A resposta de crianças com deficiência visual as relações texto-imagem no livro ilustrado contemporâneo.

Tássia Ruiz, Rosane Fonseca de Freitas Martins

Resumo


Introdução: Em uma sociedade mediada pela visualidade e diante de um número crescente de pesquisas que propõem investigar a habilidade do jovem leitor em compreender o intrigante texto literário, é instigante que pouco ainda se relate sobre a inclusão da criança com deficiência visual nesse universo de integração de linguagens (imagem e texto) e narrativa ficcional. Objetivo: Apresentar a resposta de crianças com deficiência visual, entre 10 e 14 anos, sobre o livro infantil ilustrado, analisando como se estabelecem e dialogam as relações entre texto e imagem durante a leitura das obras adaptadas: Adélia Esquecida e Adélia Sonhadora. Metodologia: De caráter exploratório, utilizou-se a pesquisa de campo com observação participativa e entrevista semiestruturada (roteiro). Resultados: Mostra-se diferentes relações entre o texto e a imagem, da integração de linguagens à fragmentação de sentidos, em um campo ainda pouco explorado pela comunidade científica: a imagem não mediada pela visão. Conclusão: Ao apresentar novos parâmetros para as discussões sobre a dinâmica imagem-texto no livro ilustrado adaptado, espera-se a ampliação das possibilidades de diálogo e compartilhamento de informações com o público pesquisado, promovendo a inclusão da deficiência visual.


Palavras-chave


Livro Ilustrado; Deficiência Visual; Relação Texto-imagem

Texto completo:

PDF

Referências


COELHO, N. N. Literatura infantil: teoria, análise, didática. São Paulo: Ática, 2000.

ERIKSSON, Y. How to make tactile pictures understandable to the blind reader. In: PROCEEDINGS OF THE 65TH IFLA COUNCIL AND GENERAL CONFERENCE. 1999. Bangkok: 1999.

FREITAS NETO, A. S. de. Do Braille às tecnologias digitais de informação e comunicação: leituras e vivências de cidadãos-cegos, suas relações com a informação e com a construção de conhecimento. 2006. 109 f. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal da Bahia, Instituto de Ciências da Informação, Salvador, 2006. Disponível em: . Acesso em: 25 maio 2013.

GIL, M. (Org.). Deficiência visual. Brasília: MEC, Secretaria de Educação a Distância, 2000.

HORACEK, P. Silly Suzy Goose. Candlewick Press, 2009.

HUNT, P. Crítica, teoria e literatura infantil. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

JOHNSTON, N. Telling stories through touch. London: Clear vision, 2005. Disponível em: . Acesso em: 20 ago. 2013.

MENEGASSI, R. J. Compreensão e interpretação no processo de leitura: noções básicas ao professor. Revista UNIMAR, Maringá, v. 17, n. 1, p. 85-94, 1995.

MITCHELL, W. J. T. Iconology: image, text, ideology. Londres: University of Chicago, 1942.

NODELMAN, P. Words about Pictures. Georgia: University of Georgia Press, 1988.

RUIZ, T. Imagem Tátil: a apreensão da imagem em relevo pela criança cega congênita. 2010. 98 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Design Gráfico) – Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2010.

SANTAELLA, L. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2007.

SIPE, L. How picture books work: a semiotically framed theory of text-picture relationships. Children´s literature in education, [S.l.], v. 29, n. 2, p. 97-108, 1998.

TAPSCOTT, D. A hora da geração digital: como os jovens que cresceram usando a internet estão mudando tudo, das empresas aos governos. Rio de Janeiro: Agir Negócios, 2010.

VILELA, F. Lampião & Lancelote. São Paulo: Cosac Naif, 2006.

ZATZ, L. Adélia Esquecida. São Paulo: WC Produto, 2011a.

______. Adélia Sonhadora. São Paulo: WC Produto, 2011b.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n3p646

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional