De Manchester a São Paulo por Engels: condição espacial de moradia e tríplice precariedade de reprodução da classe trabalhadora periférica

Sandro Barbosa de Oliveira

Resumo


Este artigo homenageia os duzentos anos do nascimento de Friedrich Engels inspirado em seu estudo “A situação da classe trabalhadora na Inglaterra”, por meio de uma análise das condições de moradia de parte dos trabalhadores na metrópole de São Paulo, a partir das percepções do autor sobre Manchester, ao mostrar semelhanças e diferenças em seus processos de urbanização, desenvolvimento desigual no capitalismo e como as situações de precariedade das moradias impactam as condições de vida do proletariado. A partir das teses dessa obra que destacam a centralização na produção de mercadorias, a “solução” da “questão social” e o proletariado enquanto sujeito nas lutas, analisamos o histórico de construção de vilas operárias, favelização da cidade e autoconstrução de moradias por trabalhadores em São Paulo por meio da condição espacial, com objetivo de ampliar a apreensão dessas desigualdades urbanas pela tríplice precariedade entre trabalho, moradia, deslocamento e mediante ao estudo de caso de uma doméstica.

Palavras-chave


Classe Trabalhadora; Condição Espacial; Tríplice Precariedade; Tríplice Segregação; Friedrich Engels

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Glauco. Paraisópolis é a 2ª maior comunidade de São Paulo e moradores pedem ações sociais há pelos menos 10 anos. G1, São Paulo, 1 dez. 2019. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2019/12/01/paraisopolis-e-a-2a-maior-comunidade-de-sao-paulo-e-moradores-pedem-acoes-sociais-ha-pelos-menos-10-anos.ghtml. Acesso em:1 dez. 2020.

AZEVEDO, Aluísio. O cortiço. 30. ed. São Paulo: Ática, 1997.

BLAY, Eva Alterman. Eu não tenho onde morar: vilas operárias na cidade de São Paulo. São Paulo: Nobel, 1985.

CERIONI, Clara. Transporte público tem mais influência nas mortes por covid-19 em SP. Revista Exame, São Paulo, 10 ago. 2020. Disponível em: https://exame.com/brasil/transporte-publico-tem-mais-influencia-nas-mortes-por-covid-19-em-sp/. Acesso em: 15 jul. 2021.

CORREIA, Telma de Barros. Entrevista: o que são as vilas operárias: e o que resta delas no Brasil. [Entrevista cedida a] Juliana Domingos Lima. Nexo Jornal, São Paulo, 2019. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/03/24/O-que-s%C3%A3o-as-vilas-oper%C3%A1rias.-E-o-que-resta-delas-no-Brasil. Acesso em: 10 mar. 2020.

DAMATTA, Roberto. O que faz o Brasil, Brasil?. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder. Porto Alegre: Globo, 1984.

FARIAS, Márcio. Clóvis Moura e o Brasil: um ensaio crítico. São Paulo: Dandara, 2019.

FERNANDES, Florestan. A integração do negro na sociedade de classes. São Paulo: Globo, 2008.

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Global, 2007.

FOLHA DE S. PAULO. SP 450 Anos: vista do bairro do Morumbi, em São Paulo (SP), mostra prédio de apartamentos de luxo que faz divisa com a favela de Paraisópolis. Edição de 20/01/2004. Coleção Pirelli/Masp. (Negativo SP00861-2004).

FREYRE, Gilberto. Casagrande e senzala. São Paulo: Global, 2003.

GÓES, Weber Lopes. Racismo e eugenia no pensamento conservador brasileiro: a proposta de povo em Renato Kehl. São Paulo: Liber Ars, 2018.

HARVEY, David. O trabalho, o capital e o conflito de classes em torno do ambiente construído. Revista Espaço e Debates, São Paulo, n. 6, p. 6-35, jun./set. 1982.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. 2. ed. São Paulo: Annablume, 2006.

HOBSBAWN, Eric. Prefácio. In: ENGELS, Friedrich. La situation de la classe laborieuse em Angleterre. Paris: Éditions Sociales, 1961, p. 4-14.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. 26. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2002.

IBGE. Pesquisa nacional por amostra de domicílios: PNAD Contínua. Rio de Janeiro: IBGE, 2018.

JESUS, Carolina Maria de. Quarto de despejo: diário de uma favelada. São Paulo: Ática, 1993.

JOHNSON, Steven. O mapa fantasma: como a luta de dois homens contra o cólera mudou o destino de nossas metrópoles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

KOWARICK, Lúcio. A espoliação urbana. São Paulo: Paz e Terra, 1979.

LAVIOLA, Marlene Cárdia. Os primórdios da intervenção governamental no campo da habitação popular até os anos 30: um estudo de caso da cidade de São Paulo. 1995. Dissertação (Mestrado) – PUCSP, São Paulo, 1995.

LEFEBVRE, Henri. A produção do espaço. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2006.

LEFEBVRE, Henri. A revolução urbana. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

LEFEBVRE, Henri. O direito à cidade. São Paulo: Centauro Editora, 2009.

MAIS de 2 milhões de paulistanos ainda moram em favelas. Carta Capital, São Paulo, 30 nov. 2018. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/blogs/32xsp/mais-de-2-milhoes-de-paulistanos-ainda-moram-em-favelas/. Acesso em: 17 mar. 2020.

MARINI, Ruy Mauro. Dialética da dependência. Petrópolis: Vozes, 2000.

MORANGUEIRA, Vanderlice. Vila Maria Zélia: visões de uma vila operária em São Paulo. 2006. Dissertação (Mestrado) - FFLCH-USP, São Paulo, 2006.

MOURA, Clóvis. Dialética radical do Brasil negro. São Paulo: Anita Garibaldi, 1994.

MOURA, Clóvis. Rebeliões da senzala. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1988a.

MOURA, Clóvis. Sociologia do negro brasileiro. São Paulo: Ática, 1988b.

PAULO NETTO, José. Prefácio. In: ENGELS, Friedrich. A situação da classe trabalhadora na Inglaterra. São Paulo: Boitempo, 2010, p. 9-35.

RAGO, Margareth. Do cabaré ao lar: utopia da cidade disciplinar. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.

RODRIGUES, Arlete Moyses. Moradia nas cidades brasileiras: habitação e especulação: o direito à moradia, os movimentos populares. São Paulo: Contexto, 1990.

ROLNIK, Raquel; BONDUKI, Nabil. Periferia da grande São Paulo: reprodução do espaço como expediente de reprodução da força de trabalho. In: MARICATO, Ermínia (org.). A produção capitalista da casa (e da cidade) no Brasil industrial. São Paulo: Alfa-Omega, 1982, p. 117-154.

ROLNIK, Raquel; BONDUKI, Nabil. Periferias: ocupação do espaço e reprodução da força de trabalho. São Paulo: FAU USP: Fundação para Pesquisa Ambiental, 1979.

SCHWARCZ, Lilia Moritz. O espetáculo das raças. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

SCHWARTZ, Stuart B. Escravos roceiros e rebeldes. Bauru: EDUSC, 2001.

SOUZA, Jessé. A elite do atraso: da escravidão à Lava Jato. Rio de Janeiro: Leya, 2017.

VILLAÇA, Flávio. Espaço intra-urbano no Brasil. São Paulo: Studio Nobel, 1998.

VILLAÇA, Flávio. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2021v26n3p589

Direitos autorais 2022 Sandro Barbosa de Oliveira

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International