Ñemosarambipa: deslocamentos forçados entre os Guarani em Mato Grosso Do Sul

Rosa Sebastiana Colman

Resumo


Os principais elementos considerados neste trabalho é a localização dos Guarani em um território transnacional que estão presentes em quatro países: Bolívia, Brasil, Paraguai e Argentina. Resultando disso, os Guarani trabalham com noções e conceitos próprios de fronteira. Além disso, exploraremos a concepção guarani sobre mobilidade pois, atualmente há uma profunda ligação da caminhada dos povos guarani rumo ao leste, com a formação das Terras Indígenas já existentes e com as que estão em formação. E finalmente abordaremos o conceito de Ñemosarambipa, que significa em Guarani, ‘esparramo`. Este conceito é utilizado pelos Guarani para explicar o processo de dispersão das aldeias e famílias extensas no momento em que ocorreu a implantação das fazendas de gado e correspondente perda da terra. Desta forma, compreendemos que o processo de expulsão e confinamento deixou como uma das consequências, o “esparramo” (ñemosarambipa), que significou a desintegração e desestruturação social dos Guarani em Mato Grosso do Sul.

Palavras-chave


Fronteira; Mobilidade guarani; Territorialidade guarani

Texto completo:

PDF

Referências


BRAND, Antonio Jacó. O impacto da perda da terra sobre a tradição Kaiowá/Guarani: os difíceis caminhos da palavra. Tese de doutorado. Porto Alegre: PUC/RS, 1997.

BRAND, Antonio Jacó. Os Kaiowá/Guarani no Mato Grosso do Sul e o processo de confinamento: a entrada dos nossos contrários. In: COMISSÃO PRÓ-INDIO DE SÃO PAULO. Rosa Sebastiana Colman| Ñemosarambipa 71 MPF/3ª Região. Conflitos de direitos sobre as terras Guarani e Kaiowá no estado de Mato Grosso do Sul. São Paulo: Palas Athena, 2000. p. 93-131.

BRAND, A. J.; COLMAN, Rosa S. Os Guarani na fronteira do Brasil, Paraguai e Argentina: uma viagem de intercâmbio Guarani. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE ANTROPOLOGIA, 27., 2010, Belem. Anais [...]. Belém: UFPA, 2010.

BRAND, Antonio. J. ; ALMEIDA, Fernando Augusto Azambuja de; FERREIRA, Eva Maria L; COLMAN, Rosa Sebastiana e SOUSA, N. M. de. As Fronteiras Guarani na Província do MT (1749-1910). In: II Seminário Internacional América Platina. Dialogo Regional e Dilemas Contemporâneos. v. 1. Campo Grande: Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, 2008.

CEPAL. Panorama Social da América Latina. Publicación de las Naciones Unidas. Santiago de Chile: CEPAL, 2006.

CICCARONE, Celeste. Drama e sensibilidade: migração, xamanismo e mulheres mbyá. Revista de Índias, Vitória, v. 64, n. 230, p. 81-96, 2004.

LADEIRA, Maria Inês. O caminhar sob a Luz: o território Mbyá à beira do oceano. São Paulo: Editora Unesp, 2007.

MELIÀ, bartomeu. Rostro índio de Dios: los ameríndios cristianos. Quito: Abya Yala, 1991.

NICKSON, Andrew. Colonizacion Brasileña en La Region Fronteriza Oriental del Paraguay. In: CONFERÊNCIA SOBRE DESARROLLO DEL AMAZONAS EN SIETE PAÍSES, 1976, Cambridge. Anales ... Cambridge: Universidad de Cambridge/Centre of Latin American Studies, 1976.

NIMUENDAJÚ, Curt Unkel. As Lendas de Criação e Destruição do Mundo como fundamentos da religião dos Apapocúva-Guarani. São Paulo: Hucitec; Universidade de São Paulo, 1987.

PEREIRA, Levi Marques. Mobilidade e Processos de Territorialização entre os kaiowá Atuais. Revista História em Reflexão, Dourados, v. 1 n. 1, Jan/Jun 2007. Disponível em: http://www.periodicos.ufgd.edu.br/index.php/historiaemreflexao/article/view/490/360 Acesso em: 28 jan.2013.

PEREIRA, Levi Marques. Relatório Circunstanciado de Identificação e Delimitação da Terra Indígena Guarani-Kaiowá Arroio-Korá. Município de Paranhos, Mato Grosso do Sul. Brasília: FUNAI, 2001 Documentação FUNAI. (mímeo).

PISSOLATO, Elizabeth de Paula. A duração da pessoa: mobilidade, parentesco e xamanismo Mbya (Guarani). São Paulo: Editora da UNESP, 2007.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2176-6665.2017v22n2p51

Direitos autorais 2017 Rosa Sebastiana Colman

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

         

 

                       

 

 

Mediações - Revista de Ciências Sociais

Londrina - PR

E-ISSN: 2176-6665

Email: mediacoes@uel.br  

Mediações utiliza a licença Creative Commons Attribution 4.0 International