“Greve Geral! Greve Geral!”: austeridade e protestos contra as reformas fiscais (2016-2019)

Jonatha Vasconcelos Santos

Resumo


A última década tem sido marcada por uma intensa diversificação das formas de ação coletiva e do perfil dos atores engajados em mobilizações de rua. Diante disso, este artigo analisa os protestos, ocorridos em Sergipe, contra as reformas fiscais implementadas pelos governos Michel Temer (2016-2018) e Jair Bolsonaro (2019 – atual). Especificamente, o objetivo desse artigo consiste em investigar os enquadramentos, as redes de mobilização e a dinâmica dos protestos em torno da luta contra as reformas fiscais em Sergipe. Para isso,o recorte empírico consiste em 92 protestos catalogados no banco de dados Mobilizações de Rua em Sergipe (2010-2020) e a metodologia utilizada foi a análise de eventos de protestos. Os resultados apontam para a construção de três redes de mobilizações em torno das quais partidos políticos, sindicados movimentos sociais e coletivos construíram uma dinâmica contestatória que se caracteriza pela heterogeneidade dos repertórios de ação e pelo uso da greve enquanto ação tática.

Palavras-chave


Ações Coletivas; Enquadramentos; Austeridade; Greve Geral

Texto completo:

PDF

Referências


ALONSO, Angela. A política das ruas: protestos em São Paulo de Dilma a Temer. Novos Estudos – CEBRAP, São Paulo, v. 37, n. 1, p. 49–58, 2017.

ALONSO, Angela; MISCHE, Ann. Changing Repertoires and partisan ambivalence in the new brazilian protests. Bulletin of Latin American Research, Oxford, v. 36, n. 2, p. 139-280, 2017.

BENFORD, Robert D.; SNOW, David A. Framing processes and social movements: an overview and assessment. Annual Review of Sociology, Palo Alto, v. 26, n. 1, p. 611–639, 2000.

BRINGEL, Breno.Miopias, sentidos e tendências do levante brasileiro de 2013. In: BRINGEL, Breno; DOMINGUES, José M. (org.). As jornadas de junho em perspectiva global. Rio de Janeiro: Netsal-IESP, 2013. p. 16-29.

BRINGEL, Breno; PLEYERS, Geoffrey. Junho de 2013... Dois anos depois: polarização, impactos e reconfiguração do ativismo no Brasil. Nueva Sociedad: democracia e política en América Latina, San José, v. 259, p. 42-53, 2015.

CONTRA a PEC: alunos estão acampados na UFS há 4 dias. Infonet, Aracajú, 28 out. 2016. Disponível em: https://infonet.com.br/noticias/educacao/contra-a-pec-alunos-estao-acampados-na-ufs-ha-4-dias/. Acesso em: 10 fev. 2020.

DELLA PORTA, Donatella. Political economy and social movement studies: the class basis of anti-austerity protests. Antropology Theory, [s. l.], v. 17, n. 4, p. 453-473, 2017.

DIANI, Mário. The concept of social movement. The Sociological Review, London, v. 40, n. 1, p. 1-25,1992.

DIANI, Mário; BISON, Ivano. Organizações, coalizões e movimentos. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 3, p. 219-250, 2010.

DOWBOR, Monika; SWZAKO, José. Respeitável público... Performance e organização dos movimentos antes dos protestos de 2013. Novos Estudos – CEBRAP, São Paulo, n. 97, p. 43-55, 2013.

GOFFMAN, Erving. Os quadros da experiência social: uma perspectiva de análise. Petrópolis: Vozes, 2012.

HUTTER, Swen. Protest event analysis. In: DELLA PORTA, Donatella (org.). Methodological practices in social movement research. Oxford: Oxford University Press, 2014. p. 335-367.

JASPER, James M. Protesto: uma introdução aos movimentos sociais. Tradução de Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.

JASPER, James M. The art of moral protest: culture, biography, and creativity in social movements. Chicago and London: The University of Chicago Press, 1997.

LOPES, Moema. Confira o que vai funcionar nesta sexta de greve geral. Infonet, Aracajú, 29 jun. 2017a. Disponível em: https://infonet.com.br/noticias/politica/confira-o-que-vai-funcionar-nesta-sexta-de-greve-geral/. Acesso em: 3 mar. 2020.

MARTINS, Alcione. Manifestantes fecham loja no centro de Aracaju. Infonet, Aracajú, 30 jun. 2017b. Disponível em: https://infonet.com.br/noticias/economia/manifestantes-fecham-lojas-no-centro-de-aracaju/. Acesso em: 3 mar. 2020.

MEDEIROS, Jonas; JANUÁRIO, Adriano; MELO, Rúrion (org.). Ocupar e resistir: movimentos de ocupação de escolas pelo Brasil. São Paulo: Editora 34: FAPESP, 2019.

NOVAES, Ícaro; ESTÁCIO, Verlane. Estudantes ocupam Dom Luciano contra PEC 55. Infonet, Aracaju, 7 nov. 2016a. Disponível em: https://infonet.com.br/noticias/educacao/estudantes-ocupam-colegio-dom-luciano-contra-pec-55/. Acesso em: 2 mar. 2020.

PEREIRA, Matheus Mazzilli; SILVA, Camila Farias da. Movimentos sociais em ação: repertórios, escolhas táticas e performance. Sociologia e Antropologia, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 615-645, 2020.

SILVA, Marcelo K. #vemprarua: o ciclo de protestos de 2013 como expressão de um novo padrão de mobilização contestatória?. In: CATTANI, Antonio David (org.). #protestos: análises das ciências sociais. Porto Alegre: Tomo, 2014.

SILVA, Marcelo Kunrath; COTANDA, Fernando Coutinho; PEREIRA, Matheus Mazzilli. Interpretação e ação coletiva: o “enquadramento interpretativo” no estudo de movimentos sociais. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 25, n. 61, p.143-164, 2017.

SINGER, André. O lulismo em crise: um quebra-cabeça do período Dilma (2011-2016). São Paulo: Companhia das Letras, 2018.

TATAGIBA, Luciana. 1984, 1992 e 2013: sobre ciclos de protestos e democracia no Brasil. Política & Sociedade, Florianópolis, v.13, n. 28, p.35-62, 2014.

TATAGIBA, Luciana; GALVÃO, Andreia. Os protestos no Brasil em tempos de crise (2011-2016). Opinião Pública, Campinas, v. 25, n. 1, p. 63-96, 2019.

TILLY, Charles. Contentious performances. Cambridge: Cambridge University Press, 2008.

TILLY, Charles. Regimes and repertoires. Chicago: University of Chicago Press, 2006.

TRÓPIA, Patrícia Vieira; GALVÃO, Andréia; MARCELINO, Paula. A reconfiguração do sindicalismo brasileiro nos anos 2000: as bases sociais e o perfil político-ideológico da Conlutas. Opinião Pública, Campinas, v. 19, n. 1, p. 81–117, 2013.

VASCONCELOS, Aisla. Riachuelo: polícia que manifestantes abram a ponte. Infonet, Aracajú, 30 jun. 2017c. Disponível em: https://infonet.com.br/noticias/cidade/riachuelo-policia-quer-que-manifestantes-abram-a-ponte/. Acesso em: 3 mar. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2021v26n3p607

Direitos autorais 2022 Jonatha Vasconcelos Santos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International