A representação do domínio “gênero” no âmbito das linguagens documentárias: um mapeamento conceitual em instrumentos terminológicos

Ana Rosa Pais Ribeiro, Beatriz Decourt, Tatiana de Almeida

Resumo


Introdução: A pesquisa tem como foco principal os estudos do domínio “gênero” e é direcionada à análise de instrumentos de organização e representação da informação. Objetivos: Investiga conceitos e abordagens inerentes ao domínio em três Sistemas de Organização do Conhecimento (SOC) distintos e já consolidados em suas áreas de aplicação: o Tesauro para Estudos de Gênero e sobre Mulheres (TEG), os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) e a Classificação Decimal Universal (CDU). Metodologia: Utiliza o método de indução para a análise dos SOCs, que parte de conceitos pré-determinados para realizar a verificação, visando uma análise qualitativa e quantitativa dos Sistemas. Resultados: o estudo observou mudanças e ressignificações em conceitos do domínio gênero, a partir da análise dos instrumentos. Conclusões: Conforme a literatura em Organização do Conhecimento tem historicamente demonstrado, o estudo atestou o modo como as condições sociopolíticas e culturais interferem nas representações documentárias.


Palavras-chave


Organização do Conhecimento; Gênero; Tesauro para Estudos de Gênero e sobre Mulheres (TEG); Descritores em Ciência da Saúde (DeCS); Classificação Decimal Universal (CDU)

Texto completo:

PDF

Referências


ARDAILLON, D.; BRUSCHIN UNBEHAUM, C. S. G. Tesauro para estudos de gênero e sobre mulheres. São Paulo: Fundação Carlos Chagas. Ed.34, 1998. 304 p.

BIREME. Histórico. Disponível em: http://www.paho.org/bireme/index.php?option=com_content&view=article&id= 33%3Ahistoria&catid=38%3Abireme-cerca&Itemid=43〈=PT>. Acesso em 07 dez. 2016.

BIBLIOTECA VIRTUAL DE SAÚDE. Histórico. Disponível em: http://brasil.bvs.br/vhl/sobre-a-bvs/historico-da-rede-bvs-no-brasil/>. Acesso em 07 dez. 2016.

CAMPOS, M. L. A.; GOMES, H. E. Princípios para modelagem de domínio: a posição de Barry Smith e de Ingetraut Dahlberg. Revista Ciência da Informação, Brasília, v. 41, n. 1, p. 81-94, jan./abr. 2014.

CAMPOS, M. L. A.; GOMES, H. E. Organização de domínios de conhecimento e os princípios ranganathanianos. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 150-163, jul./dez. 2003.

CASTRO, E. Terminologia, palavras-chave, descritores em saúde: qual a sua utilidade? São Paulo: Jornal brasileiro de AIDS, 2001, v.2, n.1, p.51-61. Disponível em: http://decs.bvs.br/P/Artigo.pdf>. Acesso em 07 dez. 2016.

DAHLBERG, I. Teoria do conceito. Ciência da Informação, Rio de Janeiro, v.7, n.2, p.101-107, 1978. RICI: Revista Ibero-americana. Ci. Inf., ISSN 1983-5213, Brasília, v. 4, n. 2, p. 53-73, ago./dez.2011. 73

DAHLBERG, I. Knowledge Organization: A New Science? Knowledge Organization, 33(1). 11-19, 2006.

GOMES, H. E. Classificação, tesauro e terminologia: fundamentos comuns. Palestra preparada para as Tertúlias do Departamento de Biblioteconomia da UNIRIO, apresentada em julho de 1996. Disponível em: http://www.conexaorio.com/biti/tertulia/tertulia.htm>. Acesso em 03 de out.

GOMES, H. E. Tendências da pesquisa em organização do conhecimento. Tendências da Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação, v.2, n.1, p.60-88, 2009. Disponível em: http://basessibi.c3sl.ufpr.br/brapci/index.php/article/view/0000007771/a9da848c0f429ecab5cdf67f1f16b07b>. Acesso em:03 Out 2016

GUIMARÃES, J. A. C. Análise de domínio como perspectiva metodológica em organização da informação. Revista Ciência da Informação, Brasília, DF, v. 41 n. 1, p.13-21, jan./abr., 2014.

HEILBORN, M. L. “De que gênero estamos falando? In: Sexualidade, Gênero e Sociedade. Ano 1, n° 2 CEPESC/IMS/UERJ, 1994.

JESUS, Jaqueline G. (2010). Pessoas transexuais como reconstrutoras de suas identidades: reflexões sobre o desafio do direito ao gênero. In: Galinkin, Ana L. & Santos, Karine B. (orgs.), Anais do Simpósio Gênero e Psicologia Social: diálogos interdisciplinares, 80-89. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/233869298_Pessoas_transexuais_c omo_reconstrutoras_de_suas_identidades_reflexoes_sobre_o_desafio_do_dire ito_ao_genero>. Acesso em 25 mar 2017.

JESUS, Jaqueline Gomes de. Orientações sobre identidade de gênero: conceitos e termos. Brasília. 42 p., 2012. Disponível em: http://www.diversidadesexual.com.br/wpcontent/uploads/2013/04/G%C3%8A NERO-CONCEITOS-E-TERMOS.pdf> Acesso em 07 dez. 2016.

MEYER, Dagmar Estermann. Teorias e Políticas de Gênero: fragmentos históricos e desafios atuais. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasília (DF), v.57, n.1, p.8-13, jan/fev, 2004.

NASCIMENTO, F. A.; LEITE JUNIOR, F. F.; PINHO, F. B. A. Tipologias e classificações: um estudo sobre as temáticas de gênero e sexualidade no manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (dsm). Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, v. 16, s/n, 2015.

NOVELLINO, Maria Salet Ferreira. Instrumentos e metodologias de representação da informação. Informação & informação. Londrina, v.1, n.2, p.37-45, jul./dez. 1996.

PELLIZZON, Rosely de Fátima. Pesquisa na área da saúde: 1. Base de dados DeCS (Descritores em Ciências da Saúde). Acta Cir. Bras., São Paulo, v. 19, n. 2, p. 153-163, Abr. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010286502004000200 013&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 07 dez. 2016.

PINHO, Fabio Assis. Aspectos éticos em representação do conhecimento em temáticas relativas à homossexualidade masculina: uma análise da precisão em linguagens de indexação brasileiras. Tese de doutorado. Marília, 2010, 149 f.

PINSKY, Carla Bassanezi. Estudos de Gênero e História Social. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 17, n. 1, p. 159-189, Jan. 2009. ISSN 0104-026X. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/S0104026X200900010000 9>. Acesso em 07 dez. 2016.

POLITIZE… Conteúdo do site: http://www.politize.com.br/movimentofeminista-historia-no-brasil/>. Acesso em 07 dez. 2016.

SCOTT, J. W. “Gender: A Useful Category of Historical Analysis”. The American Historical Review, vol. 91, nº 5. (Dec,1986), pp. 1053-1075.

SOERGEL, Dagobert. Organization of knowledge and documentation. 1971. Disponível em: http://www.dsoergel.com/>. Acesso em 03 jul. 2016

SOUZA, Rosali Fernandez de. Organização do conhecimento. In.: TOUTAIN, Lídia M. B. B. (org.). Para entender a Ciência da Informação. Salvador: EDUFBA, 2007. p. 103-124.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n2p208

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional