Diagnóstico arquivístico: uma proposição metodológica a partir de instrumentos normativos de descrição arquivística

Leolíbia Luana Linden, Marisa Bräscher

Resumo


Introdução: Discorre sobre a importância e a necessidade de realização do diagnóstico arquivístico no que antecede qualquer intervenção arquivística no processo de gestão de documentos. Objetivo: Aborda conceitos e metodologias que a literatura da área tem utilizado na realização de diagnóstico arquivístico, a estrutura e os objetivos dos instrumentos normativos de descrição arquivística ISAD (G), ISAAR (CPF), ISDIAH e ISDF. Metodologia: Pesquisa bibliográfica que alinha as informações propostas pela literatura para desenvolvimento de diagnóstico arquivístico com a estrutura de elementos descritivos dos instrumentos normativos de descrição arquivística, buscando identificar os conceitos e metodologias utilizadas no desenvolvimento de diagnóstico arquivístico. Resultados: Considera os elementos descritivos que compõe os instrumentos normativos de descrição arquivística suficientes para elencar informações necessárias ao desenvolvimento do diagnóstico arquivístico. Propõe a metodologia descritiva para o desenvolvimento de diagnóstico arquivístico utilizando os instrumentos normativos de descrição arquivística: ISAD (G), ISAAR (CPF), ISDIAH e ISDF. Conclusões: Indica a importância de determinar os elementos informativos a partir de instrumentos já padronizados que possam gerar diagnósticos arquivísticos capazes de corresponder às soluções arquivísticas de acordo com as reais necessidades institucionais.

 


Palavras-chave


Diagnóstico Arquivístico; Descrição Arquivística; Instrumentos Normativos de Descrição Arquivística; Normas de Descrição Arquivística

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, M. F. I.; VITORIANO, M. C. C. P. Diagnóstico de arquivos e mapeamento da informação: interlocução da gestão documental com a gestão da informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 24, n. 3, p. 68-95, st./dez., 2018. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/46744. Acesso em: 09 out. 2018.

ARQUIVO NACIONAL. Dicionário brasileiro de terminologia arquivística. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2005. 232 p.

BRASIL. Lei n. 8159 de 8 de janeiro de 1991. Dispõe sobre a política nacional de arquivos públicos e privados e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, 1991. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8159.htm. Acesso em: 03 dez. 2018.

CALDERON, W. R.; CORNELSEN, J. M.; PAVEZI, N.; LOPES, M. A. O processo de gestão documental e da informação arquivística no ambiente universitário. Ci. Inf., Brasília, v. 33, n. 3, p. 97-104, set./dez. 2004.

CAMPOS, A. M. V. C.; OLIVEIRA, E. B. de; RESENDE, M. E. de; DUBOC, S. B.; CAUVILLE, V. G. Metodologia para diagnóstico de arquivos correntes em organismos da Administração Pública Federal. Arq.& Adm., Rio de Janeiro, v.10/14, n.2, p.14-23, 1986. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000003804/8b0fab76af95de2b3957c7c4c0b39f98/. Acesso em: 19 dez. 2019.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAAR(CPF): norma internacional de registro de autoridade arquivística para entidades coletivas, pessoas e famílias/tradução de Vitor Manoel Marques da Fonseca. 2. ed., Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2004. Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes_textos/isaar_cpf.pdf Acesso em: 29 dez. 2019.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISAD(G): Norma Internacional de Descrição Arquivística. 2.ed. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2000. (Publicações técnicas, n. 49). Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes_textos/isad_g_2001.pdf. Acesso em: 03 dez. 2018.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISDF: Norma internacional para descrição de funções. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2008. (Publicações Técnicas; n. 52). Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes_textos/ISDF.pdf Acesso em: 29 dez. 2019.

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS. ISDIAH: Norma internacional para descrição de instituições com acervo arquivístico/Conselho Internacional de Arquivos; tradução de Vitor Manoel Marques da Fonseca. - Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2009. Disponível em: http://conarq.arquivonacional.gov.br/images/publicacoes_textos/isdiah.pdf Acesso em: 29 dez. 2019.

CORNELSEN, J. M.; NELLI, V. J. Gestão integrada da informação arquivística: o diagnóstico de arquivos. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 70-84, ago./dez., 2006. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000004445/d91fbe7bdd69bc96c5116978dba8e43b/. Acesso em: 01 dez. 2018.

CUNHA, M. B. da; CAVALCANTI, C. R. de O. Dicionário de biblioteconomia e arquivologia. Brasília: Briquet de Lemos, 2008, 451p.

DURANTI, L. Origin and development of the concept of archival description. Archivaria: the jornal of the Association of Canadian Archivists. Ottawa, n. 35, p.47-54, 1993.

EVANS, F. B.; KETELAAR, E. Guía para la encuesta sobre los sistemas y servicios de la gestión de documentos y la administración de archivos: um estúdio del RAMP. Programa General de Información y UNISIST. Paris: UNESCO, 1983. 37p.

FEITOZA, R. A. B.; ALMEIDA, S. S.; LIMA, E. S. Diagnóstico arquivístico como instrumento à proposta de uma política de gestão de documentos: um relato de experiência no SEBRAE/PB. Archeion Online, João Pessoa, v. 5, p. 66-83, 2017. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/v/14828 . Acesso em: 09 out. 2018.

FERREIRA, L.C.; MELO, D.G. Diagnóstico de arquivo: instrumento de ação efetiva na gestão documental. In: FÓRUM INTERNACIONAL DE ARQUIVOLOGIA, 1., 2008. João Pessoa: UEPB, 2008.CD-ROM.

FONSECA, M. O. K. Informação, arquivos e instituições arquivísticas. Arquivo & Administração, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 33-44, jan./jun., 1998. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000003793/1ceb8c721cc7b458671f3223b1a06448/. Acesso em: 01 dez. 2018.

FOX, M. Por que precisamos de normas. Acervo: revista do Arquivo Nacional. Rio de Janeiro, v. 20, n.1-2, p. 23-30, jan./dez. 2007. Disponível em: http://revistaacervo.an.gov.br/seer/index.php/info/article/view/127. Acesso em: 03 dez. 2018.

HEREDIA HERRERA, A. Archivistica general: Teoria y practica. 5 ed. Sevilla: Diputación de Sevilla, 1991. 478 p.

INDOLFO, A. C. Gestão de documentos: uma renovação epistemológica no universo da arquivologia. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 3, n. 2, p. 28-60, jul./dez., 2007.

LINARES, R.; MENA, M. Introducción a las Ciencias de la Información. La Habana: Universidad de La Habana, 2014.

LLANES PADRÓN, D. La descripción archivística em los tempos pos modernos: conceptos, principios y normas. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2016. 155p.

LOPES, L. C. A gestão da informação: as organizações, os arquivos e a informática aplicada. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, 1997, 143p.

LOPES, L. C. A nova arquivística na modernização administrativa. 2 ed., Brasília: Projecto Editorial, 2009. 417p.

MEDEIROS, N. L. de; AMARAL, C. M. G. do. A representação do ciclo vital dos documentos: uma discussão sob a ótica da gestão de documentos. Em Questão, Porto Alegre, v. 16, n. 2, jul./dez., 2010, p. 297-310. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/15108/10436. Acesso em: 01 dez. 2018.

MONEDA CORROCHANO, M. de la. El archivo de empresa: un concepto integrado. In: RUIZ RODRIGUEZ, A. A. (Ed.). Manual de archivística. Madrid: Sintesis, 1995. p. 235-262.

OLIVEIRA, T. M. M.; BEDIN, S. P. M. Diagnóstico de arquivo como instrumento de avaliação na gestão documental. Ágora, Florianópolis, v. 28, n. 56, p. 115-135, jan./jun., 2018. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/res/download/48199. Acesso em: 09 out. 2018.

PAZIN, M. Arquivos de empresas: tipologia documental. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo, 2005.

PEREIRA, A. C. S. Aprimorando o sistema de controle interno da Câmara Municipal de Araruama: diagnóstico da situação arquivística do poder legislativo municipal. 2016. 90 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Bens Culturais e Projetos Sociais). Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2016. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/16419/Disserta%C3%A7%C3%A3o.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 09 out. 2018.

ROUSSEAU, J.; COUTURE, C. Os fundamentos da disciplina arquivística. Lisboa, Portugal: Publicações Dom Quixote, 1998. 356p.

SANTOS, C. J. O. Diagnóstico dos arquivos das primeiras dioceses católicas brasileiras (1551-1854). In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 7., 2006, Marília. Anais [...]. Marília: UNESP, 2006. Disponível em: http://repositorios.questoesemrede.uff.br/repositorios/handle/123456789/1283 Acesso em: 09 out. 2018.

SILVA, W. A.; MARINHO, S.; SANTOS, P. K. dos. Uma abordagem sistêmica aplicada à arquivística. Arquivística.net, Rio de Janeiro, v. 3, n. 1, p. 54-71, 2007. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/index.php/article/download/10724. Acesso em: 09 out. 2018.

SOUZA, V. F. de. Diagnóstico e proposta de aperfeiçoamento para o centro de documentação do laboratório de integração e testes-LIT. 2013. 140 f. Dissertação (Mestrado em Gestão e Desenvolvimento Regional). Universidade de Taubaté, Taubaté, SP, 2013. Disponível em: http://www.bdtd.unitau.br/tedesimplificado/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=705. Acesso em: 09 out. 2018.

VARGAS, L. R. Seção de arquivo permanente do Arquivo Central da Universidade Federal do Rio Grande do Sul: diagnóstico sobre a preservação, a descrição e a difusão dos fundos UPA e URGS. 2017. 213 f. Dissertação (Mestrado em Memória Social e Bens Culturais). Universidade La Salle. Rio de Janeiro. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/171733/001056897.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 09 out. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2019v24n3p335

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional