Análise de Tags na venda de frutas da Amazônia brasileira em rede social

Amanda Garcia Gomes, Fernando de Assis Rodrigues, Franciele Marques Redigolo, Mariângela Spotti Lopes Fujita

Resumo


Objetivo: Analisar as tags para caracterizar a indexação social nos anúncios de venda de frutas amazônicas, dentro de um Serviço de Rede Social On-line.
Metodologia:
Os procedimentos metodológicos foram realizados através de uma análise exploratória, de cunho experimental com participação direta; a coleta de dados selecionou os anúncios que tratam individualmente sobre cada fruta no Facebook Marketplace.
Resultados: A partir das análises dos conjuntos de dados foi possível verificar os aspectos da utilização das tags nos anúncios quanto à quantidade e frequência, classificou-se as tags a partir da função que cada uma desempenha em relação ao recurso indexado pelo usuário. Além disso, observou-se aspectos quanto à localização geográfica e a representação do conteúdo no título do anúncio.
Conclusões
: Foi possível identificar a indexação social no uso das tags no SRSO Facebook Marketplace quando se trata de frutas amazônicas, pois as tags são constituídas de valor semântico e não apenas fragmentos textuais descontextualizados: possuem aspectos intrínsecos que depende do usuário ou dos grupos de usuários, a qual utilizam com a finalidade de atribuir uma interpretação que pode variar diante do contexto.


Palavras-chave


Indexação. Indexação Social. Folksonomia. Redes Sociais Online

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXA. The top 500 sites on the web. Estados Unidos da América: Amazon, 10 jan. 2020. Disponível em: https://www.alexa.com/topsites. Acesso em: 10 jun. 2021.

BOYD, D. M.; ELISSON, N. B. Social Network Sites: Definition, History, and Scholarship. Journal of Computer-Mediated Communication, v. 13, n. 1, p. 210-230, out. 2007.

CATARINO, M. E.; BAPTISTA, A. A. Folksonomias: características das etiquetas na descrição de recursos da Web. Informação & Informação, v. 14, n. 1 esp., p. 46-67, dez. 2009.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Amazônia é berço de frutas nativas de alto potencial comercial. Brasília: EMBRAPA, 2016.

FOGL, J. Relations of the concepts 'information' and 'knowledge'. International Forum on Information and Documentation, The Hague, v. 4, n. 1, p. 21-24, 1979.

GOLDER, S. A.; HUBERMAN, B. A. The structure of collaborative tagging systems. Journal of Information Science. e, v. 32, n. 2, p. 198–208, 2006.

GOUVÊA, C.; LOH, S. Folksonomias: identificação de padrões na seleção de tags para descrever conteúdos. Revista Eletrônica de Sistemas de Informação, v. 6, n. 2, dez. 2007.

GUEDES, R. M.; DIAS, E. J. W. Indexação social: abordagem conceitual. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 15, n. 1, p. 39-53, jan./jun. 2010.

GUEDES, R. M.; MOURA, M. A.; DIAS, E. J. W. Indexação social e pensamento dialógico: reflexões teóricas. Informação & Informação, v. 16, n. 3, p. 40-59, 2011. DOI: 10.5433/1981-8920.2011v16n3p40.

GUIMARÃES, J. A. C. Abordagens teóricas de tratamento temático da informação (TTI): catalogação de assunto, indexação e análise documental. Ibersid: revista de sistemas de información y documentación, v. 3, p. 105-117, 2009.

HAMMOND, T. et al. Social Bookmarking Tools (I): a general review. D-Lib Magazine, v.11, n. 4, 2005.

HASSAN-MONTERO, Y. Indización social y recuperación de información. No Solo Usabilidad Journal, Granada, n. 5, nov. 2006.

KAPSIKAR, K. et al. Controlling Fake News by Collective Tagging: A Branching Process Analysis. IEEE Control Systems Letters, v. 5, n. 6, p. 2108-2113, dez. 2021. DOI: 10.1109/LCSYS.2020.3045299.

LANCASTER, F. W. Information retrieval on-line. Los Angeles: Melville, 1973.

LARA, M. L. G.; LIMA, V. M. A. Termos e conceitos sobre redes sociais colaborativas. In: POBLACIÓN, D.; MUGNAINI, R.; RAMOS, L. M. S. V. C. (org.). Redes sociais e colaborativas em informação científica. São Paulo: Angellara, 2009.

LE COADIC, Y. F. A Ciência da informação, 2. ed. Brasília, DF: Briquet de Lemos/Livros, 2004.

MATHES, A. Folksonomies: cooperative classification and communication through shared metadata. 2004. Disponível em: http://www.adammathes.com/academic/computermediatedcommunication/folksonomies.pdf. Acesso em: 10 jun. 2021.

MORAES, L. B.; LOBO, P. M. S. Folksonomia: a tagzação da informação na era digital. Revista Bibliomar, v. 19, n. 1, p. 110-124, 2020.

MOURA, M. A. Informação, ferramentas ontológicas e redes sociais ad hoc: a interoperabilidade na construção de tesauros e ontologias. Informação e Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 19, n. 1, p. 59-73, jan./abr. 2009.

QUINTARELLI, E. Folksonomies: power to the people. In: ENCONTRO ISKO ITÁLIA - UNIMIB, 2005, Milan. Anais [...] Milan: ISKO Itália, 2005.

RAFFERTY, P. Tagging. Knowledge Organization: KO. Wuerzburg, v. 45, n. 6, 2018. DOI:10.5771/0943-7444-2018-6-500.

RECUERO, R. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

RODRIGUES, F. A. Coleta de dados em redes sociais: privacidade de dados pessoais no acesso via Application Programming Interface. 2017. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Estadual Paulista, Marília, 2017.

SANTOS, H. P. Etiquetagem e folksonomia: o usuário e sua motivação para organizar e compartilhar informação na Web 2.0. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 18, n. 2, p. 91-104, jun. 2013.

SANTOS, R. F. Modelos colaborativos de indexação social e a sua aplicabilidade na base de dados referencial de artigos de periódicos em ciência da informação (BRAPCI). 2016. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2016.

SANTOS, R. F.; CORRÊA, R. F. Modelos colaborativos de indexação social e sua aplicabilidade em bibliotecas digitais. Liinc em Revista, v. 11, n. 1, 28 maio 2016.

SANTOS, R. F.; CORRÊA, R. F. Análise das definições de folksonomia: em busca de uma síntese. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 23, n. 2, p. 1-32, 2018.

SANTOVENIA GONZALEZ, O. M. Folkonomias: o valor agregado da indexação social na web. ACIMED, Ciudad de La Habana, v. 20, n. 3, p. 82-91, set. 2009.

SOUSA, R. J. P. L.; BENETTI, M. Indexação social no Skoob: a descrição do livro “o mundo de sofia” a partir de tags e resenhas. Informação & Informação, v. 21, n. 1, p. 520-541, 2016. DOI: 10.5433/1981-8920.2016v21n1p520.

STATISTA. Number of social media users worldwide from 2010 to 2020 (in billions). Social Media & User-Generated Content. 2020. Disponível em: https://www.statista.com/statistics/278414/number-of-worldwide-social-network-users/ Acesso em: 10 mar. 2021.

STURTZ, D. N. Communal categorization: the folksonomy. 10 jan. 2004. Disponível em: http://www.davidsturtz.com/drexel/622/communalcategorization-the-folksonomy.html. Acesso em: 20 jun. 2021.

VALONGUEIRO, A. Sobre folksonomia, tags e afins. 2006. Disponível em: http://valongueiro.blogspot.com/2006-10-01-archive.html. Acesso em: 11 jan. 2020.

VIANA, J. M. A.; DAL’EVEDOVE, P. R.; GRACIOSO, L. S. Observações Pragmáticas na Indexação Social. In: BARROS, T. H. B.; TOGNOLI, N. B. (org.). Organização do Conhecimento responsável: promovendo sociedades democráticas e inclusivas, Belém: EdUFPA, 2019, p. 77-83.

VIEIRA, A. F. G.; GARRIDO, I. D. S. Folksonomia como uma estratégia para recuperação colaborativa da informação. DataGramaZero, v. 12, n. 2, 2011.

WAL, T. V. Folksonomy definition and wikipedia. 2005. Disponível em: https://www.vanderwal.net/random/entrysel.php?blog=1750. Acesso em: 22 nov. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n3p499

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional