Gestão de processo de compartilhamento do conhecimento tecnológico em uma empresa do setor elétrico (CEMIG)

Marcela Augusta da Silva Gomes Silveira, Fabricio Ziviani, Marta Araújo Tavares Ferreira, Ricardo Viana Carvalho de Paiva

Resumo


Introdução: A transferência do conhecimento tácito é fator de vantagem competitiva para as organizações. Nesse contexto, esse estudo tem como objetivo analisar a influência dos fatores relevantes à transferência do conhecimento tecnológico em uma organização. Objetivo: Buscou-se a compreensão das teorias e conceitos aplicados ao conhecimento, gestão do conhecimento e à transferência e compartilhamento do conhecimento. Metodologia: Para consecução desse objetivo, aplicou-se um questionário estruturado, com escala likert de 5 pontos. Essa pesquisa, trata-se de uma pesquisa descritiva, quantitativa, que tem como objeto de análise a Companhia Energética de Minas Gerais- CEMIG. Resultados: Como resultado identificou-se que a empresa não possui uma política ou estratégia definida para incentivar a transferência do conhecimento e ainda precisa melhorar a cultura organizacional que incentive sua transmissão. Apesar de não haver restrições quanto aos fatores idiossincráticos e estrutura organizacional. Conclusões: Conclui-se então, que os fatores Tempo, Linguagem, Confiança, Conhecimento Valorizado, Poder, Ambiente Favorável, Rede de Relacionamento, Hierarquia, Mídia, Reconhecimento e Recompensa, Treinamento, Transmissão de Conhecimento, Armazenagem do Conhecimento, Redes Sociais Digitais são influenciadores diretos do Compartilhamento do Conhecimento Tácito.


Palavras-chave


Conhecimento; Gestão do Conhecimento; Transferência do Conhecimento; Compartilhamento do Conhecimento; Setor Elétrico

Texto completo:

PDF

Referências


ANGELONI, M. T. Organizações do Conhecimento: infraestrutura, pessoas e tecnologias. São Paulo: Saraiva, 2008.

CAMPOS, M. Z. C. R. Disseminação e transferência do conhecimento tecnológico gerado em projetos de pesquisa e desenvolvimento: estudo de caso em empresa do setor elétrico brasileiro. 2008. 102 f. Dissertação (Mestrado em Administração) – Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008.

CARVALHO, R. B. Tecnologia da informação aplicada à gestão do conhecimento. Belo Horizonte: C/Arte, 2003.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de Pesquisa em Administração. 12. ed. Rio de Janeiro: Editora Bookman. 2016.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, L. Conhecimento Empresarial: Como as organizações gerenciam seu capital. 12. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DAFT, R. L.; LENGEL, R. H. Organizational information requirements, media richness and structural design. Management Science, v. 32, n. 5, p. 554-571, 1986.

DAFT, R. L.; LENGEL, R. H; TREVINO, L. K. Message Equivocality, Media Selection and Manager Performance: implications for information systems. MIS Quarterly, p. 355-366, set. 1987.

DISTERER, G. Fostering Knowledge Sharing: Why and How? In: REIS, A., ISAIAS, P. (Org.). Proceedings of the IADIS International Conference eSociety 2003, Lisbon, p. 219-226, 2003.

DRUCKER, P. F. Concept of the Corporation. New Brunswick, N.J., U.S.A: Transaction Publishers, 1993.

_______. O melhor de Peter Drucker: o homem, a administração e a sociedade. São Paulo: Nobel, 2013.

FAHEY, L.; PRUSAK, L. The eleven deadliest sins of knowledge management. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 265-76, 1998.

FLEURY, M. T. L.; OLIVEIRA JUNIOR, M. M. Gestão estratégica do Conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competências. São Paulo: Atlas, 2001.

HALDIN-HERRGARD, T. Difficulties in Diffusion of Tacit Knowledge in Organizations. Journal of Intellectual Capital, v. 1, n. 4, p. 357-365, 2000.

HANSEN, M.; NOHRIA, N.; TIERNEY, T. What’s your Strategy for Managing Knowledge? Harvard Business Review, p.1-10, mar./abr. 1999.

HAIR, J. F. et al. Análise Multivariada de Dados. Porto Alegre: Bookman, 2009.

JOIA, L. A. Knowledge Management Strategies: Creating and Testing a Measurement Scale. International Journal of Learning and Intellectual Capital. Inderscience, v. 4, n. 3, p. 203-221, 2007.

LEMOS, B. N. Fatores relevantes de sucesso à transferência do conhecimento tácito: evidências empírico-exploratórias em uma empresa petrolífera brasileira. 2008. 128 f. Dissertação (Mestrado Executivo em Gestão Empresarial) – Fundação Getúlio Vargas, Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas, Rio de Janeiro, 2008.

LEONARD, B. D.; SENSIPER, S. The Role of Tacit Knowledge in Group Innovation. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 112-132, 1998.

MORAES, M. C. O Paradigma Educacional Emergente. 16. ed. Rio de Janeiro: Editora Papipus, 2014.

MURRAY, S. R.; PEYREFITTE, J. Knowledge Type and Communication Media Choice in the Knowledge Transfer Process. Journal of Managerial Issues, v. 19, n. 1, p. 111-133, 2007.

MUSSI, C. C.; ANGELONI, M. T. Meios de compartilhamento do conhecimento no contexto de projetos de tecnologia da informação. Revista Eletrônica de Estratégia & Negócios, v. 4, p. 30-60, 2011.

NEVES, A. Web 2.0: Definição, Características e Exemplos. 2007. Disponível em: . Acesso em: 07 nov. 2014.

NONAKA, I. The knowledge-creating company. Harvard Business Review, v. 69, n. 6, p. 96-104, nov./dez. 1991.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

O’DELL, C.; GRAYSON, C. J. If Only We Knew What We Know: Identification and Transfer of Internal Best Practices. California Management Review, v. 40, n. 3, p. 154-174, 1998.

ROBERTS, J. From Know-How to Show-How? Questioning the Role of Information and Communication Technologies in Knowledge Transfer. Technology Analysis and Strategic Management, v. 12, n. 4, p. 429-443. 2000.

RUTTEN, W., BLAAS-FRANKEN, J.; MARTIN H. The impact of (low) trust on knowledge sharing. Journal of knowledge Management, v. 20, n. 2, p. 199-214, 2016.

SIMONE, C.; ACKERMAN, M.; WULF, V. Knowledge management in practice: A special issue. Computer Supported Cooperative Work: CSCW: An International Journal, v. 21, n. 2-3, p.109-110, jun. 2012.

SUN, P.; SCOTT, J. An investigation of barriers to knowledge transfer. Journal of Knowledge Management, v. 9, n. 2, p. 75-90, 2005.

SZULANSKI, G. Exploring internal stickiness: impediments to the transfer of best practice within the firm. Strategic Management Journal, v. 17, n. especial, p. 27-43, 1996.

URSO, G. et al. Knowledge Sharing is Power. Transition Studies Review, v. 16, p. 352-367, jun. 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n2p538

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional