As contribuições da inteligência competitiva para a estratégia no contexto de uma instituição bancária

Maíra Esteves de Carvalho, Helga Cristina Hedler, Lilian Maria Araújo de Rezende Alvares, Eduardo Amadeu Dutra Moresi, Ana Paula Bernardi da Silva

Resumo


Introdução: As instituições bancárias brasileiras possuem, em geral, produtos e serviços semelhantes, com pouca distinção entre si. Portanto, a utilização das informações de forma estratégica e inteligente podem determinar o sucesso e a permanência no mercado.  A inteligência competitiva (IC) têm se preocupado com o gerenciamento destas informações, estruturando seu processo para o aprimoramento do conhecimento acerca dos seus concorrentes, antecipando-se de forma a conquistar novos mercados e alcançar melhores resultados. Objetivo: Compreender como a IC tem contribuído para o alcance dos objetivos estratégicos de um banco a partir da percepção de gestores, abordando-se a estrutura, recursos pessoais e tecnológicos da IC. Metodologia: A caracterização da visão sistêmica do processo de IC nas instituições financeiras foi realizada através de levantamento bibliográfico, culminando na elaboração de instrumentos de pesquisa. Este foi aplicado para os gestores de um banco de grande porte.  Quinze de cinquenta funcionários dos níveis estratégico, tático e operacional da IC participaram da fase de coleta de dados, a qual incluía entrevistas e um grupo focal. Os resultados foram agregados em quatro categorias (visão, ciclo, práticas e desafios) onde cada contempla seus temas. Resultados: A IC foi considerada um elemento chave no processo estratégico ainda que se apresente em estágio inicial. Um dos principais desafios é relacionar os esforços de inteligência com os resultados efetivamente alcançados, mensurando assim o seu valor estratégico. Conclusões: Como contribuição teórica deste trabalho foi proposto um processo de IC, que contempla abordagens científicas diferenciadas, sintetizando a dinâmica das etapas ao longo do processo. A contribuição prática se dá através da implantação e estruturação do processo de IC de forma detalhada.


Palavras-chave


Inteligência Competitiva; Tomada de Decisão; Estratégia

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, A. F. et al. Inteligência competitiva. In: CORAL, E.; OGLIARI, A. & ABREU, A. F. Gestão Integrada de inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008. Cap. 6, p. 113-135.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS ANALISTAS DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA – ABRAIC. História da IC no Brasil. Disponível em: http://abraic.org.br/inf.php?idAtual=1&idTela=5>. Acesso em: 05 abr. 2014.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRESOLIN, L. K. A inteligência nas instituições financeiras brasileiras. 2012. 62f., il. TCC (Especialização em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2012.

CAMPELLI, M. G. R.; BARBEJAT, M. E. R. P.; CASAROTTO FILHO, N.; N. M. Perspectivas da inteligência competitiva no Brasil. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO EM ENGENHARIA, 34., 2011, Blumenau/SC. Anais…Blumenau: COBENGE, 2011. Disponível em: < http://www.abenge.org.br/cobenge/arquivos/8/sessoestec/art1706.pdf>. Acesso em: 13 mar. 2014.

CANONGIA, C. et al. Foresight, inteligência competitiva e gestão do conhecimento: instrumentos para a gestão da inovação. Gestão & Produção, v. 11, n. 2, p. 231-238, 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/%0D/gp/v11n2/a09v11n2.pdf>. Acesso em: 07 nov. 2013.

CAPUANO, E. A. et al. Inteligência competitiva e suas conexões epistemológicas com gestão da informação e do conhecimento. Ciência da Informação, Brasília, v 38, n. 2, p. 19-34, 2009.

CASTRO, J. M.; ABREU, P. G.F. Influência da inteligência competitiva em processos decisórios no ciclo de vida das organizações. Ciência da Informação, v. 35, n. 3, p. 15-29, 2006.

CRESWELL, J. W. Projeto de Pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. Porto Alegre: Artmed, 2010.

FULD, L. The new competitor intelligence. New York: John Wiley & Sons, 1994.

GANESH, U.; MIREE, C. E.; PRESCOTT, J. Competitive intelligence field research: moving the fiel foward by setting a research agenda. Journal of Competitive Intelligence and Management, v. 1, n. 1, p. 1-14, Spring 2003.

GARCIA, T. D. Seminário de Inteligência Competitiva: informação e conhecimento. México: Innestec, 1997. p.21.

GOMES, E.; BRAGA, F. Inteligência competitiva no Brasil: uma realidade corporativa. Revista Puzzle, ano 6, n. 23, 2006.

HEPPES, D.; DU TOIT, A. Level of maturity of the competitive intelligence function: case study of a retail bank in South Africa. In: ASLIB Proceedings. United Kingdom: Emerald Group Publishing Limited, 2009. p. 48-66.

LEÃO, P. R. C. et al. A relevância da metodologia de cenários para instituições financeiras em momentos de crise. Future Studies Research Journal: Trends and Strategies, v 2, n. 2, p. 38-55, 2010.

MARCIAL, E. C. Aspectos fundamentais da inteligência competitiva e a ciência da informação. 2013. 252 f., il. Tese (Doutorado em Ciência da Informação). Universidade de Brasília, Brasília, 2013.

MARIN, J.; POULTER, A. Dissemination of competitive intelligence. Journal of Information Science, 2004. Disponível em: < http://jis.sagepub.com/content/30/2/165.short>. Acesso em: 04 abr. 2014.

MENDES, A.; MARCIAL, E.; FERNANDES, F. Fundamentos da Inteligência competitiva. v. 1. Coleção Inteligência Competitiva. Brasília: Thesaurus Editora, 2010.

MILLÁN, J. T.; COMAI, A. La inteligência competitiva em las multinacionales catalanas. El Professional de La información, Barcelona, v. 13, n. 6, p. 478480, 2004.

MORESI, E. A. D. Inteligência organizacional: um referencial integrado. Ciência da Informação, v. 30, n. 2, p.35-46, ago. 2001.

OLIVEIRA, P. H. Eficiência em inteligência competitiva no contexto das organizações brasileiras: uma abordagem pela VBR e DEA. 2013. 286 f., il. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2013.

OLIVEIRA, O.; FORTE, S. A indústria bancária brasileira: Construindo cenários prospectivos e identificando as estratégias de utilização mais provável. Revista Portuguesa e Brasileira de Gestão, v 8, n. 2, p. 64-77, 2009.

POPA, I. A; CUCUI, G. A Framework for Enhancing Competitive Intelligence Capabilities using Decision Support System based on Web Mining Techniques. Int. J. of Computers, Communications & Control, n. 4, p. 326-334, 2009.

PRESCOTT, J. E., MILLER, S. H. Inteligência competitiva na prática: técnicas e práticas bem sucedidas para conquistar mercados. Rio de Janeiro: Editora Campos, 2002. 371p.

SANTOS, R. N. M. Métodos e ferramentas para gestão de inteligência e do conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v 5, n. 2, p. 205-215, jul./dez. 2000.

STRATEGIC and Competitive Intelligence Professionals – SCIP. Disponível em: < http://www.scip.org >. Acesso em: 15 mar. 2014.

TARAPANOFF, K. Inteligência, Informação e Conhecimento. Brasília: IBICT; UNESCO, 2006.

TERRA, J. C. C. Gestão do conhecimento e inteligência competitiva. 2008. Disponível em: < http://www.terraforum.com.br/biblioteca/Documents/Gestao%20do%20Conhec imento%20e%20Inteligencia%20Competitiva.pdf>. Acesso em: 12 abr. 2014.

TRINDADE, A.B.; REBELO, L.M.B. Minimizando riscos na gestão estratégica: proposta de uso de inteligência competitiva em instituições de ensino e pesquisa. In: ABRAIC: Prêmio de Inovação em Inteligência Competitiva. Brasília: ABRAIC / FINEP, 2005. p.47-67.

TRZECIAK, D. S.; SCHENATTO, F. J. A.; ABREU, A. F. Inovação e inteligência competitiva: uma abordagem integradora sob o enfoque dos processos. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 28., 2008, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ABERPRO, 2008.

VIDIGAL, F.; NASSIF, M. E. Inteligência Competitiva: metodologias aplicadas em empresas brasileiras. Informação & Informação, Londrina, v. 17, n. 1, p. 93-119, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2018v23n1p225

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional