Ciência da informação e arquivologia: (re)aproximações conceituais

Marcos Ulisses Cavalheiro, Cibele Araujo Camargo Marques dos Santos

Resumo


Introdução: Neste texto, propusemos uma análise crítica dos conceitos de "documento" e "informação" no domínio da Ciência da Informação e, mais precisamente, de sua disciplina arquivística, tendo em vista o fato de se aproximarem por seus objetivos e processos afins, concernentes às questões de organização, representação e acesso à informação registrada. Objetivo: Vislumbramos apresentar e discutir os referidos conceitos, (re)aproximando-os, sobretudo no que tange à noção documental e informacional expressa via princípios arquivísticos e seus desdobramentos. Metodologia: Esse segmento investigativo, de cunho bibliográfico, documental e restritivo, demonstra-se pertinente, pois a Ciência opera com a delimitação para fins de esclarecimento quanto ao seu objeto; à Ciência da Informação e à Arquivologia, essa reflexão faz-se, pois, relevante, ao passo que os ditos conceitos são polissêmicos, presentes em áreas do conhecimento diversas. Resultados: Demarcamos elementos históricos e teóricos quanto ao "documento" e à "informação" na perspectiva da Ciência da Informação e de seus processos, interpretando-os sob o discurso foucaultiano da materialidade dos enunciados (e dos documentos). Posteriormente, direcionamos essa discussão à lógica da Arquivologia e de seus princípios basilares, visando compreender (e questionar), por fim, as características que fazem jus ao documento e à informação de arquivo. Conclusões: Concluímos que a materialidade (conscriptio) é o elo entre a informação da Ciência da Informação e a informação da Arquivologia, o que justifica a completude de esforços de ambas as áreas no processamento documental. Por sua vez, em Arquivologia, aliadas ao documento e seu teor informacional, estão as características trazidas pelos princípios que a regem, marcas essas que, não via de regra, estejam contempladas na Ciência da Informação.


Palavras-chave


Ciência da Informação. Arquivologia. Documento. Informação

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, C. A. A. O conceito de informação na ciência da informação. Inf. &Soc.:Est., João Pessoa, v.20, n.3, p. 95-105, set./dez. 2010.

ARQUIVO NACIONAL (Brasil). Dicionário Brasileiro de Terminologia Arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005.

BARRETO, A. de A. A transferência da informação para o conhecimento. In: UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA. O campo da ciência da informação. Paraíba: UFPA, 2002.

BELLOTO, H. L. Arquivos permanentes. Tratamento documental. 2. ed. rev. e aum. Rio de Janeiro: FGV, 2004.

BORKO, H. Information science: what is this? American Documentation, [S.l.], v. 19, 3-5, 1968.

BRIET, S. Qu'est-ce que la documentation? Paris: Éditions Documentaires Industrielles et Técnicas, 1951.

BUCKLAND, M. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science (JASIS), [S.l.], v.45, n.5, p.351-360, 1991.

CALDERON, W. R. O arquivo e a informação arquivística: da literatura científica à prática pedagógica no Brasil. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

______. et al. O processo de gestão documental e da informação arquivística no ambiente universitário. Ciência da Informação, Brasília, v.33, n. 3, p.97-104, set./dez. 2004.

CAPURRO, R. The concept of information. Annual Review of Information Science and Technology, [S.l.], v. 37, p. 343-411, 2003.

CAVALHEIRO, M. U. Limiares do arquivo pessoal na Arquivologia: Da Diplomática Clássica à Identificação Arquivística. Páginas a&b, Lisboa, v. 1, n. 7, p. 01-13, ago/dez. 2017.

COUTURE, C. Le concept de document d'archives à l'aube du troisième millénaire.Archives, v. 27, n. 4, p. 3-18, 1996.

DURANTI, L. Diplomatica: nuevos usos para una antigua ciencia. Trad. VAZQUEZ, M. de. C: Asociación de Archiveros de Andalucía, 1996.

______. Diplomática: Novos usos para uma antiga ciência (Parte V). Acervo, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p. 196-215, 2015.

FONSECA, M. O. Arquivologia e ciência da informação. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

FROHMANN, B. O caráter social, material e público da informação. In: FUJITA, M. S.; MARTELETO, R. M.; LARA, M. L. G. de. (Org.). A dimensão epistemológica da Informação e suas interfaces técnicas, políticas e institucionais nos processos de produção, acesso e disseminação da informação. São Paulo: Cultura Acadêmica, p.19-34.

HEREDIA HERRERA, A. Archivística general: teoría y práctica. Sevilla: Diputacíon de Sevilla, 1993.

JENKINSON, H. A manual of archive administration: including the problems of war archives and archive making. London, Edinburgh, New York, Toronto, Melbourne and Bombay: Oxford at the Clarendon Press, 1922.

KHINCHIN, A. Mathematical Foundations of Information Theory. Nova York: Dover, 1957.

KOBASHI, N. Y.; TÁLAMO, M. de F. G. M. Informação: fenômeno e objeto de estudo da sociedade contemporânea. Transinformação, Campinas, v. 15, n. 3, p. 7-21, set./dez. 2003.

MALHEIRO, A. A Informação: da compreensão do fenómeno e construção do objecto científico. Porto: Afrontamento, 2006.

______.; RIBEIRO, F. Das ciências documentais à ciência da informação: ensaio epistemológico para um novo modelo curricular. Porto: Afrontamento, 2002.

MORENO, N.A. A informação arquivística e o processo de tomada de decisão. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.17, n.1, p.13-21, jan./abr. 2007.

OTLET, P. Traité de documenatation: le livre sur le livre: théorie et pratique. Bruxelas: Editiones Mundaneum, 1934.

PINHEIRO, L. V. R. Gênese da Ciência da Informação ou sinais anunciadores da nova área. In: AQUINO, M. de A. (Org.). O campo da Ciência da Informação: gênese, conexões e especificidades. João Pessoa: Universitária/UFPB, 2002. p. 61-86.

QUEIROZ, D. G. de C.; MOURA, A. M. M. de. Ciência da informação: história, conceitos e características. Em Questão, Porto Alegre, v. 21, n. 3, p. 25-42, ago/dez. 2015.

RABELLO, R. A face oculta do documento: tradição e inovação no limiar da Ciência da Informação. 331f. 2009. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Unesp/Marília, 2009.

______. Leituras sobre usuário e uso de informação na Ciência da Informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v.18, n.4, p.152-184 out./dez. 2013.

ROUSSEAU, J; COUTURE, C. Os Fundamentos da Disciplina Arquivística. Lisboa: Dom Quixote, 1998.

SARACEVIC, T. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 41-62, jan./jun. 1996.

SCHELLENBERG, T. R. Arquivos modernos: princípios e técnicas. Rio de Janeiro: FGV, 2002.

SMIT, J. W. A informação na ciência da informação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 3, n. 2, 2012. Disponível em: . Acesso em: 04 jan. 2020.

THOMASSEN, T. Uma primeira introdução à Arquivologia. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 5-16. jan./jun. 2006.

WERSIG, G.; NEVELlNG, U. The phenomena of interest to Information Science. Information Scientist, [S.l.], v.9, n. 4, p. 127-140, Dec. 1975.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n1p136

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional