Integração e reuso de dados para o povoamento semiautomático de dissertações e teses no Repositório Institucional da UTFPR

Emanuelle Torino, Nestor Cortez Saavedra Filho

Resumo


Objetivo: Descreve o processo utilizado para integração e reuso de dados para o povoamento semiautomático de dissertações e teses no Repositório Institucional da UTFPR (RIUT), a partir dos Sistemas Corporativos da UTFPR. Metodologia: Realizou-se um estudo de caso na Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), e a observação participante como método de investigação qualitativa para análise dos dados disponíveis nos sistemas de informação corporativos a serem integrados. Resultados: Apresenta, com base na Arquitetura da Informação, a estruturação do fluxo de entrega de dissertações e teses e o estudo da camada de dados dos Sistemas Corporativos da UTFPR, bem como a compatibilização e a conversão para o perfil de aplicação do RIUT, visando ao povoamento semiautomático de dissertações e teses em repositório institucional. Tais resultados possibilitaram desenvolver o processo de integração e reuso de dados entre os Sistemas Corporativos da UTFPR e o Repositório Institucional. Conclusões: O reuso de dados já existentes nos Sistemas Corporativos para o povoamento semiautomático de dissertações e teses no Repositório Institucional gera benefícios múltiplos, dentre os quais destacam-se: agilidade e precisão, veracidade dos dados, desoneração do aluno e dos bibliotecários, preservação da memória e ampliação da visibilidade da produção acadêmica, científica e tecnológica, com vistas a fomentar o impacto e inserção social desses resultados, além de reduzir os esforços humanos anteriormente despendidos para a atividade.


Palavras-chave


Repositórios Institucionais; Dissertações e Teses; Integração de Dados; Reuso de Dados

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 182, de 14 de agosto de 2018. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 158, p. 11, 16 ago. 2018. Disponível em: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=16/08/2018&jornal=515&pagina=11. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Portaria nº 13, de 15 de fevereiro de 2006. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 35, p. 15, 17 fev. 2006. Disponível em: https://abmes.org.br/arquivos/legislacoes/Port_CAPES_13_20060215.pdf. Acesso em: 06 fev. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Ficha de Avaliação – Programas Acadêmicos e Profissionais – Área 46/Ensino. Dimensão 3, “Impacto na Sociedade”, 22/07/2020. Disponível em: https://www.gov.br/capes/pt-br/acesso-a-informacao/acoes-e-programas/avaliacao/sobre-a-avaliacao/areas-avaliacao/sobre-as-areas-de-avaliacao/colegio-de-ciencias-exatas-tecnologicas-e-multidisciplinar/multidisciplinar/ensino Acesso em: 11 mar. 2021.

CAMARGO, L. S. A.; VIDOTTI, S. A. B. G. Arquitetura da informação: uma abordagem prática para o tratamento de conteúdo e interface em ambientes informacionais digitais. Rio de Janeiro: LTC, 2011.

MACEDO, F. L. O. de. Arquitetura da informação: aspectos epistemológicos, científicos e práticos. 2005. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2005. Disponível em: https://www.academia.edu/2504826/Arquitetura_da_Informa%C3%A7%C3%A3o_aspectos_epistemol%C3%B3gicos_cient%C3%ADficos_e_pr%C3%A1ticos. Acesso em: 06 fev. 2019.

MORVILLE, P.; ROSENFELD, L. Information architecture for the word wide web. Sebastopol, CA: O’Reilly, 2006.

OLIVEIRA, H. P. C. de. Arquitetura da informação pervasiva: contribuições conceituais. 2014. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista, Marília, 2014. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/110387. Acesso em: 06 fev. 2019.

OLIVEIRA, H. P. C. de; VIDOTTI, S. A. B. G. Dos ambientes informacionais às ecologias informacionais complexas. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v. 26, n. 1, p. 91-101, jan./abr. 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufpb.br/index.php/ies/article/view/29438/16509. Acesso em: 06 fev. 2019.

RESMINI, A.; ROSATI, L. A brief history of information architecture. Journal of Information Architecture, v. 3, n. 2, p. 33-45, 2011. Disponível em: https://journalofia.org/volume3/issue2/03-resmini/jofia-0302-03-resmini.pdf. Acesso em: 16 fev. 2019.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Conselho de Graduação e Educação Profissional; Conselho de Pesquisa e Pós-Graduação. Resolução Conjunta nº 01/2020 – COGEP-COPPG. 2020a. Disponível em: https://sei.utfpr.edu.br/sei/publicacoes/controlador_publicacoes.php?acao=publicacao_visualizar&id_documento=1811618&id_orgao_publicacao=0. Acesso em: 22 out. 2020.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional. Instrução Normativa PROGRAD nº 1/2021. 2021. Disponível em: https://sei.utfpr.edu.br/sei/publicacoes/controlador_publicacoes.php?acao=publicacao_visualizar&id_documento=2042165&id_orgao_publicacao=0. Acesso em: 13 fev. 2021.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Instrução Normativa Conjunta nº 01/2018 – PROPPG/PROGRAD. 2018. Disponível em: http://portal.utfpr.edu.br/documentos/pesquisa-e-pos-graduacao/proppg/instrucoes-normativas-conjuntas/in-conjunta-proppg-prograd-01-2018.pdf/view. Acesso em: 06 fev. 2019.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Instrução Normativa Conjunta nº 01/2011 – PROGRAD/ PROPPG. 2011. Disponível em: http://portal.utfpr.edu.br/documentos/pesquisa-e-pos-graduacao/proppg/instrucoes-normativas-conjuntas/instrucao-normativa-conjunta-01-2011-prograd-proppg/view. Acesso em: 06 fev. 2020.

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação. Instrução Normativa nº 10/2020 – PROPPG. 2020b. Disponível em: https://sei.utfpr.edu.br/sei/publicacoes/controlador_publicacoes.php?acao=publicacao_visualizar&id_documento=1840028&id_orgao_publicacao=0. Acesso em: 22 out. 2020.

VECHIATO, F. L.; VIDOTTI, S. A. B. G. Encontrabilidade da informação. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2014. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/126218. Acesso em: 06 fev. 2019.

VIDOTTI, S. A. B. G.; CUSIN, C. A.; CORRADI, J. A. M. Acessibilidade digital sob o prisma da arquitetura da informação. In: GUIMARÃES, J. A. C.; FUJITA, M. S. L. Ensino e pesquisa em Biblioteconomia no Brasil: a emergência de um novo olhar. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2008.

WURMAN, R. S. Ansiedade de informação. São Paulo: Editora de Cultura, 2005.

WURMAN, R. S. Information architects. Zurich: Graphis Press Corp, 1996.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n2p306

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional