Vlogs literários: O incentivo à leitura por meio da mídia social digital YouTube

Gleice Pereira, Rachel Cristina Mello Guimarães, Gilcelene Pereira do Santo

Resumo


Introdução: O crescente uso das redes sociais pela sociedade e em especial por estudantes de todos os níveis escolares e um indicador que merece a atenção da biblioteconomia.
Objetivo: Caracterizar vlogueiros literários no ambiente YouTube analisando o conteúdo de vlogs literários e os comentários pertinentes ao universo literário nos vídeos hospedados na plataforma.
Metodologia: Análise da netnografia e do conteúdo dos vlogs, a partir de como vlogs literários podem ser utilizados por bibliotecários para o desenvolvimento do habito de leitura. 
Resultados: Verificou-se que há uma potencialidade no uso dos vlogs literários como instrumento de fomento á leitura na biblioteca escolar.
Conclusão: Os vlogueiros literários ou booktubers exercem uma influência sobre os internautas que visualizam o vídeo.


Palavras-chave


Vlogs literário; YouTube; Biblioteca escolar; Leitura; Booktubers/vlogueiro

Texto completo:

PDF

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977. B

EZERRA, L. L.; SANTOS, R. B. dos. Um estudo sobre vlogs e sua Influência na cultura participativa. In: CONGRESSO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO NA REGIÃO NORDESTE, 16., 2014. João Pessoa. Anais...João Pessoa: UFPB, 2014.

BRASIL. Ministério da cultura. Retratos do Brasil aponta aumento de leitores no País. 2016. Disponível em: http://prolivro.org.br/home/images/2016/Pesquisa_Retratos_da_Leitura_no_Br asil_-_2015.pdf. Acesso em: 10 ago. 2017.

DINIZ, J. G. O bibliotecário como agente incentivador da leitura: apresentação do Projeto de Extensão Doutores da Leitura. In: ENCONTRO REGIONAL DE ESTUDANTES DE BIBLIOTECONOMIA, DOCUMENTAÇÃO, CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E GESTÃO DA INFORMAÇÃO. 14., 2011. São Luís. Anais...São Luís: UFMA, 2011. Disponível em: https://goo.gl/sdVyxe. Acesso em: 02 set. 2017.

DORNELLES, J. P. O fenômeno vlog no YouTube: análise de conteúdo de vloggers brasileiros de sucesso. 2015. 106 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação Social) – Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10923/6987. Acesso em: 10 ago. 2017.

MARTINS, M. C. O papel da biblioteca no incentivo a leitura. Não datado. Disponível em: http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2005/anaisEvento/documentos/c om/TCCI082.pdf. Acesso em: 12 ago. 2017.

MORAN, J. O vídeo na sala de aula. Comunicação & educação, v. 1, n. 2, p. 27-35, jan./abr.1995. Disponível em: http://www.eca.usp.br/prof/moran/site/textos/desafios_pessoais/vidsal.pdf. Acesso em: 05 jan. 2017.

RAMOS, R. Fazer leitores na era digital: o contributo da biblioteca escolar. Lisboa: Rede de Bibliotecas escolares, 2015. Disponível em: http://www.rbe.min-edu.pt/np4/file/1490/bibliotecarbe8.pdf. Acesso em: 20 ago. 2017.

RANGANATHAN, S. R. As cinco leis da biblioteconomia. Brasília: Briquet de Lemos Livros, 2009.

SIBILIA, P. O Show do eu: A intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008.

SPYER, Juliano. Conectado: o que a internet fez com você e o que você pode fazer com ela. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

VARGAS, S. Leitura: uma aprendizagem de prazer. Rio de Janeiro: José Olympio, 1993.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-4390.2017v6n2p77

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Inf. Prof.

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2317-4390 (versão online)

DOI: 10.5433/2317-4390

infoprof@uel.br



Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)