A competência em informação e o comportamento informacional dos usuários de bibliotecas híbridas: um estudo comparativo no Brasil e na Escócia

Rafaela Carolina Silva, Selma Letícia Capinzaiki Ottonicar, Rosângela Formentini Caldas, Cláudio Marcondes de Castro Filho

Resumo


Introdução: As bibliotecas híbridas possuem vários recursos a oferecer para os usuários. Assim, eles precisam ser competentes em informação para conseguir acessar, avaliar e usar a informação nessas bibliotecas. Além disso, eles precisam desenvolver seu comportamento informacional para acessar as informações de maneira efetiva. Objetivos: A pesquisa busca refletir sobre a relação da competência em informação e do comportamento informacional no contexto das bibliotecas híbridas. Metodologia: A Análise de Conteúdo foi usada para levantar os indicadores de bibliotecas híbridas a serem estudados. Utilizou-se o Estudo de Casos Múltiplos para comparar a relação da competência em informação e do comportamento informacional no contexto das bibliotecas híbridas do Brasil e do Reino Unido. Resultados: Com a bagagem teórica que a revisão de literatura trouxe, juntamente com os dados levantados no Estudo de Caso, construiu-se um quadro teórico inter-relacionando as temáticas estudadas no âmbito da hibridez. Conclusões: destacou-se que as bibliotecas híbridas se utilizam da competência em informação e do comportamento informacional para ir além do usuário. Nesse sentido, os objetivos da biblioteca vão de encontro com as necessidades informacionais dos usuários.


Palavras-chave


Competência em Informação; Comportamento Informacional; Bibliotecas Híbridas; Bibliotecas

Texto completo:

PDF

Referências


ABBOT, C. Hybrid information management: skills for a senior staff. Birmingham: University of Birmingham, 2003.

AGUIAR, N. C. de. A contribuição teórica de Kelley Cristine Gonçalves Dias Gasque para o discurso da competência informacional no Brasil. Ciência da Informação, Maceió, v. 4, n. 1, p. 17-27, jan./abr. 2017. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/cir/article/view/2860/2446>. Acesso em: 05 ago. 2017.

ARAÚJO, A. C. A. Estudos de usuários da informação: comparação entre estudos de uso, de comportamento e de práticas a partir de uma pesquisa empírica. Informação em Pauta, Fortaleza, v. 1, n. 1, jan./jun. 2016. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/informacaoempauta/article/view/2970>. Acesso em: 20 set. 2017.

ASSOCIATION OF COLLEGE & RESEARCH LLIBRARIES. Framework for Information Literacy for Higher Education. 2015. Disponível em: http://www.ala.org/acrl/standards/ilframework>. Acesso em: 26 set. 2017.

BELLUZZO, R.C.B. Construção de mapas: desenvolvendo competências em informação e comunicação. Bauru: Autores Brasileiros, 2007.

DEWE, M. Planning public library buildings: concepts and issues for the librarian. Londres: Routledge, 2016.

DUARTE, E. J.; CALDIN, C., F. Estética: uma dimensão da Competência em informação a ser percebida por bibliotecário de biblioteca pública. Informação e Sociedade, João Pessoa, v. 26, n. 2, p. 7-23, maio/ago. 2016. Disponível em: http://www.ies.ufpb.br/ojs/index.php/ies/article/view/29265/16193>. Acesso em: 03 jun. 2017.

GARCEZ, E. M. S; RADOS, G. J. V. Biblioteca híbrida: um novo enfoque no suporte à educação a distância. Ciência da Informação, Brasília, v. 31, n. 2, p. 44-51, maio/ago. 2002. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v31n2/12907.pdf>. Acesso em: 17 maio 2014.

GASQUE, K. C. D. G; COSTA, S. M. S. Evolução teórico-metodológica dos estudos de comportamento informacional de usuários. Ciência da Informação, Brasília, v. 39 n. 1, p. 21-32, jan./abr. 2010. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v39n1/v39n1a02.pdf>. Acesso em: 26 set. 2017.

GOMES, M. A.; DUMOND, L. M. M. A noção de competência em informação e a de sociologia da educação e do trabalho: embate epistemológico. InCID, Ribeirão Preto, v. 6, n. 2, p. 84-105, set. 2015/fev. 2016. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/incid/article/view/89929>. Acesso em: 15 ago.

LAU, J. Diretrizes sobre desenvolvimento de habilidades de informação para a aprendizagem permanente. The Haague: IFLA, 2007. Disponível em: http://www.ifla.org/files/assets/information-literacy/publications/iflaguidelinespt.pdf>. Acesso em: 08 set. 2017.

LIMA, T. C. S. de; MIOTO, R. C. T. Procedimentos metodológicos na construção do conhecimento científico: a pesquisa bibliográfica. Revista Katál, Florianópolis, v. 10, n. esp., p. 37-45, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rk/v10nspe/a0410spe.pdf>. Acesso em: 25 set. 2017.

LIMBERG, L.; SUNDIN, O.; TALJA, A. Three Theoretical perspectives on information literacy. HUMAN IT, v. 11, n. 2, p. 93–130, 2012. Disponível em: https://humanit.hb.se/article/view/69/51>. Acesso em: 05 ago. 2017.

LLOYD, A. Information literacy and literacies of information: a mid-range theory and model. Journal of Information Literacy, v. 11, n. 1, p. 91-105, 2017. Disponível em: https://ojs.lboro.ac.uk/JIL/article/view/PRA-V11-I1-5>. Acesso em: 25 set. 2017.

LWOGA, E. T. Mapping information literacy outcomes and learning experiences of health sciences undergraduate students. Partnership: the Canadian Journal of Library and Information Practice and Research, v. 9, n. 1, 2014. Disponível em: https://journal.lib.uoguelph.ca/index.php/perj/article/view/2695/3219#.Wcrw7si GPIU>. Acesso em: 22 jul. 2017.

MALAQUIAS, F. F. de O. et al. Comportamento informacional: um estudo com alunos do curso de administração. Revista Estudo & Debate, Lajeado, v. 24, n. 2, 2017. Disponível em: http://univates.br/revistas/index.php/estudoedebate/article/view/1292/1190>. Acesso em: 20 set. 2017.

MATINEZ-SILVEIRA, M.; ODDONE, N. Necessidades e comportamento informacional: conceituação e modelos. Ciência da Informação, Brasília, v. 36, n. 1, p. 118-127, maio/ago. 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ci/v36n2/12.pdf>. Acesso em: 20 set. 2017.

OPPENHEIM, C.; SMITHSON, D. What is the hybrid library? Journal of Information Science, Reino Unido, v. 25, n. 2, p. 97-112, out./nov. 1999. Disponível em: http://jis.sagepub.com/content/25/2/97.full.pdf+html>. Acesso em: 17 jan. 2015.

PIRES, E. A. N. Comportamento informacional e processo de busca da informação: bases fundamentais para pesquisa científica. Revista ACB, Florianópolis, v.17, n.2, p. 288-307, jul./dez. 2012.

POZO, J. I. A Sociedade da Aprendizagem e o desafio de converter informação em conhecimento. Revista Pátio, ano 8, ago./out. 2004. Disponível em: http://www.udemo.org.br/A%20sociedade.pdf>. Acesso em: 17 ago. 2015.

RGU.AC.UK. Library. 2016. Disponível em: http://www.rgu.ac.uk/staff-andcurrent-students/library/library/>. Acesso em: 15 jun. 2016.

RUSSELL, R.; GARDNER, T.; MILLER, P. Hybrid information environments: overview and requirements. 1999. Disponível em: http://www.ukoln.ac.uk/dlis/models/requirements/overview/>. Acesso em: 20 jan. 2015.

SILVA, A. M. da. Ciência da Informação e comportamento informacional: enquadramento epistemológico do estudo das necessidades de busca, seleção e uso. Revista de Ciências e Tecnologias de Informação e Comunicação, Porto, n. 21, 2013. Disponível em: http://revistas.ua.pt/index.php/prismacom/article/view/2659>. Acesso em: 20 set. 2017.

SILVA, R. C. da. Gestão de bibliotecas públicas no contexto híbrido: um estudo comparativo de bibliotecas híbridas no âmbito nacional e internacional em prol do desenvolvimento de comunidades. 2017. 288 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília. Disponível em: https://repositorio.unesp.br/handle/11449/150798>. Acesso em: 31 jul. 2017.

SILVIA, P. M. O comportamento dos usuários de bibliotecas em sistemas de informação. TransInformação, Campinas, v. 20, n. 3, p. 255-263, set./dez. 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/tinf/v20n3/04.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2017.

UNESCO. Towards Information literacy indicators. Paris: UNESCO, 2008. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0015/001587/158723e.pdf>. Acesso em: 12 set. 2017.

WILSON, T. D.; WALSH, C. Information behavior: an interdisciplinary perspective. Sheffield: University of Sheffield, 1996. Disponível em: http://informationr.net/tdw/publ/infbehav/cont.html>. Acesso em: 13 ago. 2015.

WILSON, T. D. On user studies and information needs. Journal of Documentation, v. 31, n. 1, p. 3-15, 1981. Disponível em: http://www.emeraldinsight.com/doi/abs/10.1108/eb026702>. Acesso em: 03 set. 2017.

YIN, R. Estudo de caso: planejamento e métodos. Porto Alegre: Bookman, 2005.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n1p398

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional