Teoria crítica, pedagogia crítica e competência crítica em informação: aproximações teóricas à ciência da Informação

Daniel Martínez Ávila, Mariana Rodrigues Gomes de Mello

Resumo


Objetivo: O objetivo principal é refletir acerca das aproximações teóricas, no que tange ao papel da emancipação, na Escola de Frankfurt, em Freire e na competência crítica em informação e as implicações deste tripé epistemológico na Ciência da Informação (CI).
Metodologia: Metodologicamente trata-se de um texto argumentativo e critico fundamentado por uma revisão bibliográfica da literatura.
Resultados: Foi verificado que a teoria crítica, a pedagogia crítica e competência crítica em informação são temáticas que se aproximam epistemologicamente em face das suas naturezas emancipatórias.
Conclusão: Conclui-se que a teoria critica, a pedagogia crítica e competência crítica em informação pertencerem à contextos históricos-sociais diversos, formam um tripé, um corpo teórico consistente a fim de repensar o modelo de Educação no mundo, de modo mais libertário e democrático, o que recai em outros domínios, como o da CI.


Palavras-chave


Epistemologia; Pedagogia crítica; Competência crítica em informação; Teoria crítica

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W; HORKHEIMER, M. Dialética do esclarecimento. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Sociedade e Biblioteconomia. São Paulo: Polis, 1997.

BELLUZZO, Regina Celia Baptista. A competência em informação no Brasil: cenários e espectros. São Paulo: ABECIN, 2018.

BELLUZZO, R. C. B.; SANTOS, C. A. D.; JUNIOR, O. F. A. A competência em informação e sua avaliação sob a ótica da mediação da informação: reflexões e aproximações teóricas. Informação & Informação, v. 19, n. 2, p. 60-77, 2014.

BELLUZZO, R. C. B; FERES, G.G . Competência em informação, redes de conhecimento e as metas educativas para 2021: reflexões e inter-relações. In: BELLUZZO, R. C. B.; FERES, G. G.; VALENTIM, M. L. P. (Org.). Redes de conhecimento e competência em informação: interfaces da gestão, mediação e uso da informação/organização. Rio de Janeiro: Intercedência, 2015. p. 1-35

BORGES, V. A reconstrução de uma ética pedagógica libertadora a luz de Paulo Freire. Curitiba: CRV, 2013.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da Republica Federativa do Brasil. São Paulo: Revista dos Tribunals, 2013.

BRISOLA, A. C.; DOYLE, A. Critical Information Literacy as a Path to Resist Fake News: Understanding Disinformation as the Root Problem. Open Information Science, v. 3, p. 274-286, 2019.

BURCH, S. Sociedade da Informação/sociedade do conhecimento, p. 1-8, 2006 .Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4036223/mod_resource/content/2/Sally%20Burch%20Sociedade%20da%20Informação%20-%20Copia.pdf. Acesso em: 01 maio 2021.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 2013.

CORTELLA, M. S. A escola e o conhecimento: fundamentos epistemológicos e políticos. São Paulo: Cortez, 2016.

CELOT, P.; TORNERO, J. M. P. Study on Assessment Criteria for Media Literacy Level. Brussels: edit by EAVI for the European Commission, 2009.

DOYLE, A. Ideologia e competência crítica em informação: um olhar para movimentos de biblioteconomia crítica. Folha de Rosto, v. 4, n. 1, p. 25-33, 2018. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/39843. Acesso em: 26 abr. 2021.

DOHERTY, J. D; KETCHNER, K. Empowering the Intentional Learner: A Critical Theory for Information Literacy Instruction. Library Philosophy and Practice, v. 8, n. 1, 2005. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/28106825_Empowering_the_Intentional_Learner_A_Critical_Theory_for_Information_Literacy_Instruction. Acesso em: 26 abr. 2021.

ELMBORG, J. Critical Information Literacy: Implications for instructional pratices. The Journal of Academic Librarianship, p. 192-199, 2006. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0099133305001898. Acesso em: 26 abr. 2021.

FOUCAULT, M. A arqueologia do saber. 8.ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários a prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2011;

FREIRE, P. Política e educação. São Paulo: Cortez, 1995.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1999.

GIROUX, H. Os professores como intelectuais. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997;

GIROUX, H. Escola crítica e política cultural. São Paulo: Cortez, 1992.

HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

HABERMAS, J. Pensamento pós-metafísico: estudos filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1990.

HABERMAS, J. Teoria do agir comunicativo. São Paulo: Martins Fontes, 2012. v. 1.

JACOBS, H. Information Literacy and Reflective Pedagogical Praxis. The Journal of Academic Librarianship, v. 34, n. 3, p. 256-262, 2008. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/222033109_Information_Literacy_and_Reflective_Pedagogical_Praxis. Acesso em: 01 maio 2021.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 9.ed. São Paulo: Perspectiva, 2006.

LIMA, C. R. M.; LIMA, J. R. T.; GuNTHER, H. F. Competência comunicativa para problematização e aprendizagem em organizações. Revista P2P e INOVAÇÃO, v. 5, n. 2, p. 200-219, 2019. Disponível em: http://revista.ibict.br/p2p/article/view/4596. Acesso em: 01 maio 2021.

LUCCA, D. M.; VITORINO, E. V. Competência em informação e suas raízes teórico-epistemológicas da ciência da informação: em foco, a fenomenologia. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 25, n. 3, p. 22-48, 2020. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/146870. Acesso em: 26 abr. 2021.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar: o que é? Por quê? como fazer? São Paulo: Moderna, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Técnicas de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2013.

MCLAREN, P. A vida nas escolas: uma introdução á pedagogia crítica nos fundamentos da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997.

MELLO, M. R. G.; MARTÍNEZ-ÁVILA, D.; ARAÚJO, L. M.; VALENTIM, M. L. P. Entre técnica e reflexão: um estudo da função social das bibliotecas públicas a partir da teoria crítica. Informação & Informação, v. 25, n. 4, p. 377-401, 2020. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/download/156405. Acesso em: 03 maio 2021.

NIETZSCHE, F. W. A gaia Ciência. 2.ed. São Paulo: Escala, 2008.

NIETZSCHE, F. W. Genealogia da moral, uma polêmica. São Paulo: Masdras, 2010.

RIGHETTO, G. G.; CUNHA, M. F. V.; VITORINO, E. V. O papel social do bibliotecário voltado às pessoas trans: aproximações teóricas. Em Questão, v. 25, n. 1, p. 212-238, 2019.

SAMPAIO, T. M. M. A emancipação política em Habermas. Síntese: Revista de Filosofia, v.26, n. 85, p. 259-268, 1999.

SILVA, J. A. Curso de direito constitucional positivo. São Paulo: Malheiros, 2000.

SILVA, N.; VERAS, V. Da teoria dos atos de fala à nova pragmática: os legados de John L. Austin e Kanavillil Rajagopalan. Delta: Documentação de Estudos em Linguística Teórica e Aplicada, v. 32, n. 3. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-44502016000300005. Acesso em: 01 maio 2021.

SILVA, C. R. S.; NUNES, J. V.; TEIXEIRA, T. M. C. Do conceito de informação ao discurso sobre competência em informação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 11, n. 2, p. 185-205, 2020. Acesso em: 26 abr. 2021.

SIMMONS, M. H. Librarians as disciplinary discourse mediators: using genre theory to move toward critical information literacy. Libraries & the Academy Portal, p. 297–311, 2005. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/70409175.pdf. Acesso em: 03 maio 2021

STEVENS, L. P.; BEAN, T. W. Critical Literacy: context, research, and practice in the K-12 classroom.Thousand Oaks: Sage Publications, Inc. 2007. Disponível em: http://books.google.com/books?id=PxxFGlvlmXwC&printsec=frontcover&dq=Critical+Literacy&client=fi refox-a&cd=3#v=onepage&q=&f=false. Acesso em: 21 abr. 2021.

TOMPKINS, G. E. Literacy for the 21st Century, A Balanced Approach. Boston: Pearson Education Inc, 5th Edition, 2010.

VITORINO, E. V.; PIANTOLA, D. Competência Informacional – bases históricas e conceituais: construindo conceitos. Ciência da Informação, v. 38, n. 3. p.130-141, 2009. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/1236. Acesso em: 21 abr. 2021.

ZURKOWSKI, P. Information services environment: relationships and priorities. Washington: National Commission on Libraries, 1974.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n4p1

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional