Folksonomia: análise de etiquetagem de imagens da National Geographic Brasil no Instagram

Fernanda Barbosa, Luciana Monteiro Krebs, Rodrigo Silva Caxias de Sousa

Resumo


Introdução: Esse trabalho analisa as práticas folksonômicas adotadas no acervo de imagens fotográficas da National Geographic Brasil, disponível na rede social Instagram. Objetivo: verificar em que medida as categorias de análise documentária de imagens fotográficas propostas por Manini (2002) são ou não contempladas no corpus de pesquisa. Metodologia: Estudo descritivo e exploratório de abordagem qualitativa. Uma análise documental foi realizada nas 299 etiquetas atribuídas às 38 imagens pelos usuários, resultando em uma classificação das etiquetas de acordo com as categorias de análise de imagens fotográficas propostas por Manini (2002). Resultados: As categorias mais presentes no corpus foram Quem/O que genérico (presente em 23 imagens), Onde genérico (presente em 21 imagens) e Sobre (presente em 14 imagens). Identificou-se também a presença de etiquetas que não se enquadraram nas categorias previamente estabelecidas, que poderiam ser classificadas como de autoria e afetividade. Conclusões: A folksonomia adotada no acervo de imagens fotográficas da National Geographic Brasil, disponível na rede social Instagram, apresenta pluralidade e alguma preferência pelas três categorias supramencionadas dentro do quadro referencial de análise de imagens proposta por Manini (2002). Adicionalmente, dois tipos de etiquetas que extrapolam as categorias pré-estabelecidas foram encontrados: autoria e afetividade.


Palavras-chave


Folksonomia; Análise Documentária; Imagens; Rede Social; Instagram

Texto completo:

PDF

Referências


ASSIS, J. de. Indicadores de qualidade da informação em sistemas baseados em Folksonomia: uma abordagem semiótica. 2011. 209 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação, Belo Horizonte, 2011. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2017.

CAÑADA, J. Tipologias y estilos en el etiquetado social. 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2017.

CATARINO, M. E.; BAPTISTA, A. A. Folksonomia: um novo conceito para a organização dos recursos digitais na Web. DataGramaZero, v. 8, n. 3, jun. 2007. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2017.

CRESWELL, J. W. Pesquisa de métodos mistos. 2. ed. Porto Alegre: Penso, 2013. 288 p.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2008. Disponível em: . Acesso em: 29 abr. 2017.

KREBS, L. M.; LAIPELT, R. do C. F.; ROSA, S. S. da. O uso da folksonomia na atualização de vocabulários controlados da área da Pediatria. Prisma.com, Porto, n. 36, 2018. Disponível em: . Acesso em: 03 jun. 2018.

MAIMONE, G. D.; GRACIOSO, L. de S. Representação temática de imagens: perspectivas metodológicas. Informação&Informação, Londrina, v. 12, n. 1, jan./jun. 2007.

MANINI, M. P. Análise documentária de fotografias: um referencial de leitura de imagens fotográficas para fins documentários. 2002. 226 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações e Artes, Departamento de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, 2002. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2017.

NASCIMENTO, G. F. C. de L. Folksonomia como estratégia de indexação dos bibliotecários no Del.icio.us. 2008. 103 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal da Paraíba, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, 2008. Disponível em: . Acesso em: 26 maio 2017.

NORUZI, A. Folksonomies: why do we need controlled vocabulary? Webology, v. 4, n. 2, 2007. Disponível em: . Acesso em: 26 maio 2017.

PANOFSKY, E. Significado nas artes visuais. 2. ed. São Paulo: Perspectiva, 1979.

PEREIRA, D. de C.; CRUZ, R. do C. Folksonomia e etiquetas afetivas: comunicação e comportamento informacional no Twitter. DataGramaZero, v. 11, n. 6, 2010. Disponível em: . Acesso em: 24 nov. 2017.

SHATFORD, S. Analyzing the subject of a picture: a theoretical approach. Cataloging & Classification Quaterly, v. 6, n. 3, p. 39-62, 1986.

SMIT, J. W. A representação da imagem. Informare, Rio de Janeiro, v. 2, n. 2, p. 28-36, jul./dez. 1996.

SMIT, J. W. Análise documentária: a análise da síntese. Brasília: IBICT, 1987. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2017.

WAL, T. V. Folksonomy definition and wikipedia, 2005. Disponível em: . Acesso em: 01 maio 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n3p342

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional