Epistemologias feministas e ciência da informação: notas introdutórias

Carlos Cândido de Almeida

Resumo


Objetivo: Considerando as respostas aos problemas centrais que se impõem ao feminismo na ciência, o trabalho apresenta os tópicos gerais das discussões presentes nas epistemologias feministas tendo em vista subsidiar o artigo que tratará dos desdobramentos para a ciência da informação.
Metodologia: O estudo utilizou uma abordagem bibliográfica, mas foi redigido na forma de ensaio. Na primeira parte se identificou a dificuldade de pensar o feminismo como uma corrente coesa. Para tanto, foi necessário revisar os conceitos básicos da discussão.
Resultados: As perspectivas empirismo feminista, ponto de vista feminista e pós-modernismo feminista, são formas de responder aos problemas epistemológicos da ciência. Contudo, possuem limitações, embora sejam fundamentais para a reflexão da relação entre feminismo e ciência.
Conclusões: Para as epistemologias feministas, assim como para o próprio movimento feminista, é necessário um combate ao relativismo, uma reinstauração do realismo e de um objetivismo mais potente que seja aperfeiçoado pela visão das mulheres, além da redução do paradigma do domínio da natureza e da sociedade e a inclusão de outros tipos de conhecimento como importantes para o início do processo heurístico, tal como a emoção. Com base nos argumentos relacionados, pode-se refletir sobre a ciência da informação e como as pesquisas no campo têm se posicionado frente às premissas epistemológicas feministas.


Palavras-chave


Epistemologias feministas; Ciência da informação; Empirismo feminista; Ponto de vista feminista; Objetivismo

Texto completo:

PDF

Referências


BENHABIB, S. Feminismo y posmodernidad: una difícil alianza. In: AMOROS, C.; MIGUEL, A. (ed.). Teoría feminista: de la Ilustración a la globalización 2, del feminismo liberal a la posmodernidad. Madrid: Biblioteca Nueva, 2020. Cap. 10, p. 319-342.

BORGES, I. F. Bancada feminina no Senado terá 12 integrantes em 2019. Senado Notícias, 31/01/2019. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/noticias/materias/2019/01/31/bancada-femininano-senado-diminui-em-2019. Acesso em: 29/06/2021.

GETTIER, E. L. Conhecimento é crença verdadeira justificada? Perspectiva Filosófica, Recife, v. 1, n. 39, p.124-127, jan./jun. 2013.

HARAWAY, D. Manifiesto cíborg: ciencia, tecnología y feminismo socialista a fines del siglo XX. 2. ed. Antequera, Málaga: Kaótica Libros, 2020.

HARAWAY, D. Sociologia animal e economia natural do corpo político, parte II: o passado é um campo de batalha. In: LEVY, T.; QUEIROZ, C. (org.). Ciência e género: quatro textos de quatro mulheres. Lisboa: Cadernos de Filosofia das Ciências-CFCUL, 2005. p. 79-108.

HARDING, S. Ciencia y feminismo. San Sebatián de los Reyes: Ediciones Morata, 2016.

KELLER, E. F. Feminismo e ciência. In: LEVY, T.; QUEIROZ, C. (org.). Ciência e género: quatro textos de quatro mulheres. Lisboa: Cadernos de Filosofia das Ciências-CFCUL, 2005. p. 55-79.

MARTÍNEZ, M. Epistemología feminista y postmodernidad. Cinta Moebio: Revista de Epistemología de Ciencias Sociales, San Tiago, v. 16, p. 50-56. 2003. Disponível em: www.moebio.uchile.cl/16/martinez.html. Acesso em: 12 dez. 2021.

PEIRCE, C. S. Escritos coligidos. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1980.

PÉREZ P., L. Epistemología feminista y conocimientos desde el Sur global. Ecología Política: Cuadernos de Debate Internacional, Vilanova i la Geltrú (España), v. 54, p. 65-69, 2017.

RODRÍGUEZ MAGDA, Rosa María. Género. In: COBO BEDIA, R.; RANEA TRIVIÑO, B. (ed.). Breve diccionario de feminismo. Madrid: Editorial Catarata, 2020. p. 119-121.

ROSE, H. Epílogo: o trabalho das mulheres nunca está feito. In: LEVY, T.; QUEIROZ, C. (org.). Ciência e género: quatro textos de quatro mulheres. Lisboa: Cadernos de Filosofia das Ciências – CFCUL, 2005. p. 109-130.

SANTOS, B. S. Introdução a uma ciência pós-moderna. 3. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2000.

SAU, Victoria. Diccionario ideológico feminista I. Barcelona: Icaria, 2000.

SCHEMAN, Naomi. Epistemologia feminista. Revista Ideação, Feira de Santana, n. 42, p. 30-44, jul./dez. 2020.

SCHIEBINGER, Londa. Has feminism changed science? Cambridge: Harvard University Press, 2001.

SERRET BRAVO, Estela. Epistemología feminista. In: COBO BEDIA, R.; RANEA TRIVIÑO, B. (ed.). Breve diccionario de feminismo. Madrid: Editorial Catarata, 2020. p. 85-87.

VARELA MENÉNDEZ, Nuria. Feminismo para principiantes. Barcelona: Penguin Random House Grupo Editorial, 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n4p48

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional