Cibercidades: as tecnologias de comunicação e a reconfiguração de práticas sociais

Gabriela Scroczynski Fontes, Icléia Rodrigues de Lima e Gomes

Resumo


Introdução: Este trabalho se baseia na ideia de que, em tempos de modernidade líquida, as cidades, principalmente os espaços urbanos, se modificam constantemente e ganham mais destaque enquanto espaços de fluxo de comunicação.  E o atual modelo de cidade, a cibercidade, consiste numa fusão entre os espaços físicos e virtuais, possibilitada a partir da internet e das diversas ferramentas e dispositivos móveis de comunicação.

Objetivo: Apresentar algumas das características do tempo presente e propor uma discussão sobre a participação das tecnologias da comunicação na configuração e reconfiguração dos espaços urbanos, assim como das relações e práticas sociais.

Metodologia: Revisão bibliográfica

Resultados: As tecnologias da comunicação participam de um processo de reconfiguração tanto do espaço urbano quanto cultural.

Conclusões: Percebe-se que os avanços tecnológicos e as novas possibilidades de conexão e comunicação geram inúmeras perspectivas de relacionamento, de se fazer presente no meio social e de se relacionar com a nova estrutura de espaço urbano que vem se formando, assim como com o espaço digital, de forma a (re)configurar espaços e práticas e relações sociais.


Palavras-chave


Cibercidade; Tecnologia da comunicação; Modernidade líquida; Práticas sociais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5433/1981-8920.2013v18n2p60



  

Inf. Inf.

ISSN: 1981-8920 (versão somente online)

DOI: 10.5433/1981-8920

e-mail: infoeinfo@uel.br



Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional