Vocabulários controlados na representação e recuperação da informação em repositórios brasileiros

Mariângela Spotti Lopes Fujita, Jessica Beatriz Tolare

Resumo


Introdução: O objetivo do controle de vocabulário é a consistência na representação e na recuperação de modo a evitar a dispersão de recursos informacionais relacionados aos termos do vocabulário controlado. Repositórios digitais são, atualmente, recursos de fundamental importância na organização e gestão do conhecimento cujos recursos de informação, além de armazenados e preservados, precisam ser acessados e recuperados sem inconsistências. Para isso, é importante verificar a incorporação de tipos de vocabulário controlado em repositórios universitários nos processos de representação e recuperação. Objetivo: Esta pesquisa propõe a investigação sobre vocabulários controlados em repositórios com o objetivo de verificar recursos de interface de busca e navegação para identificar a incorporação de tipos de vocabulários controlados na representação e recuperação da informação. Metodologia: Análise documental, por meio de pesquisa eletrônica, para levantamento de repositórios e pesquisa exploratória para análise dos recursos de interface para identificação de tipos de vocabulários controlados utilizados na representação e recuperação da informação com base em parâmetros obtidos na fundamentação teórica. Resultados: A análise das interfaces de busca de 86 repositórios brasileiros revelou que os vocabulários controlados foram, de modo geral, incorporados à representação e recuperação quanto aos seguintes tipos: tesauros (6 repositórios), listas classificadas (8), taxonomias (7) e listas de termos em ordem alfabética (70). Os metadados incluem palavras-chave da linguagem natural e termos de vocabulários controlados em 56 repositórios. Conclusões: As listas de termos em ordem alfabética utilizadas para busca por assuntos nas interfaces de navegação necessitam incorporar a função de controle de vocabulário mediante a integração das palavras-chaves com os termos dos vocabulários controlados e obter consistência na recuperação.


Palavras-chave


Vocabulários Controlados; Repositórios Institucionais Universitários; Controle de Vocabulário; Representação da Informação

Texto completo:

PDF

Referências


AMERICAN NATIONAL STANDARDS INSTITUTE/ NATIONAL INFORMATION STANDARDS ORGANIZATION. Guidelines for the construction, format, and management of monolingual controlled vocabularies. Z39.19-2005 (R2010). Bethesda, Maryland: NISO Press, 2010. Disponível em: https://groups.niso.org/apps/group_public/download.php/12591/z39-19-2005r2010.pdf. Acesso em: 23 maio 2019.

ANDRADE, M. C. de, CERVANTES, B. M. N. A contribuição da organização do conhecimento para a interoperabilidade semântica: alternativas para repositórios institucionais. Inf. Prof., Londrina, v. 1, n. 1/2, p. 152 –170, jul./dez. 2012. Disponível em: http:www.uel.br/revistas/infoprof/.

BARITÉ, M. El control de vocabulario en la era digital: revisión conceptual. Scire, v.20, n.1, p.99-108, 2014. Disponível em: https://www.ibersid.eu/ojs/index.php/scire/article/view/4196 . Acesso em: 25 jun de 2019.

BARITÉ, M. Sistemas de organización del conocimiento: una tipología actualizada. Inf. & Inf., Londrina, v.16, n.3, p.122-139, 2011. Disponível em: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/informacao/article/view/9952 . Acesso em: 3 maio 2019.

BARRIONUEVO ALMUZARA, L., ALVITE DÍEZ, M. L., RODRÍGUEZ BRAVO, B. A study of authority control in Spanish university repositories. Knowledge Organization, 39 (2), pp.95-103, 2012. Disponível em: http://www.ergonverlag.de/isko_ko/downloads/ko_39_2012_2_e.pdf.

BOCCATO, V.R.C. Os sistemas de organização do conhecimento nas perspectivas atuais das normas internacionais de construção. InCID: R. Ci. Inf. e Doc., Ribeirão Preto, v. 2, n. 1, p. 165-192, jan./jun. 2011.

BOCCATO, V. R. C.; FUJITA, M. S. L.; GIL LEIVA, I. Avaliação comparada do uso de linguagens de indexação em catálogos coletivos de bibliotecas universitárias para recuperação por assunto. Scire, Zaragoza, v.17, n. 2, p. 55-64, jul-dic. 2011.

BODENREIDER, O. The unified medical language system (UMLS): integrating biomedical terminology. Nucleic Acids Res., v.32, n.1, p.267-70, 2004. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC308795/ . Acesso em: 30 jun. 2019.

CAMPOS, M. L. de A.; GOMES, H. E. Taxonomia e classificação: o princípio de categorização. DataGrama Zero, v. 9, n. 4, p. 2008.

BRITISH STANDARDS INSTITUTION. Structured vocabularies for Information retrieval: BS 8723-1. [Sl].:BSI, 2005.

FIGUEIREDO, S. P. Taxonomia. Cursos Miniweb, 2007 Disponível em: http://www.miniweb.com.br/atualidade/tecnologia/artigos/taxonomia.html. Acesso em: 26 de novembro de 2019.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. Ed. São Paulo: Atlas, 2010. 184p.

HARPER, C. A., TILLETT, B. B. Library of Congress controlled vocabularies and their application to the Semantic Web. Cataloging & Classification Quarterly, v.43, n.3-4, p.47-68, 2009. Doi: 10.1300/J104v43n03_03.

HILL, L.; JANEÉ, G.; BUCHEL, O.; ZENG, M.L. Integration of knowledge organization systems into digital library architectures: Position Paper for 13th ASIS&TSIG/CR Workshop, "Reconceptualizing Classification Research". Advances of classification reserch, v.13, 2002. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/228689093_Integration_of_Knowledge_Org anization_Systems_into_Digital_Library_Architectures_Position_Paper_for_13th_ASIST_SIGCR_Workshop_Reconceptualizing. Acesso em: 27 jun. 2019.

HJORLAND, B. What is Knowledge Organization (KO)? Knowl. Org., v.35, n.2/3, p.86-101, 2008.

HODGE, G. Systems of knowledge organization for digital libraries: beyond traditional authorities files. Washington, DC: CLIR, 2000. Disponível em: http://www.clir.org/pubs/reports/pub91/contents.htm . Acesso em: 24 maio 2008.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. Information and documentation - Thesauri and interoperability with other vocabularies - Part 1: Thesauri for information retrieval. ISO 25964-1:2011. Geneva: International Organization for Standardization, 2011.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDARDIZATION. Information and documentation - Thesauri and interoperability with other vocabularies - Part 2: Interoperability with other vocabularies. ISO 25964-1:2011. Geneva: International Organization for Standardization, 2013.

KURAMOTO, H. Ferramentas de software livre para bibliotecas digitais. In: MARCONDES, C.H.; KURAMOTO, H.; TOUTAIN, L.B.; SAYÃO, L.F. (Orgs.). Bibliotecas digitais: saberes e práticas. Salvador/Brasília: UFBA/IBICT, 2005. p. 293-309.

LAMBE, P. Organising knowledge: taxonomies, knowledge and organizational effectivess. Oxford, England: Chandos, 2007.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoría e prática. 2.ed. Trad. de Antônio Agenor de Briquet de Lemos. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 2004. 452p. (Título original: Indexing and abstracting in theory and practice).

MAYR, P.; TUDHOPE, D.; CLARKE, S.D.; ZENG, M.L.; LIN, X. Recent applications of knowledge organization systems: introduction to a special issue. International Journal of Digital Library, v.17, n.1, p.1-4, 2016. DOI 10.1007/s00799-015-0167-x.

MONDOUX, J.; SHIRI, A. Institutional repositories in Canadian post-secondary institutions: user interface features and knowledge organization systems. Aslib Proceedings: New Information Perspectives, v.61, n.5, p. 436-458, 2009. Disponível em: https://doi.org/10.1108/00012530910989607.

MONTEIRO, F., BRASCHER, M. Organização da informação em repositórios temáticos: o uso da modelagem conceitual. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 8., 2007, Salvador. Anais [...]. Salvador: UFBA/ANCIB, 2007. 12p. Disponível em: http://www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT2--261.pdf.

MOREIRA, M. P.; MOURA, M. A. Construindo tesauros a partir de tesauros existentes: a experiência do TCI: Tesauro em Ciência da Informação. DataGramaZero. v. 7, n. 4, 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000007757/27466a615ff97c8ea30886db7bc3b9f4 . Acesso em: 06 maio 2019.

RAMALHO, R. A. S. Representação do Conhecimento e ontologias: reflexões interdisciplinares. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), 10, 2009, João Pessoa. Anais [...] João Pessoa: Ideia/Universitária, 2009. p. 714-727. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/xenancib/paper/viewFile/3175/2301. Acesso em: 3 jun. 2019.

SALES, R. de.; CAFÉ, L. Diferenças entre tesauros e ontologias. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 14, n. 1, p. 99-116, jan./abr. 2009. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/pci/v14n1/v14n1a08.pdf. Acesso em: 03 jul. 2019.

SALES, L. F.; MOTTA, D. F. da. Base teórica da Ciência da Informação para construção de taxonomias consistentes. 2010. Disponível em: http://www.casaruibarbosa.gov.br/dados/DOC/palestras/memo_info/mi_2010/FCRB_MI_Construcao_de_taxonomias_consistentes.pdf. Acesso em: 28 jun. 2019.

SANTOS, C. A. C. M. dos. Classificação em bibliotecas: os esquemas, 2018. Disponível em: https://slideplayer.com.br/slide/12540959/. Acesso em: 28 jun. 2019.

SILVA, Y. de S. Apostila auxiliar de biblioteca. 2015. Disponível em: https://www.ebah.com.br/content/ABAAAgkTMAJ/apostila-auxiliar-biblioteca. Acesso em: 28 jun. 2019.

SOUZA, R. R.; TUDHOPE, D.; ALMEIDA, M. B. Towards a taxonomy of KOS: dimensions for classifying knowledge systems. Knowledge Organization, v.39, n.3, p.179-92, 2012.

TERRA, G. de M.; VASCONCELOS, T. R. Vocabulário controlado em repositórios de instituições de ensino superior brasileira: estudo comparativo. RACIn, João Pessoa, v. 3, n. 1, p. 32-51, 2015. Disponível em: http://racin.arquivologiauepb.com.br/edicoes/v3_n1/racin_v3_n1_artigo03.pdf . Acesso em: 23 abr. 2019.

TUDHOPE, D.; KOCH, T. New applications of knowledge organization systems: introduction to a special issue. Journal of Digital Information, v.4, n.4, Article No. 286, 2004. Disponível em: https://journals.tdl.org/jodi/index.php/jodi/article/view/109/108. Acesso em: 30 maio 2019.

TUDHOPE, D.; KOCH, T.; HEERY, R. Terminology services and technology. JISC state of the art review. Bath, UK: UKLON, 2006. Disponível em: http://www.ukoln.ac.uk/terminology/ . Acesso em: 30 maio 2019.

UNIVERSIDADE ABERTA DO SUS. Acervo de recursos educacionais em saúde – ARES. Disponível em: https://ares.unasus.gov.br/acervo/browse?type=decs. Acesso em: 30 jun. 2019.

WEITZEL, S. da R. O mapeamento dos repositórios institucionais brasileiros: perfil e desafios. Encontros Bibli, v.24, n.54, p.105-23, 2019. DOI: 10.5007/1518-2924.2019v24n54p105

ZENG, M. L. Knowledge orgnization systems (KOS). Knowledge Organization, v.35, n.2/3, p.160-82, 2008. Disponível em: https://www.academia.edu/26672820/Knowledge_Organization_Systems_KOS_. Acesso em: 06 maio 2019.

ZENG, M. L. Construction of controlled vocabularies: a primer (based on Z39.19). 2005. Disponível em: http://www.slis.kent.edu/~mzeng/Z3919/index.htm. Acesso em: 02 maio 2019.

ZENG, M. L.; CHAN, L. M. Trends and issues in establishing interoperability among knwoledge organization systems. Journal of the American Society for Information Science and Technology, v. 55, n. 5, p. 377-395, 2004. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1002/asi.10387. Acesso em: 30 maio 2019;

ZHANG, Y.; OGLETREE, A.; GREENBERG, J.; ROWELL, C. Controlled Vocabularies for Scientific Data: Users and Desired Functionalities. In: Proceedings of the 78th ASIS&T Annual Meeting,November 6-10, 2015. St. Louis: ASIST, v.52, 2015. Disponível em: https://www.asist.org/files/meetings/am15/proceedings/frontmatter/titlepage15.html




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2019v24n2p93

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional