Estudos de Usuários e Práticas Informacionais: do que estamos falando?

Ilemar Christina Lansoni Wey Berti, Carlos Alberto Ávila Araújo

Resumo


Introdução: O trabalho apresenta uma breve discussão acerca das diferenciações entre estudos de Comportamento informacional e Práticas informacionais presentes no campo de estudos de usuários de informação. Objetivo: Refletir sobre a relação das Práticas informacionais com o campo de Usuários da informação e propor uma análise das perguntas que as temáticas abordam e como abordam com base na Teoria social. Metodologia: Recuperam-se alguns pontos da história do desenvolvimento do campo e a influência da Teoria social para compreensão das Práticas informacionais, relacionadas à formação do conhecimento e a reciprocidade das ações na sua constituição. Resultados: Ressalta a importância da construção das significações para compreensão das necessidades, busca e uso da informação em diferentes contextos. Conclusões: As Práticas informacionais abordam as ações e significações dos sujeitos informacionais, uma perspectiva social da informação presente nos estudos de usuários.


Palavras-chave


Estudos de Usuários; Práticas Informacionais; Teoria Social

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Paradigma Social nos estudos de usuários da informação: abordagem interacionista. Informação & Sociedade: Estudos, João Pessoa, v.22, n.1, p. 145-159, jan./abr., 2012.

BAPTISTA, Sofia Galvão; CUNHA, Murilo Bastos da. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 2, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php? script=sci_arttext&pid=S141399362007000200011&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 07 jul. 2016.

CAPURRO, Rafael. Epistemologia e Ciência da Informação. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 5., 2003, Belo Horizonte. Anais...Belo Horizonte: Associação Nacional de pesquisa e Pós graduação em Ciência da Informação e Biblioteconomia, 2003.

DERVIN, Brenda; NILAN, Michael. Information needs and uses. Annual review of information science and technology. White Plains, NY: Knowledge Industry Publications, 1986.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. Novos paradigmas e novos usuários de informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 25, n. 2, p. 1-10, 1995.

FROHMANN, Bernd. O caráter social, material e público da informação. In: FUJITA, Mariangela Spotti Lopes; MARTELETO, Regina Maria; LARA, Marilda Lopes Ginez (Org.). A dimensão epistemológica da ciência da informação e suas interfaces técnicas, políticas e institucionais nos processos de produção, acesso e disseminação da informação. São Paulo: Cultura Acadêmica; Marília: Fundepe, 2008.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

HJORLAND, Biger; Albrechtsen, Hanne. Toward a new horizon in information science: domain analysis. Journal of the American Society for Information Science, Washington, v. 46, n.6, p. 400-425, 1995.

HJORLAND, Biger. Epistemology and the socio-cognitive perspectives in Information Science. Journal of the American Society for Information Science and Technology, New York, v.53, n.4, p. 257-270, 2002.

KUHLTHAU, Carol. Inside the search process: information seeking from the users perspective. Journal of the American Society for Information Science, Washington, v.42, n. 5, p. 361-371, 1991.

MCKENZIE, Pamela. A model of information practices in accounts of everyday – life information seeking. Jornal of Documentation, v. 59, n. 1, p. 19 – 40, 2003.

MORIN, Edgar. Sociologie. Paris: Fayard, 1984.

MARTELETO, Regina. Cultura informacional: construindo o objeto informação pelo emprego dos conceitos de imaginário, instituição e campo social. Ciência da Informação, Brasília, v. 24, n.1, 1995.

RENDÓN ROJAS, Miguel. Relación entre los conceptos: información, conocimiento y valor. Semejanzas y diferencias. Ciência da Informação, Brasília, v. 34, n. 2, p. 52-61, maio/ago. 2005.

SCHÜTZ, Alfred. Fenomenologia e relações sociais. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

TAYLOR, Robert S. Professional aspects of information science and technology. In: ANNUAL REVIEW OF INFORMATION SCIENCE AND TECHNOLOGY-ARIST, v.1, p. 15-40, 1986.

TALJA, Sanna. Constituting “Information” and “User” as Research Objects: A Theory of Knowledge Formations as an Alternative to the Information Man – Theory. In: VAKKARI, Perti; SAVOLAINEN, Reijo; DERVIN, Brenda (Eds). Information Seeking in Context. Londres: Taylor Graham, 1996, p.67-80.

WAGNER, Roy. A invenção da cultura. São Paulo: Cosac Naify Portátil, 1975.

WILSON, Thomas Daniel. Human Information Behavior. Informing Science, Brookhill Court, v. 3, n. 2, p. 49-54, 2000.

______. On User Studies and Information Needs. Journal of Documentation, London, v. 62, n. 6, p. 658-670, 2006. Disponível em: http://wwwemeraldinsightcom.ez27.periodicos.capes.gov.br/journals.htm?issn=00220418&volume=62&is sue=6&articleid=1580623&show=pdf>. Acesso em: 6 de maio 2013.

WILSON, Tom. A dimensão epistemológica da Ciência da Informação e seu impacto sobre o ensino em Arquivologia e Biblioteconomia. Brazilian Journal of Information Science, Marília, v. 2, n. 1, p. 3-15, jan./jun. 2008. Disponível em: http://www2.marilia.unesp.br/revistas/index.php/bjis/article/view/43/2046>. Acesso em: 6 maio 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n2p389

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional