A construção de uma representação do conhecimento e sua análise filosófica e pedagógica

Érica Correia da Silva, Maria Celeste Souza de Castro, Dante Augusto Gallefi

Resumo


Este artigo relata a experiência de execução de um trabalho proposto pela disciplina Sistemas de Representação do Conhecimento - um dos componentes estruturais do Doutorado Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento da Universidade Federal da Bahia - sob um olhar filosófico que reconhece o processo como racionalista e interdisciplinar e que o transcende para uma perspectiva transdisciplinar. Objetivo: Analisar o trabalho proposto, que por sua vez foi pautada na metodologia Problem Based Learning (PBL), desde a construção de padrões, através do formalismo da Lógica Computacional, no software Visual Turing até a produção de evoluções artificiais no software Mirek’s Cellebration, visando detalhar como um conhecimento pode ser representado. Metodologia: Pesquisa de caráter qualitativo e descritivo. Resultados: Analisando o processo podemos afirmar que primeiramente evoluímos de um dado à um conhecimento simulado e isto representou um conhecimento, mas é preciso ir além, buscando então sentidos outros para a representação de um conhecimento. Ressaltamo-los do ponto de vista filosófico, computacional e pedagógico chegando á atitude de não conformação com um único caminho - a dedução - para representar um conhecimento. Assim, o nosso desvio se faz através dos fundamentos da transdisciplinaridade. Conclusões: Buscando uma unicidade pautada na educação transdisciplinar concebemos que a atividade realizada nesta disciplina possibilitou ir além do formalismo matemático e de uma simulação computacional, mesmo ressaltando sua grandiosa importância, uma vez que nos permitimos sair de uma mente condicionada a uma mente criadora.

 


Palavras-chave


Representação do conhecimento, Racionalismo, Interdisciplinaridade, Transdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF

Referências


ABEL, Mara Abel; FIORINI, Sandro Rama. Uma revisão da engenharia do conhecimento: evolução, paradigmas e aplicações. Revista International Journal of Knowledge Engineering and Management. v.2, n.2. 2013. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ufsc.br/index.php/IJKEM/article/view/2136.

ARAÚJO, Inês Lacerda. Curso de teoria do conhecimento e epistemologia. Barueri, SP: Minha Editora, 2012. ISBN 978-85-7868-028-2.

CASTRO, Marcia Luciana Aguena; CASTRO, Reinaldo de Oliveira. Autômatos Celulares: Implementação de Von Neumann, Conway e Wolfram. Revista de Ciências Exatas e Tecnologia. Vol. 3, n. 3, 2008.

DAWKINS, Richard. Acumulação de pequenas mudanças. In: ________. O relojoeiro cego: a teoria da evolução contra o desígnio divino. Tradução de Laura Teixeira Motta. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

DIMENSTEIN, Gilberto. ALVES, Rubem. Fomos maus alunos.11. ed. Campinas, SP:Papirus, Mares 2008.

FRÓES, Teresinha. Sociedade da informação, sociedade do conhecimento, sociedade da aprendizagem: Implicações ético-politicas no limiar do século.In: LUBRISCO, Nidia M. L. (org)Informação e Informática. Salvador. ed. EDUFBA(2000)

GALEFFI, Dante . Recriação do Educar: Epistemologia do educar Transdisciplinar.

GALEFFI, Dante; SOARES, Noemi Salgado. Fundamentos filosóficos da educação transdisciplinar. Artigo do II Congresso Mundial de Transdisciplinaridade – 2005. Disponível em: http://cetrans.com.br/assets/artigoscongresso/Dante_Augusto_Galeffi_e_Noemi_Salgado_Soares.pdf

GOMEZ, Maria Nélida González de. A representação do conhecimento e o conhecimento da representação: algumas questões epistemológicas. Revista Ciência da Informação. v.22, n.3. 1993. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/479.

HARARI, Yuval Noah. HOMO DEUS: Uma breve história do amanhã. São Paulo: Companhia das Letras . 2016

HOPCROFT, J.E.; MOTWANI, R.; ULLMAN, J.D. Introduction to automata theory, languages, and Computation. 2nd Edition, Addison-Wesley, 2000.

JAPIASSU,Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro:Imago, 1976.

LEIS, H. Sobre o conceito de Interdisciplinaridade. Cadernos de pesquisa interdisciplinar em ciências humanas, No 73, Florianópolis. 2005

LENOIR, Y., HASNI, A. “La interdisciplinaridad: por un matrimonio abierto de la razón, de la mano y del corazón”, Revista Ibero-Americana de Educación, No. 35, 2004

LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: O futuro do pensamento na era da informática; Rio de Janeiro, Ed. 34, 1993.

LÉVY, Pierre. Cibercultura.São Paulo: Ed 34. 1999.

MEINHARDT, Hans. The algorithmic beauty of sea shells. Editora Springer. Ed. 4, 2009.

PAPADIMITRIOU, C.; LEWIS, H. Elementos de teoria da computação. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2000.

SANTOS, David Moises Barreto dos et al. Aplicação do método de aprendizagem baseada em problemas no curso de Engenharia de Computação da Universidade Estadual de Feira de Santana. In: XXXV Congresso Brasileiro de Educação em Engenharia – COBENGE. 2007. Disponível em: http://www2.uefs.br/pbl/papers/Aplicacao%20do%20Metodo%20de%20Aprendizagem%20Baseada%20em%20Problemas%20no%20Curso%20de%20Engenharia%20de%20Computacao%20da%20UEFS.pdf Acesso em: 29 nov. 2018.

THIESEN, J. S. A Interdisciplinaridade como movimento articulador do ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, v. 13 n. 39 set./dez. 2008.

TIBÉRIO, I. F. L.; ATTA, J. A.; LICHTENSTEIN, A. O aprendizado baseado em problemas - PBL. Revista de Medicina, São Paulo, v. 82, n. 1-4, p. 78-80, jan./dez 2003.

TURING, A. M. The Chemical Basis of Morphogenesis. Philosophical Transactions of the Royal Society of London. Series B, Biological Sciences, Vol. 237, n. 641. (Aug. 14, 1952). Disponível em: http://www.dna.caltech.edu/courses/cs191/paperscs191/turing.pdf.

WOLFRAM, S. Cellular automata as simple self-organizing systems. Technical report. Caltech preprint CALT. Passadena California, 1982, p. 68-938.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2021v26n1p682

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional