Necessidades informacionais dos usuários do Arquivo de Recursos Humanos da UFPB

Cacilene Toscano de Oliveira, José Washington de Morais Medeiros

Resumo


Introdução: As necessidades informacionais constituem uma temática importante para o estudo arquivístico, desvelando contextos teóricos e metodológicos complexos e fundamentais para entender o uso da informação. Em termos gerais, as necessidades informacionais surgem a partir dos papéis que o sujeito desempenha na vida social, emergindo situações concretas seja para a construção do conhecimento na ciência e/ou para a resolução de problemas cotidianos.
Objetivo: Analisar as necessidades informacionais dos usuários do Arquivo de Recursos Humanos (RH) da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). A pesquisa partiu da seguinte questão: como entender as necessidades informacionais dos usuários do arquivo? Com base nisso, o estudo sustentou a hipótese de que as necessidades informacionais dos usuários do arquivo da UFPB são atendidas de maneira satisfatória.
Metodologia: Utilizamos a pesquisa exploratória e a descritiva, o método quantitativo e o qualitativo, e um questionário misto.
Resultados e conclusões: mostram que grande parte dos usuários visita o arquivo periodicamente, concluindo o quanto é necessário se entender uma Arquivística cada vez mais situada no usuário.


Palavras-chave


Estudos de usuários; Necessidades de informação; Arquivos; Sensemaking

Texto completo:

PDF

Referências


BAPTISTA, Sofia Galvão; CUNHA, Murilo Bastos. Estudo de usuários: visão global dos métodos de coleta de dados. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n.2, p.168-184, maio/ago. 2007.

BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Como desenvolver políticas de ação cultural e educativa em arquivos. São Paulo: Associação de Arquivistas de São Paulo. 2002. 39p. Projeto Como Fazer.

BETTIOL, Eugênia Maranhão. Necessidades de informação: uma revisão. Revista de Biblioteconomia de Brasília, Brasília, v.18, n.1, p.59-69, jan./jun. 1990.

BOSCARIOLI, Clodis et al. Avaliação de usabilidade e avaliação SenseMaking da ferramenta RVQ-Tool. Disponível em: http://www.vision.ime.usp.br/~clodis/Patricia/paperIHCfinal1108.doc. Acesso em: 22 jun. 2009.

CASTELLS, Manuel. Sociedade em Rede: a era da informação: economia, sociedade e cultura. 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, v. I, 1999.

CHAGAS, Joseane; ARRUDA, Susana; BLATTMANN; Ursula. Interação do Usuário na Busca de Informações. In: SEMINÁRIO NACIONAL DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS,11., 2000. Florianópolis. Anais... Florianópolis. 2000. Disponível em: http://www.ced.ufsc.br/. Acesso em: 22 jun. 2009.

CHOO, Chun Wei. Como ficamos sabendo – um modelo de uso da informação. In: CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significados, construir conhecimentos e tomar decisões. São Paulo: SENAC, 2003. Cap. 2, p. 63-120.

CUNHA, Murilo; AMARAL, S. A; DANTAS, E. B. Manual de estudo de usuários da informação. São Paulo: Atlas, 2015. 464 p.

DERVIN, Brenda. From the mind’s eye of the user: the Sense-Making qualitative-quantitative methodology. In: GLAZIER, J. D.; POWELL R. R. (Org.). Qualitative research in information management, 1992. p. 61-84.

ESTIMA, Alfredo Ribeiro. Estudo de usuário do Arquivo Público do Estado do Rio Grande do Sul. 2014. Monografia (Especialização em Gestão de Arquivos) – Universidade Federal de Santa Maria. Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. Estudo de Necessidades de Informação: dos paradigmas tradicionais à abordagem do Sense-Making. 1997. Disponível em: http://www.eca.usp.br/nucleos/sense/textos/sumar.htm. Acesso em: 22 jun. 2009.

FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto. Novos paradigmas e novos usuários de informação. Ciência da Informação, v. 25, n.2, 1995.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Paradigmas modernos da Ciência da Informação. São Paulo: Polis, 1999.

FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Avaliações de coleções e Estudos de Usuários. Brasília: Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal, 1979.

JARDIM, José Maria; FONSECA, Maria Odila. Estudos de usuários em arquivos: em busca de um estado da arte. DataGramaZero: Revista de Ciência da Informação, v.5,n.5, 2004. Disponível em: http://dgz.org.br/out04/Art_04.htm. Acesso em: 31 jul. 2009.

LANCASTER, F. W. Avaliação de serviços de bibliotecas. Brasília: Briquet de Lemos, 1996.

MIRANDA, Silvânia. Como as necessidades de informação podem se relacionar com as competências informacionais. Ciência da Informação, Brasília, v.35, n.3, p.99-114, set/dez. 2006.

PAIVA, Eliane Bezerra. Entre as normas e os desejos: a indexação de periódicos na Biblioteca Central da UFPB. 2002. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação) – Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2002.

PINTO, Virgínia Bentes et al. “Netnografia”: uma abordagem para estudos de usuários no ciberespaço. In: CONGRESSO NACIONAL DE BIBLIOTECÁRIOS, ARQUIVISTAS E DOCUMENTALISTAS, 9., 2007, Açores-Portugal. Anais... Lisboa: APBAD, 2007. p. 79-95.

RONCAGLIO, Cynthia; SZVARÇA, Décio Roberto; BOJANOSKI, Silvana de Fátima. Arquivos, Gestão de Documentos e Informação. Enc. BIBLI: R. Eletr. Bibl. Ci. Inf., Florianópolis, n. esp., jul.dez. 2004.

SANZ CASADO, Elías. Manual de estudios de usuarios. Madrid: Pirâmide, 1994.

WILSON, T. D. Tendências recentes nos estudos de usuários: pesquisa ação e métodos qualitativos. Universidade de Sheffield, 1980.




DOI: http://dx.doi.org/10.5433/2317-4390.2018v7n2p65

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Inf. Prof.

Londrina/PR - Brasil
ISSN: 2317-4390 (versão online)

DOI: 10.5433/2317-4390

infoprof@uel.br



Esta obra está licenciada com uma licença Attribution 4.0 International (CC BY 4.0)