Design thinking como estratégia de inovação em bibliotecas

Jordan Paulesky Juliani, Diego de Castro Vieira, Déborah Medeiros, Douglas Paulesky Juliani

Resumo


Introdução: A necessidade por inovar e caracterizar o que é novo, faz com que o termo inovação esteja permanentemente na agenda de um número crescente de organizações dos mais variados segmentos. As bibliotecas enquanto organizações precisam inovar, trata-se de uma demanda emergente. Objetivo: Empregar as técnicas e processos do design thinking (DT) como instrumento de inovação na Biblioteca Universitária da UDESC. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, desenvolvida por meio de uma pesquisa-ação. Os dados foram coletados por meio de entrevistas. Concluída a coleta de dados realizaram-se as etapas do DT, a partir do emprego da técnica do grupo focal. Resultados: O processo de DT permitiu desenvolver uma inovação incremental para a Biblioteca. Para que a inovação aconteça é fundamental que os atores envolvidos no processo estejam libertos de paradigmas e ideias preconcebidas. A utilização das técnicas de grupo focal, combinada com a de cartões de insights e diagrama de afinidades foram fundamentais para que as etapas do DT pudessem ter sido realizadas com sucesso. Conclusões: A prototipação da inovação na biblioteca da UDESC sugeriu uma melhora significativa ao uso da sua estrutura e recursos disponíveis. O DT demonstrou-se simples e efetivo para sistematizar a inovação em bibliotecas.


Palavras-chave


Inovação; Bibliotecas Universitárias

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Leonardo; GAVA, Rogério. Empresas proativas: como antecipar mudanças no mercado. Rio de Janeiro: Campus, 2011.

BIOLCHINI, Clarissa; PIMENTA, Marcelo; OROFINO, Maria Augusta. Ferramentas visuais para estrategistas. São Paulo: Bmgenbrasil, 2012. Disponível em: http://materiais.bmgenbrasil.com/estrategista-visual>. Acesso em: 15 dez. 2015.

BROWN, Tim. Design thinking: uma metodologia poderosa para decretar o fim das velhas ideias. Rio de Janeiro: Campus, 2010.

CHRISTENSEN, Clayton. The innovator’s dilemma. Nova York: Harper Business Essentials, 2003.

CORAL, Eliza; OGLIARI, André; ABREU, Aline França. Gestão integrada da inovação: estratégia, organização e desenvolvimento de produtos. São Paulo: Atlas, 2008.

DESCHAMPS, Fernando; HERMANN, Ingo Louis. Gestão da inovação. Florianópolis: SENAI/SC, 2011.

FINEP - FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS. Brasil inovador: o desafio empreendedor - 40 histórias de sucesso de empresas que investem em inovação. Brasília: IEL, 2006.

FREEMAN, Christopher; PEREZ, Carlota. Structural crises of adjustment, business cycles and investment Behaviour. In: DOSI, Giovanni et al. Technical change and economic theory. London New York: Pinter Publishers, 1988. p. 38-66

GIBSON, Rowan; SKARZYNSKI, Peter. Inovação prioridade N.1: o caminho para trasformações nas organizações. Rio de Janeiro: Elsevier, 2008.

JUNGMANN, Diana de Mello; BONETTI, Esther Aquemi. Proteção da criatividade e inovação: entendendo a propriedade intelectual: guia para jornalistas. Brasília: IEL, 2010.

MACHADO, Murilo Milton. Mapeamento espacial e proposta de sinalização no serviço de periódicos da Biblioteca Central da UFSC. Revista ACB: Biblioteconomia em Santa Catarina, Florianópolis, v. 8, n. 1, p. 70-78, 2003.

MARTIN, Roger. Design thinking: achieving insights via the knowledge funnel. Strategy & Leadership, United Kingdom, v. 38, n. 2, p. 37-41, 2010.

OCDE - ORGANIZAÇÃO PARA COOPERAÇÃO ECONÔMICA E DESENVOLVIMENTO. Manual de Oslo: proposta de diretrizes para coleta e interpretação de dados sobre inovação tecnológica. Brasília: FINEP, 2005.

OROFINO, Maria Augusta Rodrigues. Técnicas de criação do conhecimento no desenvolvimento de modelos de negócio. 2011. 223 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia e Gestão do Conhecimento) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro Tecnológico, Florianópolis. 2011.

SÁNCHEZ AVILLANEDA, María del Rocío. Señalética: conceptos y fundamentos: una aplicacion em bibliotecas. Buenos Aires: Alfagrama, 2005.

SCHUMPETER, Joseph Alois. Teoria do desenvolvimento econômico: uma investigação sobre lucros, capital credito, juro e o ciclo econômico. São Paulo: Nova cultural, 1997.

TERRA, José Claudi Cyrineu. Inovação: quebrando paradigmas para vencer. São Paulo: Saraiva, 2007.

THIOLLENT, Michel. Pesquisa-ação nas organizações. São Paulo: Atlas, 1997.

TIDD, Joe; BESSANT, John; PAVITT, Keith. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

VIANNA, Mauricio et al. Design thinking: inovação em negócios. 5. ed. Rio de Janeiro: MJV Press, 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n3p101

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional