Paisagens invisíveis da trilogia Nitecki: de Aristóteles e Platão a Lenin e Trotsky

Gustavo Silva Saldanha

Resumo


Objetivo: A pesquisa investiga o método cartográfico-epistemológico da Trilogia Nitecki e seus principais resultados para a compreensão da epistemologia histórica da Ciência da Informação.
Metodologia:
Do ponto de vista metodológico, a pragmática da linguagem, sob influência wittgensteiniana para a pesquisa diacrônica, é a base da pesquisa, de cultura descritiva, com foco na reflexão sobre as epistemologias históricas do campo. A metáfora-ferramenta das cartografias, como um metamétodo, é aplicada como lente da análise. Tal metáfora-ferramenta é acompanhada pela narrativa do romancista e contista Ítalo Calvino em As Cidades Invisíveis.
Resultados: O (re)encontro com a Trilogia Nitecki nos conduz a alguns importantes elementos da epistemologia da Ciência da Informação e da reflexão sobre a própria tarefa metaepistemológica constituída nos anos 1990 pelo pesquisador, com destaque para a epistemologia histórica esquecida, a disputa terminológica do campo e a passagem do universal para o particular. Em contrapartida, observa-se criticamente os problemas da Trilogia, centralmente, a influência anglófona fechada, o não aprofundamento em cartografias anglófonas anteriores e a ausência de teoria crítica, ou da dialética como método metaepistemológico para uma leitura transversal da cartografia constituída pela estrada niteckiana.
Conclusões: O devir cartográfico-epistemológico do campo representa um dos elementos conclusivos centrais da pesquisa, a partir dos horizontes revisitados pela Trilogia Nitecki, junto à perspectiva diacrônica de seu letramento cartográfico. Indica-se, por fim, a necessidade de um devir anti-epistemicida a ser colocado como núcleo das cartografias críticas futuras da Ciência da Informação.

 


Palavras-chave


Epistemologia da ciência da informação; Trilogia nitecki; Cartografia epistemológica; Epistemologia histórica; Mapas do conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


CALVINO, Italo. As cidades invisíveis. São Paulo: Biblioteca Folha, 2003.

ESTIVALS, Robert. Prospective, méthodologie et théorie de la schématisation. Schéma et schématisation, n. 1, p. 58-67, 1968.

ESTIVALS, Robert. Théorie généralle de la bibliologie, Schéma et schématisation, n. 5, p. 5-32, 1975.

JOSEY, E. J.; SCHOCKLEY, A. A. Handbook of black librarianship. Littleton, Colorado: Libraries Unlimited, 1977.

MOSTAFA, Solange Puntel. Epistemologia da Biblioteconomia. 1985. Tese (Doutorado em Educação: História, Política, Sociedade) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1985.

NITECKY, Joseph. Metalibrarianship: A Model for Intellectual Foundations Of Library Information Science. 1993. Disponível em: https://web.archive.org/web/20090310180826/http://www.twu.edu/library/Nitecki/. Acesso em: 20 mar. 2020.

NITECKY, Joseph. Philosophical Aspects Of Library Information Science In Retrospect. 1995. Disponível em: https://web.archive.org/web/20090310180826/http://www.twu.edu/library/Nitecki/. Acesso em: 20 mar. 2020.

NITECKY, Joseph. Philosophical Ancestry Of American Library Information Science. 1997. Disponível em: https://web.archive.org/web/20090310180826/http://www.twu.edu/library/Nitecki / Acesso em: 20 mar. 2020.

LAUDAN, Larry.; DONOVAN, Arthur.; LAUDAN, Rachel.; BARKER, Peter.; BROWN, Harold.; LEPLIN, Jarrett.; THAGART, Paul.; WYKSTRA, Steve. Mudança científica: modelos filosóficos e pesquisa histórica. Estudos Avançados, São Paulo, v. 7, n. 19, p. 7-19, 1993. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/eav/article/view/9630. Acesso em: 20 mar. 2020.

MENEZES, Vinícios Souza. Rasum tabulae: um limiar metafórico-escritural dos estudos da informação. 2017. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2017. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/944. Acesso em: 20 mar. 2020.

OTLET, Paul. Traité de documentation: le livre sur le livre: théorie et pratique. Bruxelas: Editiones Mundaneum, 1934.

OTLET, Paul. L’organisation des travaux scientifiques. In: ASSOCIATION FRANÇAISE POUR L’AVANCEMENT DES SCIENCES. Conférences faites en 1919-1921. Paris. Anais […]. Paris: Association Française pour L’Avancement des Sciences, 2019. p. 13-50.

PEIGNOT, G. Dictionnaire raisonné de bibliologie, tomo I. Paris: Chez Villier, 1802.

ROUBAKINE, Nicolas. Introduction a la psychologie bibliologique. Paris: Association Internacionale de Bibliologie, 1998a. v. 1

ROUBAKINE, Nicolas. Introduction a la psychologie bibliologique. Paris: Association Internacionale de Bibliologie, 1998b. v. 2.

SALDANHA, Gustavo Silva. Sem e cem teorias críticas em ciência da informação: Autorretrato da teoria social e o método da crítica nos estudos informacionais, uma bibliografia benjaminiana aberta. In: BEZERRA, Arthur Coelho; SCHNEIDER, Marco; PIMENTA, Ricardo M.; SALDANHA, Gustavo Silva. (org.). iKritika: estudos críticos em informação. 1. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2019. p. 171-240.

SCHRADER, Alvin. Toward a new theory of library and information science. Indiana (EUA): School of Library and Information Science. 1983. Thesis (Doctorate) - Indiana University, 1983.

SILVA, Franciéle Carneiro Garcês. Representações Sociais acerca das Culturas Africana e Afro-Brasileira na Educação em Biblioteconomia no Brasil. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal do Rio de Janeiro/Escola de Comunicação, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2019. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/1047. Acesso em: 20 mar. 2020.

SILVA, Leyde Klebia Rodrigues. Feminismo negro e epistemologia social: trajetórias de vida de pesquisadoras negras em Biblioteconomia e Ciência da Informação. 2020. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia, Rio de Janeiro, 2020. Disponível em: https://ridi.ibict.br/handle/123456789/1166. Acesso em: 20 mar. 2020.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Tratado Lógico Filosófico; Investigações filosóficas. 3. ed. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.

WITTGENSTEIN, Ludwig. Investigações Filosóficas. 2. ed. Tradução: José Carlos Bruni. São Paulo: Abril Cultural, 1979.

SOUZA, Sebastião de. Fundamentos filosóficos da Biblioteconomia. Revista de Biblioteconomia de Brasília, v. 14, n. 2, p. 189-196, jul./dez. 1986




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n4p223

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional