A ação na informação: entre a teoria matemática e a teoria do ator-rede

Januário Albino Nhacuongue

Resumo


Introdução: O trabalho faz uma reflexão sobre o objeto da Ciência da Informação, destacando a sua influência positivista e o seu significado com base na teoria da informação, no fato social, na teoria de ator-rede, e na tecnologia.  Objetivo: mostrar os olhares e fazeres da Ciência da Informação, a partir da concepção teórica do objeto informação. Metodologia: trata-se de um estudo qualitativo cujo delineamento é feito com base na pesquisa bibliográfica. A discussão é centrada na Teoria Matemática da Comunicação de Shannon e Weaver, que acompanhou o desenvolvimento da Ciência da Informação; no positivismo filosófico e nas atuais intersecções do campo, evidenciadas pela Teoria do Ator-Rede de Latour. Resultados: permitem observar que tanto a teoria da informação de Shannon e Weaver como as teorias emergentes da comunicação subsidiam as abordagens epistemológicas e tecnológicas na Ciência da Informação. De igual modo, que, a partir do pensamento filosófico positivista, evidencia-se a complexidade do objeto informação, que nos permite entender os fatores que antecedem o multiparagmatismo do campo. Conclusões: os processos de organização, gestão e mediação informacional da Ciência da Informação são condicionados por aspectos interativos, que dependem da ação de vários objetos.


Palavras-chave


Ciência da Informação; Teoria matemática da comunicação; Teoria do Ator-rede; Tecnologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA JUNIOR, O. F. de. Mediação da informação e múltiplas linguagens. Ciência da Informação, Brasília, v.2, n.1, p. 89-103, jan./dez. 2009. Disponível em: https://revistas.ancib.org/index.php/tpbci/article/view/170/170. Acesso em: 14 jul. 2017.

ALVES, M. A.; VALENTE, A. R. Informação e comunicação: a abordagem quantitativa e alguns de seus críticos. In: ALVES, Marcos António; GRÁCIO, Claudia Cabrini; MARTINEZ-ÁVILA, D. (Org.). Informação, conhecimento e modelos. Campinas: UNICAMP, Centro de Lógica, Epistemologia e História da Ciência; Marília: Oficina Universitária, 2017, p. 111-130. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Publicacoes/informacao-conhecimento-emodelos---completa-com-capa.pdf. Acesso em: 14 mar. 2018.

BAEZA-YATES, R.; RIBEIRO NETO, B. Modern information retrieval. New York: The ACM Press, 1999.

BARTHES, R. Elementos de semiologia. 16. ed. São Paulo: Cultrix, 2006.

BEZERRA, A. C.; SALDANHA, G. S. Sobre Comte, Durkheim e Tarde em Otlet: o papel do positivismo na consolidação dos estudos da informação. In: ALBAGLI, S. (Org.). Fronteiras da Ciência da Informação. Brasília-DF: IBICIT, 2013. 260p.; p. 34-56. Disponível em: http://repositorio.ibict.br/bitstream/123456789/453/1/Fronteiras%20da%20Ci%C3 %AAncia%20da%20Informa%C3%A7%C3%A3o.pdf. Acesso em: 10 out. 2017.

BUCKLAND, M. K. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science (JASIS), v.45, n.5, p. 351-360, 1991.

CAPURRO, R. Epistemologia e Ciência da informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO (ENANCIB), 5., Belo Horizonte, 2003. Anais [...] Belo Horizonte: UFMG, 2003. Disponível em: http://www.capurro.de/enancib_p.htm. Acesso em: 31 mar. 2011.

CAPURRO, R.; HJORLAND, B. O conceito de informação. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n.1, p.148-207, jan./abr. 2007. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/54/47. Acesso em: 10 mar. 2014.

CHOMSKY, N. Linguagem e mente. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

CHU, H. Information representation and retrieval in the digital age. 3ª Tiragem, New Jersey: Asist&T, 2007.

ÇENGEL, Y. A.; BOLES, M. A. Termodinâmica, 7. ed. Porto Alegre: AMGH, 2013.

DURKHEIM, E. As regras do método sociológico. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

GLEICK, J. A informação: uma história, uma teoria, uma enxurrada. São Paulo: Editora Schwarcz S.A., 2013.

GOMES, H. F.; SILVA, J. L. C. A informação em devir(es):uma reflexão filosófica no contexto da(s) disciplinaridade(s). DataGramaZero, v. 14, n. 2, 2013. Disponível em: http://hdl.handle.net/20.500.11959/brapci/7660. Acesso em: 10 jul. 2018.

HESSEN, J. Teoria do conhecimento. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

KOWALSKI, G. Information retrieval systems: theory and implementation. 3.ed. Massachusetts: Kluwer Academic Publishers, 1997.

KUHN, T. S. A estrutura das revoluções científicas. 5. ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1998.

LATOUR, B. Reagregando o social: uma introdução à teoria do ator-rede. Salvador: Edufba, 2012; Bauru-SP: Edusc, 2012.

LOGAN, R. K. Que é informação: a propagação da informação na biosfera, na simbolosfera, na tecnosfera e na econosfera. Rio de Janeiro: Contraponto: PUC-Rio, 2012.

MANNING, C. D.; RAGHAVAN, P.; SCHÜTZE, H. Introduction to Information Retrieval. Nova Iorque: Cambridge University Press, 2008.

MC LUHAN, M. Os meios de comunicação com extensões do homem. São Paulo: Editora cultrix Lda, 1971.

MOLES, A. A. Teoria dos objetos. Rio de Janeiro: Edições Tempo Brasileiro, 1981.

PEIRCE, C. S. Semiótica. São Paulo: Perspectiva, 2005.

RIJSBERGEN, C. J. V. Information Retrieval. 2.ed. London: Butterworths, 1979.

ROCHA JÚNIOR, V. C. da. Princípios de teoria da informação digital aplicada. Rio de Janeiro: Intercedência, 2018.

SANTAELLA, L. A ecologia pluralista das mídias locativas. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n.37, p. 20-24, dez. 2008. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistafamecos/article/%20viewFile/4795/3599. Acesso em: 10 mar. 2019.

SANTAELLA, L. O que é semiótica. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

SANTAELLA, L.; NÖTH, W. Introdução à semiótica: passo a passo para compreender os signos e a significação. São Paulo: Paulus, 2017.

SERRA, J. P. Manual da Teoria da Comunicação. Covilhã: Livros LabCom, 2007. 203p. Disponível em: http://www.labcom-ifp.ubi.pt/ficheiros/20110824-serra_paulo_manual_teoria_comunicacao.pdf. Acesso em: 20 fev. 2018.

SHANNON, C. E.; WEAVER, W. The mathematical theory of communication. Urbana: Tenth priting, 1964.

SILVA, A. M. da; RIBEIRO, F. Paradigmas, serviços e mediações em Ciência da Informação. Recife: Néctar, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2020v25n4p71

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional