Desinformação e comportamento informacional nas mídias sociais: a divulgação científica na prevenção ao novo coronavírus

Maurício de Vargas Corrêa, Sônia Elisa Caregnato

Resumo


Introdução: O clima de insegurança sobre a pandemia de Covid-19, a carência de informações precisas e o uso crescente das tecnologias de informação e comunicação parecem ter contribuído para impulsionar a produção e circulação de informações enganosas nas mídias sociais. Objetivo: O presente estudo teve por objetivo caracterizar as práticas discursivas associadas ao “Vídeo do álcool gel no WhatsApp é mentira” e identificar expressões do comportamento informacional nos comentários ao vídeo. Metodologia: A análise de conteúdo foi escolhida como método de pesquisa devido às características do material empírico e o foco sobre os significados emergentes. Resultados: No processo de análise, foram identificadas dez práticas discursivas relacionadas ao “Vídeo do álcool gel no WhatsApp é mentira”, representadas pelas categorias opinar, ironizar, relatar, felicitar, agradecer, perguntar, engajar, contribuir, apoiar e solicitar. A categoria opinar foi a mais expressiva, com 50% das unidades de análise, sugerindo que a formação de opinião ou o julgamento sobre o conteúdo publicado é um aspecto relevante para os usuários. Expressões compatíveis com os comportamentos de busca, compartilhamento, avaliação e uso da informação foram observadas nas categorias relatar, perguntar, engajar, contribuir e solicitar, bem como as subcategorias elogio, convergência e crítica. Conclusões: Conclui-se que a caracterização das práticas discursivas expressas nos comentários permitiu a identificação do comportamento informacional em relação ao vídeo e das formas de engajamento com o conteúdo publicado no YouTube.


Palavras-chave


Desinformação. Comportamento Informacional. Divulgação Científica. Mídias Sociais.

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, c1977.

BATES, Marcia J. Information behavior. In: McDonald, John D.; Levine-Clark, Michael (ed.). Encyclopedia of Library and Information Sciences. 4th ed. Boca Raton: CRC Press, c2017. p. 2074-2085.

BRUNO, Fernanda; ROQUE, Tatiana. A ponta de um iceberg de desconfiança. In: BARBOSA, Mariana (org.). Pós-verdade e fake news: reflexões sobre a guerra de narrativas. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019. p. 13-23.

CASE, Donald O. Looking for information: a survey of research on information seeking, needs, and behavior. 2nd ed. London: Academic Press, 2007.

COOKE, Nicole A. Posttruth, truthiness, and alternative facts: information behavior and critical information consumption for a new age. The Library Quarterly, Chicago, v. 87, n. 3, p. 211-221, July 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1086/692298. Acesso em: 14 maio 2020.

CORRÊA, Maurício de Vargas; VANZ, Samile Andréa de Souza. A formação do capital social no YouTube: estudo com base em um canal de divulgação científica de questões abordadas pela psicologia. Reciis: Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde, Rio de Janeiro, v. 14, n. 1, p. 167-183, jan./mar. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.29397/reciis.v14i1.1756. Acesso em: 28 jun. 2020.

DAVENPORT, Thomas H.; PRUSAK, Laurence. Cultura e comportamento em relação à informação. In: ______. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998. cap. 6.

DERVIN, Brenda? NILAN, Michael. Information needs and uses. Annual Review of Information Science and Technology, White Plains, v. 21, p. 3¬-33, 1986.

EUROPEAN CENTRE FOR DISEASE PREVENTION AND CONTROL. COVID-19. Solna: ECDC, c2020. Disponível em: https://www.ecdc.europa.eu/en/novel-coronavirus-china. Acesso em: 23 mar. 2020.

FALLIS, Don. What is disinformation?. Library Trends, Urbana, v. 63, n. 3, p. 401-426, 2015. Disponível em: https://muse.jhu.edu/article/579342/pdf. Acesso em: 5 maio 2020.

FERREIRA, Raquel Marques Carriço. Os efeitos dos meios sobre as atitudes e comportamentos da audiência. Matrizes, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 255-269, jan./jun. 2014. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v8i1p255-269. Acesso em: 23 abr. 2020.

FETZER, James H. Information: does it have to be true? Minds and Machines, Dordrecht, v. 14, n. 2, p. 223-229, May 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1023/B:MIND.0000021682.61365.56. Acesso em: 6 maio 2020.

FRANKLIN, Karen. Os conceitos de doxa e episteme como determinação ética em Platão. Educar em Revista, Curitiba, n. 23, p. 374-374, jan./jun. 2004. Disponível em: http://ref.scielo.org/vpz73d. Acesso em: 26 abr. 2020.

GELFERT, Axel. Fake news: a definition. Informal Logic, Montréal, v. 38, n. 1, p. 84-117, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.22329/il.v38i1.5068. Acesso em: 5 maio 2020.

GRAY, Jonathan; BOUNEGRU, Liliana; VENTURINI, Tommaso. Introduction. In: BOUNEGRU, Liliana et al. (comp.). A field guide to “fake news” and other information disorders: a collection of recipes for those who love to cook with digital methods. Amsterdam: Public Data Lab, c2017. p. 6-13.

KARLOVA, Natascha A.; FISHER, Karen E. A social diffusion model of misinformation and disinformation for understanding human information behaviour. Information Research, v. 18, n. 1, Mar. 2013. Disponível em: http://informationr.net/ir/18-1/paper573.html. Acesso em: 7 maio 2020.

KELMAN, Herbert C. Processes of opinion change. Public Opinion Quarterly, New York , v. 25, n. 1, p. 57-78, 1961. Disponível em: https://www.jstor.org/stable/2746461. Acesso em: 25 abr. 2020.

MARCUSSO, Anderson. Comentários e dissonâncias em filmes publicitários no YouTube. 2013. Dissertação (Mestrado em Comunicação) – Programa de Pós-Graduação em Comunicação, Universidade Municipal de São Caetano do Sul, São Caetano do Sul, 2013.

MORAES, Roque. Análise de conteúdo. Revista Educação, Porto Alegre, v. 22, n. 37, p. 7-32, 1999.

NOVO protocolo vai indicar máscara para quem não tem sintoma. 1 abr. 2020. Disponível em: https://www.terra.com.br/noticias/coronavirus/novo-protocolo-vai-indicar-mascara-para-quem-nao-tem-sintoma,562bad483811173c12f454ae3ccd255d33xvfrv4.html. Acesso em: 27 jun. 2020.

OPINIÃO. In: DICIONÁRIO Priberam da língua portuguesa. [Lisboa]: Priberam Informática, c2020. Disponível em: https://dicionario.priberam.org/opinião. Acesso em: 26 abr. 2020.

PINHEIRO, Marta Macedo Kerr; BRITO, Vladimir de Paula. Em busca do significado da desinformação. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 15 n. 6, dez. 2014. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000016135. Acesso em: 5 maio 2020.

RIEH, Soo Young. Judgment of information quality and cognitive authority in the Web. Journal of the American Society for Information Science and Technology, New York, v. 53, n. 2, p. 145-161, 2002.

RUÓTOLO, Antonio Carlos. Audiência e recepção: perspectivas. Comunicação & Sociedade, São Bernardo do Campo, n. 30, 1998. Disponível em: https://www.metodista.br/revistas/revistas-ims/index.php/CSO/article/view/7875. Acesso em: 23 abr. 2020.

SILVA, Christiani Margareth de Menezes e. O conceito de doxa (opinião) em Aristóteles. Linha D'Água, São Paulo, v. 29, n. 2, p. 43-67, dez. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v29i2p43-67. Acesso em: 26 abr. 2020.

SPINK, Mary Jane P.; MEDRADO, Benedito. Produção de sentidos no cotidiano: uma abordagem teórico-metodológica para análise das práticas discursivas. In: SPINK, Mary Jane P. (org.). Práticas discursivas e produção de sentidos no cotidiano: aproximações teóricas e metodológicas. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2000. cap. 2, p. 41-61.

STAHL, Bernd Carsten. On the difference or equality of information, misinformation, and disinformation: a critical research perspective. Informing Science, Santa Rosa, v. 9, p. 83-96, 2006. Disponível em: http://www.inform.nu/Articles/Vol9/v9p083-096Stahl65.pdf. Acesso em: 6 maio 2020.

VIANA, Nildo. As representações cotidianas e as correntes de opinião. Espaço Livre, v. 10, n. 19, p. 7-17, jan./jun. 2015. Disponível em: https://redelp.net/revistas/index.php/rel/article/view/293. Acesso em: 25 abr. 2020.

WILSON, Tom D. Information behaviour: an interdisciplinary perspective. Information Processing & Management, Elmsford, v. 33, n. 4, p. 551-572, 1997.

WILSON, Thomas D. Human information behavior. Informing Science, Santa Rosa, v. 3, n. 2, p. 49-56, 2000.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n1p161

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional