Compreensões sobre o dispositivo: da informação à via para profanação

Jackson da Silva Medeiros

Resumo


Introdução: A comunicação do conhecimento pode ser enxergada nas condições epistemológicas e institucionais da mediação do ciclo informacional, atuando como interveniente na construção social do conhecimento, controlada por regramentos explícitos ou implícitos que despertam ou que barram o fluxo do conhecimento. Objetivo: Explorar e refletir sobre dispositivos a partir da ideia que a verdade está colocada em ações e práticas contextualmente específicas, visando discutir e contribuir para uma sistematização das problemáticas “documento” e “informação”, compreendendo e estrategizando relações de força e de poder. Metodologia: Leituras e interpretações da ideia de dispositivo, apresentada por Michel Foucault e posteriormente interpretada e trabalhada por outros autores, empreendendo sua construção no corpo conceitual da informação e do documento para acesso ao conhecimento científico. Resultados e Conclusões: Ainda parciais, os resultados apontam na direção de que dispositivos que se utilizam da informação e do documento operam no controle e nas estratégias de regulação do poder na comunicação da informação científica, já que este tipo de conhecimento é uma construção de uma verdade, sendo validados dentro de uma comunidade, necessitando do olhar sobre dispositivos que profanação ao sagrado.

Palavras-chave


Dispositivo; Documento; Comunicação Científica; Informação Científica

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. O que é um dispositivo? In: AGAMBEN, G. O que é o contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.

BOURDIEU, P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. 11. ed. Campinas: Papirus, 2011.

BUCKLAND, M. Information as thing. Journal of the American Society for Information Science, v. 42, n. 5, p. 351-360, 1991.

BUSSOLINI, J. What is a dispositive? Foucault Studies, n. 10, p. 85-107, nov. 2010.

CHIGNOLA, S. Sobre o dispositivo: Foucault, Agamben, Deleuze. Cadernos IHU ideias, ano 12, n. 214, v. 12, p. 3-18, 2014.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. Novos cenários políticos para a informação. Ciência da Informação, v. 31, n. 1, p. 27-40, jan./abr. 2002.

GONZÁLEZ DE GÓMEZ, M. N. Regime de informação: construção de um conceito. Informação & Sociedade: Estudos, v. 22, n. 3, p. 43-60, set./dez. 2012.

FOUCAULT, M. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 25. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2012.

FOUCAULT, M. Verdade, poder e si mesmo. In: FOUCAULT, M. Ética, sexualidade e política. p. 294-300, 2004. (Ditos & Escritos; V).

FROHMANN, B. Revisiting “what is a document?”. Journal of Documentation, v. 65, n. 2, p. 291-303, 2009.

FROHMANN, B. Taking information policy beyond information science: applying the actor network theory. ANNUAL CONFERENCE: CANADIAN ASSOCIATION FOR INFORMATION, 23., 1995. Proceedings... Edmonton, Alberta: CAIS/ACSI, 1995.

LARA, M. L. G.; ORTEGA, C. D. Para uma abordagem contemporânea do documento na Ciência da Informação. International Society for Knowledge Organization, 20. Actas... Espanha: Universidade da Coruña, 2012. p. 371-387.

MURGUIA, E. I. Entrevista: Eduardo Ismael Murguia. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 5, n. 2, p. 164-184, set. 2014/fev. 2015.

SILVA, E. M.; GARCIA, J. C. R. Política de Informação e Memória - Entrevista com Sandra Braman. Informação & Sociedade: Estudos, v. 26, n. 3, p. 241245, set./dez. 2016.

SMITH, B. Document acts. In: KONZELMANN-ZIV, A.; SCHMID, H. B. (Ed.). Institutions, Emotions, and Group Agents. Contributions to Social Ontology. Dordrecht: Springer, 2014, p. 19-31. (Philosophical Studies Series).

TAUILE, J. R. Uma introdução à economia política da informação. Ensaios FEE, Porto Alegre, v. 2, n. 2, p. 89-108, 1981.

TAVARES, D. W. S.; LOUREIRO, J. M. M. Dispositivos de informação: arquivos, memórias e informação. TransInformação, v. 29, n. 1, p. 73-80, jan./abr., 2017.

WERSIG, G.; NEVELING, U. The phenomena of interest to Information Science. Information Scientist, v. 9, n. 4, p. 127-140, dec. 1975.

WILKE, V. C. L. Informação, poder e estado: o dispositivo informacional e as políticas públicas de inclusão digital do governo brasileiro (2003-2008). In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 10., 2009, Anais… João Pessoa: ENANCIB/PPGCI/UFPB, 2009.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2017v22n3p158

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional