Simulação de custos no uso de fontes alternativas de energia nas indústrias ceramistas de Manacacupu e Iranduba-AM

Fabiane Fernandes Pinto, Mariomar de Sales Lima, Luiz Roberto Coelho Nascimento, Sandro Dimy Barbosa Bitar

Resumo


As indústrias de cerâmica do Estado do Amazonas possuem grande representatividade na economia local e a falta de material para a geração de queima tem se apresentado como um dos maiores entraves desse setor. Por outro lado, com o advento do gasoduto Coari-Manaus essa limitação parece tender a uma solução definitiva. No entanto, os empresários desse setor ainda se mostram receosos quanto ao uso dessa nova tecnologia, em virtude dos prováveis investimentos que terão de ser realizados na mudança da matriz energética. Nesse sentido, a Embrapa tem realizado experimentos de plantios no uso de espécies nativas de acacia mangium para a produção de lenha a esse setor. Dessa forma, o presente estudo buscou realizar uma simulação de custos no uso do gás natural e da lenha de reflorestamento de acácia com vistas a identificar, do ponto de vista dos custos, a alternativa de energia que se mostra mais atrativa para o empresário. Para tanto, tomou-se como análise as etapas que envolvem o processo produtivo na fabricação de tijolos, identificando os custos e despesas diretas e indiretas e os custos e despesas variáveis e fixos, o que possibilitou, posteriormente, realizar uma análise do nível ótimo de produção no uso dessas duas matrizes energéticas. Dos resultados obtidos verificou-se que, a opção pelo reflorestamento com a acacia mangium vem a ser uma alternativa vantajosa aos empresários que vislumbram o curto prazo como garantia de retorno do investimento, ao contrario do gás natural que se apresenta como tecnologia vantajosa apenas no longo prazo.


Palavras-chave


Indústria de cerâmica. Custos. Geração de energia

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Sâmia Valéria dos Santos. Avaliação da Biomassa de Espécies Exóticas e Nativas como Fonte Alternativa para a Geração de Energia. 2006. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais e Ambientais) - Universidade Federal do Amazonas- UFAM, . Manaus, 2006.

CARNEIRO, Jorge M.T. et al. A importância dos custos na formação do preço. In: VERGARA, Silvia Constant (coord.); MOREIRA, Itamar (org.). Formação e administração de preços. 2. ed. Rev.atual. Rio de Janeiro: FGV, 2006. p. 65-86.

CASTRO, Nivalde; PACHECO, Carlos. Análise das Possibilidades de Expansão do Uso do Gás Natural na Indústria Cerâmica Brasileira. Rio de Janeiro: BGN nº2, IE - UFRJ, Fevereiro: 2009.

CUNHA, Fleury Cardoso da. Microeconomia: teoria, questões e exercícios. Campinas: Alínea, 2004.

D'ANTONA, Raimundo de Jesus Gato; et al. Diagnóstico Sócio-econômico do setor ceramista. In: ______. Projeto Materiais de construção na área Manacapuru-Iranduba-Manaus-Careiro: domínio Baixo Solimões. Manaus: CPRM – Serviço Geológico do Brasil, 2007.

HENRIQUE, Maurício F.; VILLAR, Sandra de Castro (orgs.). Alternativas para o Uso do Gás Natural na Região Norte. 1. ed. Rio de Janeiro: Instituto Nacional de Tecnologia, 2009.

LEFTWICH, Richard H. O sistema de preços e a alocação de recursos. 8. ed. São Paulo: Pioneira, 1997.

LIMA, Marcus Antonio de Souza. Coordenador do “Projeto GEOR/PROCOMPI” (Gestão Estratégica orientada para Resultados/Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias) do Polo Oleiro Cerâmico de Iranduba e Manacapuru. Entrevista pessoal concedida em 2011.

LOPES, Frank. Presidente da ACERAM- Associação dos Ceramistas do Estado do Amazonas. Entrevista pessoal concedida em 15 jan 2012.

MANNARINO, Ronaldo P. Impactos Socioeconômicos da Entrada do Gás Natural na Matriz Energética do Amazonas. T&C Amazônia, Manaus, Ano III, N. 6, p. 15-22. Jan. 2005.

MANSFIELD, Edwin. Microeconomia: Teoria e Aplicações. 2. ed. São Paulo: Campus, 1980.

Núcleo Estadual de Arranjos de Produtivos Locais – NEPL. Plano de Desenvolvimento Preliminar: APL de Base Mineral Cerâmico-Oleiro - Cidade Polo: Iranduba. Manaus: NEAPL, abril 2009.

PINDYCK, Roberto S. Microeconomia. São Paulo: Pearson, 1994.

SCHWOB, Marcelo Rousseau Valença. Perspectiva de difusão do gás natural na indústria de cerâmica vermelha. 2007. 352 f. Dissertação (Mestrado em Ciências em Planejamento Estratégico) - Departamento de Pós-Graduação de Engenharia, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

SEBRAE/ESPM. Diagnóstico do Polo Oleiro Cerâmico. In: Cerâmica Vermelha para a Construção: Telhas, Tijolos e Tubos – Estudo de Mercado SEBRAE/ESPM 2009.

VASCONCELLOS, Marco Antônio Sandoval de. Economia Micro e Macro. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Revista de Estudos Contábeis
ISSN: 2237-0099