Controladoria como um mecanismo de transparência e solidez em cooperativas de crédito – um estudo de caso no sistema sicredi

Cintia Siqueira

Resumo


O ideal cooperativo nasceu suscitado pelas mazelas da Revolução Industrial, no século XIX. Buscava-se uma forma de organização econômica capaz de integrar e desenvolver indivíduos impossibilitados sozinhos de acessarem aos fatores de produção e gerarem seu desenvolvimento. No início do século XX, esta filosofia atravessou o oceano, juntamente com os imigrantes europeus, que instigaram o sul do Brasil, dando origem às primeiras cooperativas brasileiras. Hoje, diversos setores organizam-se de forma cooperativa: agrícola, saúde, serviços, lazer, etc, e, objeto deste estudo: o cooperativismo de crédito. No entanto, apesar dos edificantes valores cooperativistas, o universo das cooperativas de crédito é povoado de mitos, acerca de sua solidez e confiabilidade. Todavia, este pensamento contradiz a inexistência de históricos de falência neste seguimento, o que justifica e incita à investigação do status quo do cooperativismo de crédito. Neste viés, o objetivo deste estudo concentra-se em verificar como a Controladoria, somada a aspectos legais e gerenciais, pode contribuir para a transparência, solidez e continuidade destas instituições. Utilizou-se como amostra as 119 cooperativas integrantes do Sistema SICREDI, das quais se extraíram através de entrevistas, observação participante e pesquisa documental e bibliográfica, informações inerentes à legislação, aos aspectos gerenciais e ao funcionamento da Controladoria. Como resultados, inferiu-se que o sistema em estudo utiliza-se dos mecanismos elencados para impulsionar seu crescimento e expansão.


Palavras-chave


Controladoria. Cooperativismo. Cooperativa de Crédito. Solidez.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, Maria Thereza Pompa. A controladoria e o capital intelectual: um estudo empírico sobre sua gestão. Contabilidade & Finanças – USP. São Paulo, v.17, n.41, p. 21-37, Maio/Ago. 2006.

BEUREN, Ilse Maria; ARTIFON, Renato Luis. Informações da controladoria de suporte à decisão logística. Revista Cesumar - Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Maringá, v. 16, n. 1, p. 73-102, jan./jun. 2011.

BORINELLI, Márcio Luiz. Estrutura conceitual básica de Controladoria: Sistematização à luz da teoria e da práxis. 2006. 341f. Tese (Doutorado em Contabilidade) – Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006.

BRASÍLIA. Lei 5.764, de 16 de dezembro de 1971.

BRASÍLIA. Resolução 3.859, de 27 de maio de 2010.

CRUZ, Bleise Rafael da. A prática da controladoria nos maiores bancos que operam no Brasil à luz de uma estrutura conceitual básica de controladoria. 2009. 145f. Dissertação (Mestrado em Ciências Contábeis) – Departamento de Contabilidade e Atuária da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

OLIVEIRA, Silvio Luiz de. Tratado de metodologia científica. 3. ed. São Paulo: Pioneira, 2001

PINHEIRO, Marcos Antonio Henriques. Cooperativas de Crédito – História da evolução normativa no Brasil. 6. ed. Brasília: BCB, 2008.

PESAVENTO, Fábio. Cooperativas de Crédito no Brasil e o surgimento do Sicredi/Sicredi. Porto Alegre: Sicredi, 2010.

Portal do Cooperativismo de Crédito, disponível em .

Portal do Sistema de Crédito Cooperativo – SICREDI, disponível em .

Relatório Anual 2011; SICREDI Centro Sul PR/SC.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Estudos Contábeis
ISSN: 2237-0099