Sistema de Organização do Conhecimento utilizado pela comunidade booktube: mapeamento dos conceitos

Admeire da Silva Santos Sundström, João Batista Ernesto de Moraes

Resumo


Introdução: A comunidade booktube corresponde a um grupo de pessoas, usualmente jovens, que compartilham na plataforma YouTube suas experiências literárias. Além disso, apresentam uma linguagem própria e características únicas no momento de falar sobre livros. Ao refletir tais circunstâncias à luz da Organização do conhecimento, se questiona: é possível caracterizar um domínio de uma comunidade digital por meio do mapeamento terminológico?
Objetivo: O objetivo deste artigo será o mapear os conceitos utilizados por essa comunidade.
Metodologia: O método utilizado é análise de domínio que considerou a seleção de 5 canais, cujo critério para escolha foi o número de seguidores. As análises foram direcionadas às palavras utilizadas para indexar os vídeos, assim, os conceitos desses termos foram extraídos de um glossário construído em torno dessa comunidade.
Resultados: Como resultado, salienta-se que a comunidade se inspira em booktubers americanos, dessa forma, os termos utilizados tem sua origem americana. Os conceitos apresentam grande importância para toda a comunidade, que mantem a comunicação por meio do uso deles.
Conclusões: Acredita-se na continuidade deste estudo, voltada para a análise de domínio instrumental, pois percebe-se um novo esquema de categorização que permite o diálogo entre análise de domínio, comunidade virtuais e a Organização do Conhecimento.


Palavras-chave


Sistema de organização do conhecimento; Comunidade booktube. Linguagem natural; Mapa conceitual; Análise de domínio

Texto completo:

PDF

Referências


BALVERDU, Andressa Machado. Comunidade booktube como alternativa de incentivo à leitura. Trabalho de conclusão de curso (Bacharelado em Biblioteconomia) - Universidade Federal de Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

BARITÉ, Mario. Organización del conocimiento: un nuevo marco teóricoconceptual en Bibliotecología y Documentación. In: CARRARA, K. (org.). Educação, Universidade e Pesquisa. Marília: Unesp-Marília-Publicações; São Paulo: FAPESP, 2001. p.35-60.

CAFÉ, Ligia; BRASCHER, Marisa. Organização da informação ou organização do conhecimento. ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, v. 9, 2008. Disponível em: http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/12867/1/ARTGO_SistemasOrgani zacaoConhecimento.pdf. Acesso em: 29 maio 2018.

CARLAN, Eliana; BRASCHER, Marisa. Sistemas de Organização do Conhecimento na visão da Ciência da Informação. Revista Ibero-Americana de Ciência da Informação, Brasília,v. 4, n. 2, p. 53-73, ago./dez.2011. Doi: https://doi.org/10.26512/rici.v4.n2.2011.1675

DAHLBERG, Ingetraut. KNOWLEDGE ORGANIZATION-ITS SCOPE AND POSSIBILITIES. Knowledge organization, v. 20, n. 4, p. 211-222, 1993.

DAHLBERG, Ingetraut. Current trends in knowledge organization. Organización del conocimiento en sistemas de información y documentación. Zaragoza: Librería General, p. 7-25, 1995. Disponível em: http://www.iskoiberico.org/wpcontent/uploads/2014/07/007-026_Dahlberg.pdf. Acesso em: 29 maio 2018.

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti. Discurso do sujeito coletivo: representações sociais e intervenções comunicativas. Texto Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 23, n. 2, p. 502-507, abr./jun. 2014. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072014000000014

LEFEVRE, Fernando; LEFEVRE, Ana Maria Cavalcanti; MARQUES, Maria Cristina da Costa. Discurso do sujeito coletivo, complexidade e autoorganização. Ciência & Saúde Coletiva, v. 14, p. 1193-1204, 2009.

HODGE, G. Systems of Knowledge Organization for Digital Libraries: Beyond Traditional Authority Files. Washington, DC: The Digital Library Federation, 2000. Disponível em: https://www.clir.org/wp-content/uploads/sites/6/pub91.pdf. Acesso em: 27 abr. de 2018.

JEFFMAN, Tauana Mariana Weinberg. Booktubers: performances e conversações em torno do livro e da leitura na comunidade booktube. 2017. Tese (doutorado) – Universidade do Vale do Rio dos Sinos, Programa de Pósgraduação em Ciência da Comunicação, 2017. Disponível em: http://www.repositorio.jesuita.org.br/bitstream/handle/UNISINOS/6337/Tauana%20Mariana%20Weinberg%20Jeffman_.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 28 maio de 2018.

GUIMARÃES, José Augusto Chaves. A dimensão teórica do tratamento temático da informação e suas interlocuções com o universo científico da International Society for Knowledge Organization (ISKO). Revista Iberoamericana de Ciência da Informação, v. 1, n. 1, 2011.

GUIMARÃES, José Augusto Chaves. Análise de domínio como perspectiva metodológica em organização da informação. Ciência da Informação, v. 43, n. 1, 2014. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/viewFile/1415/1593. Acesso em: 22 set. 2018.

LIMA, Vânia Mara Alves. Mapa conceitual e terminológico para a ciência da informação: um estudo exploratório. Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação, v. 17, 2016. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/283355411. Acesso em: 30 abr. 2018.

LIMA, Vânia Mara Alves. A organização do conhecimento no domínio da ciência da informação: o mapa conceitual e terminológico como instrumento referencial para o ensino e a pesquisa. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 4, n. 1, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2178- 2075.v4i1p26-48. Acesso em: 29 maio 2018.

LIMA, Gercina Ângela Borém. Mapa conceitual como ferramenta para organização do conhecimento em sistema de hipertextos e seus aspectos cognitivos. Perspectivas em ciência da informação, v. 9, n. 2, p. 134-145, 2004.

MOREIRA, Marco Antônio; ROSA, Paulo Ricardo da Silva. Mapas conceituais. Caderno Catarinense de Ensino de Física, Florianópolis, v. 3, n. 1, p. 17-25, abr. 1986

MOREIRA, Marco Antônio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa (concept maps and meaningful learning). In: MOREIRA, Marco Antônio. Aprendizagem significativa, organizadores prévios, mapas conceituais, digramas V e Unidades de ensino potencialmente significativas. Porto Alegre: PUCRS, 2012. p. 41.

PANDO, Daniel Abraão; ALMEIDA, Carlos Cândido de. Organização da informação e do conhecimento no contexto da Ciência da Informação: da análise terminológica à reflexão epistemológica. In: CONGRESO ISKO ESPAÑA, 12; CONGRESO ISKO ESPAÑA-PORTUGAL, 2, 2015, Murcia. Anais... Murcia: Universidad de Murcia.

SUNDSTRÖM, Admeire da Silva Santos; MORAES, João Batista Ernesto de. BOOKSHEL TOUR: Categorização do conhecimento a partir do discurso coletivo dos booktubers. Em questão, Porto Alegre, v. 25, n. 2, p. 13-38, 2018..

TENNIS, Joseph T. Com o que uma análise de domínio se parece no tocante a sua forma, função e gênero? Brazilian Journal of Information Science, v. 6, n. 1, p. 3-15, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-4390.2018v7n2p04

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Inf. Prof.

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2317-4390 (versão online)

DOI: 10.5433/2317-4390

infoprof@uel.br



Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)