Sobre o que falamos quando falamos em gênero na ciência da informação?

Mell Siciliano, Cleiton da Mota de Souza, Clara de Mello e Souza Meth

Resumo


Introdução: Atualmente diversos campos conduzem pesquisas sobre o domínio “gênero”. Este estudo investiga sob quais perspectivas este domínio é abordado pela Ciência da Informação (CI). Objetivo: O objetivo é identificar como o campo se apropria e/ou contribui para os estudos sobre gênero; tendo como norteadora a acepção de que gênero é um termo relacionado aos papéis sociais e expectativas de comportamento atribuídas as pessoas em função do seu sexo. Metodologia: Foi realizada coleta e análise das palavras-chave de 588 artigos indexados na Library and Information Science Abstracts (LISA), entre 1980 e 2016. Considerando o grande número de palavras-chave recuperadas, foi gerada uma nuvem de tags; permitindo a identificação dos termos mais utilizados por década. Resultados: Os resultados indicam que o domínio “gênero” foi abordado pela CI sob diferentes perspectivas ao longo dos anos, mas mantendo, de maneira geral, o foco principal em questões relacionadas a estudos sobre mulheres e diferenças de gênero. Observa-se também que o domínio é tratado pela CI principalmente dentro de tópicos tradicionais da área, como Recuperação da Informação e Comunicação Científica. Conclusões: Ressalta-se que o panorama resultante deste estudo abre novas possibilidades de investigação sobre como a CI aborda o domínio “gênero” em suas pesquisas científicas.


Palavras-chave


Gênero; Ciência da Informação; Estado de Conhecimento

Texto completo:

PDF

Referências


BUFREM, Leilah Santiago; NASCIMENTO, Bruna Silva do. A questão do gênero na literatura em Ciência da Informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 18, n. 3, p. 199-214, dez. 2012. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/33285>. Acesso em: 25 nov. 2016.

DIAS, Karla Cristina Oliveira; LIMA, Francisca Rosimere Alves de. Levantamento das produções sobre mulheres e relações de gênero nos artigos de periódicos em Ciência da Informação. Múltiplos Olhares em Ciência da Informação, [Belo Horizonte], v. 3, n. 2, p. 1-15, out. 2013. Disponível em: portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/moci/article/view/2166>. Acesso em: 25 nov. 2016.

ESPÍRITO SANTO, Patrícia. Os estudos de gênero da Ciência da Informação. Em Questão, Porto Alegre, v. 14, n. 2, p. 317-332, jul./dez. 2008. Disponível em: http://seer.ufrgs.br/index.php/EmQuestao/article/view/6389/4877>. Acesso em: 25 nov. 2016.

EUROPEAN INSTITUTE FOR GENDER EQUALITY. Gender equality glossary and thesaurus: gender disparities. Lituânia, c2016. Disponível em: http://eige.europa.eu/rdc/thesaurus/terms/1162>. Acesso em: 25 nov. 2016.

EUROPEAN ORGANIZATION FOR NUCLEAR RESEARCH. The birth of the web. Suíça, 2013. Disponível em: https://home.cern/topics/birth-web>. Acesso em: 07 dez. 2016.

FLEURY-TEIXEIRA, Elizabeth; CHIMELI, Isabela. Papéis femininos e papéis masculinos. In: FLEURY-TEIXEIRA, Elizabeth; MENEGHEL, Stela N. (Org.). Dicionário feminino da infâmia: acolhimento e diagnóstico de mulheres em situação de violência. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2015. p.153-155.

HØRLAND, Birger. What is knowledge organization (KO)? Knowledge Organization, [S.I.], v. 35, n. 2/3, p. 86-101, 2008.

MATOS, Marlise. Gênero. In: FLEURY-TEIXEIRA, Elizabeth; MENEGHEL, Stela N. (Org.). Dicionário feminino da infâmia: acolhimento e diagnóstico de mulheres em situação de violência. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2015. p.153-155.

MOROSINI, Marília Costa; FERNANDES, Cleoni Maria Barboza. Estado do Conhecimento: conceitos, finalidades e interlocuções. Educação Por Escrito, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p.154-164, jul./dez. 2014. Disponível em: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/porescrito/article/view/18875>. Acesso em: 25 nov. 2016.

PROQUEST. Library and Information Science Abstracts (LISA): About. [S.I.], 2016. Disponível em: http://proquest.libguides.com/lisa>. Acesso em: 20 nov. 2016.

SCOTT, Joan Wallach. Gender: a useful category of historical analysis. The American Historical Review, Oxford, v. 91, n. 5, p.1053-1075, dez. 1986. Disponível em: http://www-jstor-org.ez29.capes.proxy.ufrj.br/stable/1864376>. Acesso em: 26 dez. 2016.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n2p144

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional