1, p. 50-68, jan./abr. 2009.

CRUZ, C.F. ; SILVA, A.F. ; RODRIGUES, A. Uma discussão sobre os efeitos contábeis da adoção da interpretação IFRIC 12 – Contratos de concessão. Revista Contabilidade Vista & Revista, Belo Horizonte, v. 20, n. 4, p. 57-85, out./dez. 2009.

EBRAHIM, Ahmed. Accounting for green house gas emission schemes: accounting theoretical framework perspective. Business Studies Journal, v. 5, n. 1, 2013.

EDWINSSON, Leif, MALONE, Michael S. Capital Intelectual – descobrindo o valor real de sua empresa pela identificação de seus valores internos. 1. ed. São Paulo: Makron Books, 1998.

ENSSLIN, Sandra Rolim; COUTINHO, Ivan Gabriel; REINA, Donizete; ROVER, Suliani; RITA, Cleyton O. Grau de Intangibilidade e Retorno Sobre Investimentos: Um estudo entre as 60 maiores empresas do índice Bovespa. Ciências Sociais em Perspectiva, Cascavel, v. 8, n. 14, p. 101-118, jan./jun. 2009.

HENDRIKSEN, E. S.; VAN BREDA, M. F. Teoria da contabilidade. São Paulo: Atlas, 1999.

IUDÍCIBUS, S. de. Teoria da contabilidade. 8. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

IUDÍCIBUS, Sérgio de; INSTITUTO DE PESQUISAS CONTÁBEIS, ATUARIAIS E FINANCEIRAS. Manual de contabilidade societária: aplicável a todas as sociedades. São Paulo: Atlas, 2010.

JUSTEN FILHO, M. Teoria geral das concessões de serviço público. São Paulo: Dialética, 2003.

KANGA, Helen H; GRAYB, Sidney J. Reporting intangible assets: Voluntary disclosure practices of top emerging market companies. The International Journal of Accounting, v. 46, n. 4, p. 402-423, Dec. 2011.

KAYO, Eduardo Kazuo. A estrutura de capital e o risco das empresas tangível e intangível-intensivas: uma contribuição ao estudo da valoração de empresas. 2002. 110 f. Tese (Doutorado em Administração) – Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002.

LEV, B. Intangibles: management, measurement, and reporting. Washington: Brookings Institution Press, 2001.

LIMA, E. M. Análise comparativa entre o índice disclosure e a importância atribuída por stakeholders a informações consideradas relevantes para fins de divulgação em Instituições de Ensino Superior Filantrópicas do Brasil: uma abordagem da Teoria da Divulgação. 2009. 200 f. Tese (Doutorado em Controladoria e Contabilidade) - Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Fundamentos de metodologia científica. 7. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

MEGLIORINI, E. Amostragem. In: CORRAR, L. J.; THEÓPHILO, C. R. (Coord.). Pesquisa operacional para decisão em contabilidade e administração: contabilometria. São Paulo: Atlas, 2004. p. 19-74.

MOURA, Geovanne Dias de et al. Relação entre ativos intangíveis e governança corporativa. Revista Contabilidade e Controladoria - RC&C, Curitiba, v. 5, n. 1, p.120-138, jan./abr. 2013.

PEREZ, Marcelo Monteiro; FAMÁ, Rubens. Ativos intangíveis e o desempenho empresarial. Revista Contabilidade & Finanças, São Paulo, n. 40, p. 7–24, jan./abr. 2006.

RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

RITTA, C.O.; ENSSLIN, S.R. ; RONCHI, S. H. A evidenciação dos ativos intangíveis nas empresas brasileiras: empresas que apresentaram informações financeiras à bolsa de valores de São Paulo e Nova York em 2006 e 2007. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, Campo Largo, v. 9, n. 1, p. 62-75, maio 2010.

SILVA, A. C. R. Metodologia da pesquisa aplicada à contabilidade: orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios, monografias, dissertações, teses. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

SANTOS, José Glauber Cavalcante dos; SILVA, Lília Sampaio; GALLON, Alessandra Vasconcelos; DE LUCA, Márcia Martins Mendes. Intangibilidade e inovação em empresas no Brasil. Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 9, n. 2, p.197-221, abr./jun. 2012.

STEWART, T.A. Capital intelectual: a nova vantagem competitiva das empresas. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

SVEIBY, K. E. A nova riqueza das organizações: gerenciando e avaliando patrimônios de conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 1998.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. São Paulo: Atlas, 2000.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Estudos Contábeis
ISSN: 2237-0099