Breve introdução à estética relacional

Nancy Dias da Silva Szaz, Maria Silvia Barros de Held

Resumo


Este artigo busca apresentar e conceituar a arte relacional, cujo objetivo é explorar e redefinir modelos de participação social. Trata-se de uma estética que se transformou em intérprete de um desejo compartilhado de reapropriação da dimensão coletiva, em resposta à progressiva desagregação e dispersão da dimensão social na época contemporânea.

Palavras-chave


Design; Estética; Arte; Contemporaneidade

Texto completo:

PDF

Referências


BARTHES, Roland. O óbvio e o obtuso. Lisboa, Edições 70, 1984. (Coleção Signos, vol. 42).

BATTCOCK, Gregory (org.) A nova arte. São Paulo: Perspectiva, 1986.

BENJAMIN, Walter. “A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica”. In: Obras escolhidas I. São Paulo: Brasiliense, 1987.

BISHOP, Claire Huchet. Installation art. A critical history. New York, Routledge, 2005.

BOURRIAUD, Nicolas. Estética relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

___________________. Pós-produção. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

DEBORD, GUY . A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997.

DUCHAMP, Marcel. O Ato Criador. In: BATTCOCK, Gregory. A Nova Arte. 2004.

ECO, Umberto. História da Beleza. Rio de Janeiro: Record, 2013.

MICHAUD, Yves. L'Art à l'état gazeux : Essai sur le triomphe de l'esthétique. Paris, Éditions Stock, 2003.

SANTOS, Jair F. dos. O que é pós-moderno. São Paulo: Brasiliense, 1986.

TAVANI, Elena. Promenade-Debord. Arte “relazionale” in città. in DE LUCA P., (Ed.) Visioni Metropolitane. Milano: Guerini e Associati, 2014, p. 81-103.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2236-2207.2021v12n3p280

Direitos autorais 2021 Projetica

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Projética

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2236-2207

projetica@uel.br

 

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença 
Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.