Educação Corporativa na perspectiva da Inteligência Organizacional

Kelly Cristina Wilhelm De Toni, Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares

Resumo


Introdução: Para enfrentar os desafios da competitividade e alcançar as condições para geração de inovação é preciso assegurar-se que a força de trabalho se mantenha altamente qualificada. Nesse contexto, a educação corporativa surge como uma alternativa. Objetivo: Propor um método para analisar a relação entre as abordagens de processo da Inteligência Organizacional e Educação Corporativa. Metodologia: Construção teórica realizada com base na revisão de literatura. E construção de uma abordagem metodológica ligada ao problema desta pesquisa. Resultados: Identificação de um conjunto de elementos comuns entre as abordagens: a “Captura” e “Compartilhamento” de conhecimentos e experiências, o “Significado” compartilhado e a “Cultura” de aprendizado individual e organizacional. Conclusões: Existe uma verdadeira conexão entre as abordagens do estudo. O método proposto pode ser percebido como um instrumento para explicar e avaliar o processo de educação nas corporações pela perspectiva da inteligência organizacional.


Palavras-chave


Educação Corporativa; Inteligência Organizacional; Educação Corporativa; Inteligência Organizacional

Texto completo:

PDF

Referências


ALLEN, M. (Org). The Corporate university handbook: designing, managing and growing a successful program. New York: Amacom, 2002. p.43-66.

______. (Org.) The next generation of corporate universities: innovative approaches for developing people and expanding organizational capabilities. São Francisco: John Wiley and Sons, 2007. 410 p.

ANTONELLO, C. S. A metamorfose da aprendizagem organizacional: uma revisão crítica. In: RUAS, R. L., ANTONELLO, C. S.; BOFF, L. H. (Org.) Os novos horizontes da gestão: aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman. 2005. p.12-33.

BRANDÃO, H. P. Aprendizagem e desenvolvimento de competências: conceitos, pressupostos e práticas. In: TARAPANOFF, Kira. (Org). Aprendizado Organizacional: contextos e propostas, vol. 2. Curitiba: Ibpex, 2011. p.95-96.

CARBONE, P. P. et al. Gestão por competências e gestão do conhecimento. Rio de Janeiro: FGV, 2005.

CHOO, C. W. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo: Senac, 2003.

______. Information management for the intelligent organization: the art of scanning the environment. 2ª ed. Medford, NJ: Information Today, Inc., 1998.

DUMONT, D. M. et al. Inteligência pública na era do conhecimento. Rio de Janeiro: Revan, 2006.

EBOLI, M. Educação Corporativa no Brasil: Mitos e Verdades. São Paulo: Gente, 2004.

______. (Coord.). Universidades corporativas: educação para as empresas do século XXI. São Paulo: USP, 1999. (Coletânea Universidades Corporativas).

______. Dez anos de educação corporativa no Brasil. In: Simpósio Internacional de educação corporativa no Brasil. FIA, FEA-USP. São Paulo, novembro, 2009.

FUNDAÇÃO INSTITUTO DE ADMINISTRAÇÃO (FIA). Relatório da Pesquisa Nacional de Educação Corporativa no Brasil. São Paulo: FIA, 2012.

FLEURY, M.T.L.; FLEURY, A. Estratégias empresariais e formação de competências: um quebra-cabeça caleidoscópio da indústria brasileira. 2ª ed. São Paulo: Atlas, 2004.

GARVIN, D.A. Construção da organização que aprende. In: ______. Gestão do conhecimento. Harvard Business Review, Rio de Janeiro, p. 50 81, 2001.

MATSUDA, T. Organizational intelligence: theory of collectively intelligent behaviors and engineering of effective information systems in the complex organizations. In Sanno College, Isehara, Japão, 1993.

MEISTER, J. Educação corporativa: a gestão do capital intelectual através das universidades corporativas. São Paulo: Pearson Makron Books, 1999. 296 p.

MORESI, Eduardo. Inteligência Organizacional: um referencial integrado. Revista Ciência da Informação, Brasília, v. 30, n. 2, p. 35-46, maio/ago. 2001.

NONAKA, I; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa:como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

PESQUISA NACIONAL SOBRE PRÁTICAS E RESULTADOS DA EDUCAÇÃO CORPORATIVA NO BRASIL. FEA-USP Press Releases, novembro de 2009.

PRINCE, C.; BEAVER, G. The rise and rise for corporate universities: the emerging corporate learning agenda. International Journal of Management Education, vol.1, n.2, p.17-26, 2001

SENGE, P. M. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. 16ª ed. São Paulo: Editora Best Seller, 2004.

STOLLENWERK, M.F.L. Gestão do conhecimento: conceitos e modelos. In: TARAPANOFF, Kira. (Org.) Inteligência organizacional e competitiva, Brasília: UnB, 2001. p.143-163.

SVEIBY, K. E. What is knowledge management? 2001a. Disponível em http://www.sveiby.com/articles/KnowledgeManagement.html.

TARAPANOFF, K. (Org.). Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: UnB, 2001. 343p.

______. Panorama da Educação Corporativa no contexto internacional. In: Educação Corporativa: Contribuição para a competitividade. (Org.) Secretaria de Tecnologia Industrial. Brasília: Petróleo Brasileiro e CNI, 2004, p.12-84.

TERRA, J.C.C. Gestão do conhecimento: o grande desafio empresarial. São Paulo: Negócio Editora, 2000. 313p.

WOIDA, L. M.; VALENTIM, M.L. P. Cultura organizacional no processo de inteligência competitiva. DataGramaZero, Rio de Janeiro, v. 5, n. 4, ago. 2004.

ZARIFIAN, P. O modelo da competência: trajetórias históricas, desafios atuais e propostas. São Paulo: Senac, 2003.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2016v21n3p228

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional