Acessibilidade digital em sistemas acadêmicos da UFPB: análise a partir das heurísticas de usabilidade

Ilka Maria Soares Campos, Eliane Bezerra Paiva, Ronnie Anderson Nascimento de Farias

Resumo


O objetivo deste estudo é analisar as barreiras à acessibilidade digital dos usuários da informação em sistemas acadêmicos da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Nos procedimentos metodológicos a pesquisa se caracteriza como do tipo exploratória e de natureza qualitativa. Como instrumento de coleta de dados adotou-se uma entrevista semiestruturada que foi aplicada aos discentes da UFPB que fazem parte do Comitê de Inclusão e Acessibilidade da Universidade Federal da Paraíba e docentes que possuem alguma deficiência. Para análise dos dados, utilizou-se a técnica de análise de conteúdo de Bardin. Os resultados da pesquisa demonstraram um alto índice de insatisfação dos usuários com a utilização dos sistemas nos aspectos que envolvem a “liberdade de controle fácil para o usuário”, “flexibilidade e eficiência de uso” e “correspondência entre o sistema e o mundo real” que correspondem a fatores de grandes barreiras digitais, com ênfase na ausência de uma linguagem comum e interface inadequada. Conclui-se, então, que os portais acadêmicos da UFPB não oferecem acessibilidade e apresentam barreiras digitais comprometendo a vida acadêmica de discentes e docentes nas suas necessidades de informação. Sugere-se que ocorra um investimento nos sistemas acadêmicos da instituição na busca de melhorias para acessibilidade digital, evitando assim barreiras digitais e proporcionando interfaces intuitivas e linguagens comuns para todos em um processo de avaliação contínua na busca de melhorias e adequações de uso.

Palavras-chave


Usuário da informação. Barreiras. Acessibilidade digital. Sistemas Acadêmicos.

Texto completo:

PDF

Referências


ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. 9050: Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos. Rio de Janeiro: ABNT, 2015. 148 p. Disponível em: http://www.ufpb.br/cia/contents/manuais/abnt-nbr9050-edicao-2015.pdf. Acesso em: 01 dez. 2019.

ARAUJO, Carlos Alberto Ávila. Paradigma social nos estudos de usuários da informação: abordagem interacionista. Informação & Sociedade: estudos, v. 22, n.1, p. 145-159, 2012.

BARBOSA, A. E. V. Abordagem híbrida para a avaliação de interfaces multimodais. 2009. 346 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Computação) - Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2009.

BELLINI, Carlo Gabriel Porto; ISONI FILHO, Miguel Mauricio; GARCIA, Daniella de Araújo; PEREIRA, Rita de Cássia de Faria. Limitações digitais: evidências teóricas preliminares. Revista Análise, Porto Alegre, v. 23, n. 1, p. 58-70, jan./abr. 2012.

BRASIL. Departamento de Governo Eletrônico. EMAG: Modelo de Acessibilidade em Governo Eletrônico. 2018a. Disponível em: http://emag.governoeletronico.gov.br/. Acesso em: 01 dez. 2019.

BRASIL. Comitê de Inclusão e Acessibilidade (CIA). UFPB. Comitê de Inclusão e Acessibilidade (CIA). 2018b. Disponível em: http://www.ufpb.br/cia. Acesso em: 20 nov. 2019.

BRASIL. Ministério do Planejamento, desenvolvimento e gestão. ASES. 2018c. Disponível em: https://softwarepublico.gov.br/social/ases. Acesso em: 20 nov. 2019.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa Com Deficiência: Estatuto da Pessoa com Deficiência. Brasília, DF: DOU, 06 jul. 2015. Disponível em:http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 01 dez. 2019.

CHOO, C. W. Como ficamos sabendo – um modelo de uso da informação. In: ______. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significados, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2003. Cap.2, p. 63- 120.

DIAS, M. M. K.; PIRES, D. Usos e usuários da informação. São Carlos: EdUFSCar, 2004. (Série Apontamentos).

FERREIRA, D. S. Abordagem Híbrida para Avaliação da usabilidade de Dispositivos Móveis. 2007. 227 f. Dissertação (Mestrado em Informática) – Universidade Federal de Campina Grande, Campina Grande, 2007.

FERREIRA, S. M. S. P. Estudos e necessidades de informação: dos paradigmas tradicionais à abordagem Sense-Making. Porto Alegre: [s.n], 1997.

FIGUEIREDO, N. M. Paradigmas modernos da Ciência da Informação. São Paulo: Polis/APB, 1999.

GUINCHAT, Claire; MENOU, Michel. Usuários. In: GUINCHAT, Claire; MENOU, Michel. Introdução geral às técnicas da informação e da documentação. Brasília, D.F.: IBICT, 1994. p.481-491.

HENRY, ShawnLawton; BREWER, Judy (Ed.).W3C. Desenvolvendo uma Declaração de Acessibilidade. 2018. Disponível em: https://www.w3.org/WAI/planning/statements/. Acesso em: 01 dez. 2019.

HOTT, Daniela Francescutti Martins; CRUZ-RIASCOS, Sonia Aguiar. Ciência da informação e interações teórico-sistêmicas com a acessibilidade. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 19., 2018, Londrina. Anais eletrônicos [...] Londrina: Programa de PósGraduação em Ciência da Informação da Universidade Estadual de Londrina (PPGCI/UEL), 2019. Disponível em: http://enancib.marilia.unesp.br/index.php/XIXENANCIB/xixenancib/paper/viewFile/1646/1839. Acesso em: 12 nov. 2019.

MINAYO, M. C. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 2016.

NIELSEN, J. Usability engineering. San Diego: Academic Press, 1994.

UFPB. Nedesp. Centro de Educação (CE). Núcleo de Educação Especial (Nedesp). 2018a. Disponível em: http://www.ce.ufpb.br/nedesp. Acesso em: 20 nov. 2019.

UFPB. Acessibilidade. 2018b. Disponível em: https://www.ufpb.br/acessibilidade. Acesso em: 20 nov. 2019.

PRODANOV, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do Trabalho Científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

SARACEVIC, Tefko. Ciência da informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v.1, n.1, p.41-62, jan./jun. 1996.

QUEIROZ, J. E. R. Abordagem híbrida para a avaliação da usabilidade de interfaces com o usuário. 2001. 410 f. Tese (Doutorado em Engenharia Eletrica) –Universidade Federal da Paraiba, Campina Grande, 2001.

TANUS, G. F. S. Enlace entre os estudos de usuários e os paradigmas da ciência da informação: de usuário a sujeitos pós-modernos. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 10, n. 2, p. 144-173, jul./dez. 2014. Disponível em: https://rbbd.febab.org.br/rbbd/article/view/290. Acesso em: 03 dez. 2019.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n1p632

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional